Categoria: Crenças & Medo (Página 2 de 16)

Uma vida insuficiente

Você já percebeu o que acontece quando você vai até um shopping e começa a olhar as vitrines?

Provavelmente você sente o mesmo que todos nós sentimos quando estamos na internet, dentro de uma biblioteca ou lendo um livro de receitas culinárias.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

A felicidade do foda-se

Hoje em dia temos a obrigação de ser feliz.

Ou pelo menos parecer feliz em nossas “timelines” do mundo real e virtual.

Uma felicidade cada vez mais individualizada medida pela:

  • quantidade de vezes que você faz sexo por semana;
  • quantidade de dinheiro que você faz;
  • quantidade de coisas que você tem;
  • quantidade de vezes que você viaja por ano; e
  • quantidade de gordura no seu corpo.

Uma felicidade orientada para o umbigo e promovida aos quatro cantos pelos livros de auto ajuda e pelos gurus espirituais da modernidade.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Meditação

Você não pode acalmar a tempestade, então pare de tentar isso. O que você pode fazer é acalmar a si mesmo. A tempestade irá passar.” ~ Timber Hawkeye

Você já percebeu que tudo o que você sente a respeito do que acontece em volta de você parte de você?

  • Raiva
  • Ciúme
  • Arrependimento
  • Orgulho
  • Vergonha

Quando algo ou alguém provoca algum sentimento em você, não são eles os responsáveis por aquele sentimento.

É você.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Mãe é campo de força

Amanhã é o segundo domingo de maio e como o calendário comercial determinou, também é o dia em que devemos lembrar de nossas mães.

Mas o que devemos lembrar?

Enquanto somos pequenos, digo, enquanto não somos pais, responsáveis pela vida de outra pessoa, sinceramente não entendemos muito bem o que é ser mãe.

E isso talvez seja até mais difícil para filhos homens que nunca terão a experiência de serem mães.

Mas com a compreensão que tenho hoje sobre o ser mãe, posso dizer com convicção que mãe, nada mais é que alguém que não por opção, mas por força natural divina, abdica de si mesma para tornar a vida de outra pessoa melhor.

Mãe é um campo de força, que segura a barra enquanto amamenta, cozinha, luta e ainda busca ficar linda no final do dia.

Mas mãe também é ser humano.

Alguém que erra não porque preferiu errar, mas porque, assim como nós hoje, cometeu erros que ela própria se arrepende, como nós nos arrependemos hoje dos nossos, só porque estava tentando achar o melhor caminho para viver.

Afinal, diferente do pai, é o corpo da mãe que se modifica quando fica grávida, é o corpo da mãe que carrega o peso do bebê e é a mãe que tem um contato estreito com aquele ser que está para nascer.

Amanhã, antes de tudo, antes de olhar a mulher que sua mãe é hoje, é dia de olhar a mulher que um dia foi sua mãe.

Porque o caminho daquela mãe jovem até a mãe madura de hoje não importa.

Não importam os gritos, as brigas e os erros dela neste caminho porque ela estava aprendendo a ser mãe.

Se não fosse pela minha mãe hoje eu não teria a oportunidade de conviver com esta pessoa cheia de falhas e cheia de sonhos que hoje eu sou.

Logo, amanhã é dia de lembrar dessa mãe, jovem, inocente, cheia de sonhos, no ápice da juventude que abriu a vida para você.

Não importa a idade da minha mãe, assim como não importa se a sua mãe não está mais por aqui.

Lembre-se apenas de agradecer amanhã a pessoa jovem e inocente que por prazer te fez e que por amor te colocou no mundo.

Devemos isso a ela para sempre.

Obrigado mãe. Obrigado pela vida.

Você foi excelente em tudo que fez.

Beijo Maria Rezende

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Blinde a sua mente

Onde nasce toda ação? No pensamento.

Onde nascem os pensamentos? No cérebro.

Então nós podemos concluir que o material que compõe o cérebro dá força aos pensamentos que se manifestam no mundo através das suas ações.

O que acontece quando você tenta plantar uma árvore em um terreno árido, seco e infértil? Ela não nasce.

A escassez toma conta do terreno e por muitos em muitos anos você não verá nada crescendo nele.

Entretanto, se você quiser realmente plantar árvores frutíferas neste terreno terá que irrigar o solo e adubá-lo alimentando a terra com coisas nutritivas.

Bem, você já sabe onde eu quero chegar com esse papo e os que são contra auto-ajuda falarão que isto é papo para boi dormir.

Não é.

Saiba que as pessoas com maior performance atualmente utilizam a meditação para irrigar e nutrir o solo do seu cérebro, blindando suas mentes contra pensamentos deterioradores.

