O amor chega sem você perceber.

Chega quando você se distrai.

Quando você não presta atenção.

É um olhar, um som, um gesto, um algo que você nem sabe explicar.

Ele simplesmente chega.

Talvez seja mesmo obra de um cupido que arremessa uma flecha em você quando você menos espera.

Talvez seja uma obra do destino que quis preparar você a vida inteira para encontrar esse alguém.

Ou talvez seja só uma simples sintonia entre duas notas musicais que tateiam o mundo buscando seus próprios instrumentos.

Alguém disse que o amor é fogo que arde sem se ver, mas eu não acho isso.

O amor é como uma jarra de vidro cheia de água morna que precisa ser cuidadosamente aquecida.

Se você aquece de menos, o amor deixa de ser ele.

Se você aquece demais, o amor se esvai quebrando a jarra.

Esperamos assim o cupido, o destino ou a música…

  • Pra deixar o peito aquecido.
  • Pra deixar o peito preenchido.
  • Pra deixar o peito odara.
Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

CONTEÚDO POR E-MAIL

Digite o seu e-mail abaixo e receba semalmente artigos, vídeos e dicas direto no seu e-mail