Kobe Bryant, Michael Jordan, Arnold Schwarzenegger, Eminem, Adele e até Elvis Presley atribuem à meditação a conquista dos seus objetivos.

Não porque a meditação te dá uma fórmula mágica para você conseguir aquilo que você quer, mas porque ela remove toda a interferência que existia para você se sintonizar com o seu guia interior.

Política, Futebol, Samba e Violência deixarão de interferir e desalinhar suas emoções dos seus pensamentos, seus pensamentos de suas palavras, e suas palavras de suas ações.

Domine a si mesmo, blinde a sua mente e faça dela um lindo pomar.

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

O que significa de verdade a palavra venda?

“Venda é uma oportunidade de você contribuir com o bem-estar do outro.”

Guarde isso: venda é uma oportunidade de você contribuir com o bem-estar da outra pessoa.

Nem de longe, uma venda é uma oportunidade de você ganhar dinheiro, porque se você pensar assim, a ajuda ao próximo acaba no momento em que você concretizou a venda e não é isso o que deve acontecer.

Se você passar a enxergar venda como um processo de ajudar quem te contratou ou comprou um produto seu como oportunidade para ajudá-lo a construir seus sonhos, você estará no caminho certo.

Agindo assim logo virá o boca-a-boca e as pessoas te recomendarão aqui e ali pelo ser humano que você é e não por ser um bom vendedor.

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Você confia na pessoa que você diz ser?

Um dos sentimentos mais terríveis que uma pessoa possa sentir a respeito de si mesma é a vergonha.

A vergonha de descobrir que ela não é aquilo que ela pensava que ela era.

Existe uma distância entre a pessoa que nós pensamos ser (e até desejamos ser) e quem nós realmente somos e quando o véu da fantasia cair e a verdade for revelada, você poderá se deparar com alguém que não desejava encontrar.

Enfrentar essa realidade irá doer fundo na alma.

  • Você vai perceber que não é realmente um bom exemplo para os seus filhos.
  • Você vai perceber que não é realmente uma pessoa em que se pode confiar.
  • Você vai perceber que apesar de acreditar que teve crescimento, na realidade você está estagnado.

Se você ainda não se deparou com a situação de ver a sua realidade diante do espelho, cuide.

Cuide das suas ações para se aproximar ao máximo daquilo que você deseja ser.

Agora se você enxergou que não é quem pensava ser ou quem procurava demonstrar ser, levante a cabeça.

Uma das maiores qualidades de um grande ser humano é aceitar suas fraquezas e seus defeitos para transformá-los em fortalezas e qualidades.

E é por esse processo ser tão duro que a maioria das pessoas prefere viver mantendo as aparências até que a terra consuma suas cinzas.

Aceita se não dói mais.

É você que dirá quanto tempo estar dor ficará atuando sobre você e sinceramente, não há nada melhor para a nossa evolução do que enxergar a realidade nua e crua por mais doloroso que isso possa ser.

Faz parte do treino. Faz parte da vida.

Tenha vergonha de si mesmo, mas não faça disso a sua prisão.

Faça da vergonha de si mesmo um caminho perfeito para você se tornar aquilo que você almeja ser de verdade.

Saiba um pouco mais sobre a vantagem evolutiva que existe em sentir vergonha de si mesmo neste artigo (em inglês).

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

7 verdades chocantes sobre a crise que você finge ser mentira

“O político brasileiro é o mais religioso do mundo porque em cada obra ele leva um terço.” (Tweet Isso)

1. O Brasil só funcionou até hoje por causa da corrupção

É triste, duro e revoltante constatar que o país só conseguiu chegar onde está hoje porque alguém fez um favor por debaixo dos panos para outra pessoa que preferiu o seu próprio enriquecimento ante a honestidade.

É mais duro ainda ver que a corrupção está tão entranhada nos costumes brasileiros que o favorecimento do “quem indica” funciona mais que as conquistas por mérito.

É revoltante perceber que o país só avançou devido a pirataria e ao contrabando.

A verdade nua e crua dói, mas agora, finalmente, estamos confrontando a realidade.

A realidade de que precisamos aprender a fazer negócios sem sermos corruptos.

A realidade de que precisamos aprender a conquistar algo sem molhar a mão de alguém.

A realidade de que precisamos aprender que é mais bonito chegar lá em cima cumprindo as regras que trapaceando.

A paralisia econômica que o Brasil está vivenciando se deve ao fato do brasileiro estar tendo que aprender (goela abaixo) a viver sem a corrupção.

E isso é muito doloroso.

“Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo.” ~ Eça de Queiroz (Tweet Isso)

Print

2. A maioria dos nossos políticos não são representantes do seu povo

Depois que a campanha eleitoral acaba e nossos políticos descem do palanque para ocupar seus cargos públicos, passam a agir em causa própria.

Queria a oposição estar diante de provas contundentes que incriminassem apenas o governo em atos de corrupção.

Mas a triste realidade é que mesmo o segundo candidato mais votado para a presidência nas últimas eleições, também aparece nestas provas acompanhado de uma enorme lista de políticos de ambos os lados.

É muito mais simples resolver um problema quando um dos lados está errado enquanto o outro está certo.

Mas quando os dois lados estão errados, fica muito mais complicado enxergar uma luz no fim do túnel..

O brasileiro está sozinho, sem ninguém lá em cima, para olhar por ele.

Seus votos foram em vão, assim como seus protestos.

“Uma boa empresa é capaz de resistir a um mercado fechado por dez anos.” ~ Warren Buffett (Tweet Isso)

Print

3. A crise revela a incompetência particular

  • Você realmente acredita que alguém tão distante dos seus problemas é culpado pelo o que você está passando agora?
  • Você está realmente confiando o destino da sua vida a pessoas que você nunca trocou uma palavra sequer?
  • E você realmente espera que isso dê certo?

Enquanto você estiver depositando a sua sorte na economia ou nos políticos você sofrerá sérios problemas.

Assuma.

Você é o grande incompetente por ter deixado a crise chegar até a porta da sua casa.

  • Foi você quem confiou sua vida a terceiros.
  • Foi você quem colocou todos os ovos na mesma cesta.
  • Foi você quem acreditou em promessas vazias.

Agora, você precisa mudar.

Parar tudo o que sempre fez para fazer algo diferente.

Será um processo doloroso, lento e que fará você abandonar muitos paradigmas.

  • Você vai ter que fazer mais ligações.
  • Você vai ter que mudar a maneira como faz negócios.
  • Você vai ter que trabalhar até mais tarde e nos finais de semana.

A realidade é que só você pode mudar o seu destino.

Enquanto você ficar de mimimi tentando fazer aquilo que você sempre fez, você vai se frustrar e vai sofrer indubitavelmente.

“Diploma é papel pintado” ~ Olavo de Carvalho (Tweet Isso)

Print

4. Diploma não vale nada, nem para você e nem para o seu filho

O que mais está incomodando atualmente, não só aqui no Brasil, mas em todo mundo, é que pessoas sem qualquer formação estão tendo mais sucesso do que quem tem um diploma na parede.

Nós estamos vivendo a quarta revolução industrial, onde diplomas são secundários.

Desde a época em que Bill Gates e Steve Jobs largaram a faculdade até a ascensão de Lula à presidência, nós já sabíamos que diploma não era mais uma necessidade do mercado para o sucesso profissional.

A grande crise está ocorrendo porque os diplomados e ricos estão tendo que acordar cedo para concorrer no mercado com quem não tem diploma e já está acostumado acordar cedo desde sempre para conquistar aquilo que deseja.

Isso está incomodando muita gente.

Muita gente.

Muita gente que apesar de compreender o que estou querendo dizer, continua incentivando e premiando seus filhos a tirar notas boas na escola para entrar na faculdade, apesar de saber que isso colaborará muito pouco com seu sucesso profissional.

Você pode detestar o que estou dizendo aqui, mas o fato é que um jardineiro hoje tem mais estabilidade financeira que um comerciante ou um empresário diplomado.

Se você não estiver ensinando seu filho a trabalhar, você está ensinando para ele as coisas erradas.

“Pensar é o trabalho mais difícil que existe. Talvez por isso tão poucos se dediquem a ele” ~ Henry Ford (Tweet Isso)

Print

5. Luxo agora é vender para pobre

Nós presenciamos até 2014, o maior fenômeno sociológico do Brasil com a ascensão de uma fatia com 108 milhões de brasileiros para a classe C, gastando mais de 1,17 trilhão de reais por ano e movimentando 58% do crédito.

Você pode querer ignorar isso e continuar tentando vender produtos e serviços para o mercado de luxo como vinha fazendo até aqui ou enfrentar a realidade de que se não está vendendo, é porque está vendendo o produto errado para as pessoas erradas.

Pode ser muito difícil para algumas pessoas enfrentar esse fato, mas ocorre que os negócios que sobrevivem às crises são aqueles que melhor se adaptam às novas realidades do mercado.

Em uma recente palestra que assisti na AMCHAM Curitiba, sobre o estudo de caso da Neodent, empresa brasileira de fabricação de implantes e outras soluções protéticas, Jafte da Silva, vice-presidente jurídico da companhia comentou sobre a crise:

“Antes vendíamos muito para poucos. Hoje vendemos pouco para muitos.”

Compreender o mercado sem o olhar de quem procura culpados, mas com o olhar de quem busca estratégias é essencial se você quiser sobreviver aos próximos anos de crise.

Não conte com o ovo dentro da galinha, colocando suas expectativas numa possível troca de governo.

Porque mesmo que isso aconteça, pode não se confirmar como a melhor solução para os seus problemas.

“Não existem atalhos para qualquer lugar aonde valha a pena ir.” ~ Paulo Coelho (Tweet Isso)

Print

6. Estabilidade não existe

Seja você empregado do setor privado, funcionário público, dono de pequena empresa ou empresário à frente de um conglomerado de companhias, a estabilidade não existe.

Enquanto você não assumir a responsabilidade total sobre o que acontece com você, você sempre sofrerá as consequências dos erros cometidos pelos outros.

Seja no governo, dentro da sua empresa ou mesmo na sua casa, tudo o que acontece a você, é responsabilidade sua.

Se alguém lá em cima, administrou mal o país e isso de alguma forma afetou a sua vida aqui embaixo, significa que você foi incompetente.

Significa que você se corrompeu durante algum tempo trocando objetivos de longo prazo por prazeres de curto prazo.

Significa que você roubou de si mesmo oportunidades.

Que você foi fraco diante das adversidades.

Que desistiu antes do apito soar.

“Quanto mais vidas você impactar, direta ou indiretamente, mais riqueza você irá atrair” ~ MJ DeMarco (Tweet Isso)

Print

Oportunidades na crise

A crise está acontecendo para quem não quer levantar da cadeira para fazer as coisas de forma diferente.

Está acontecendo para quem está colocando a culpa na economia para não bater suas metas.

Acontecendo para quem insiste em não tomar as rédeas da vida pra si.

Agora é a hora de chamar a responsabilidade para si e enxergar a dura realidade:

Foram as suas más escolhas do passado que te trouxeram onde você está hoje.

Para você fazer dinheiro, você precisa gerar valor para o mercado.

Ponto.

Sem fórmula mágica ou truque, recomendo:

  1. Ler o livro O Jeito Warren Buffett de Investir que apresenta conceitos financeiros utilizados pelo segundo homem mais rico do mundo atualmente.
  2. Assistir a este webinário promovido pela Guiainvest sobre Como ganhar de R$ 1 mil a R$ 5 mil por mês com dividendos
  3. Baixar esse material gratuito sobre Produção de Conteúdo para aumentar seus rendimentos seja como empresa ou como pessoa física.

Se você ama a vida, não desperdice o tempo, porque é desse material que a vida é feita.” ~ Benjamin Franklin (Tweet Isso)

Independente da sua cor, raça, classe social, poder aquisitivo, time ou partido político, note que qualquer crise vem revelar aquilo que nós sabíamos e colocávamos embaixo dos panos.

Seja ela financeira, de saúde ou amorosa, toda crise serve ao mesmo propósito: impulsionar a mudança.

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

O que Walmart, Disney e GoPro podem nos ensinar sobre fracasso

“Somente aqueles que estão dormindo não cometem erros.”

Qual é a sua opinião sobre o seguinte currículo?

  • 22 anos: faliu uma empresa.
  • 23 anos: foi derrotado em eleições para Vereador.
  • 24 anos: faliu outra empresa.
  • 25 anos: foi eleito como Vereador.
  • 26 anos: sua noiva morreu.
  • 27 anos: teve uma crise nervosa.
  • 29 anos: foi derrotado ao tentar ser presidente da Câmara de Vereadores.
  • 34 anos: foi derrotado nas eleições para Deputado.
  • 39 anos: foi derrotado nas eleições para Deputado.
  • 46 anos: foi derrotado nas eleições para Senador.
  • 47 anos: foi derrotado na tentativa de ser Vice Presidente.
  • 49 anos: foi derrotado nas eleições para Senador novamente.

Este homem viu a noiva morrer, faliu dois negócios, teve várias crises nervosas e foi derrotado em diversas eleições.

Se isso não fosse suficiente, sua mãe faleceu quando ele tinha 8 anos, seu pai quando ele tinha 10 anos e ele próprio foi assassinado violentamente aos 56 anos.

Contudo, Abraham Lincoln é considerado um dos melhores presidentes dos Estados Unidos, um grande vencedor, apesar de todas as suas derrotas.

O trecho acima foi extraído do livro Bilionários, que estou devorando e que recomendo a você também ler.

Nesse livro, você irá aprender lições não de pessoas que ganham bem, mas de pessoas que ficaram bilionárias ao longo da vida.

A leitura de hoje caiu como uma luva para ilustrar tudo o que eu penso sobre meus próprios fracassos e tento transmitir para meus colegas, amigos, leitores e alunos:

“Fracasso só existe quando você desiste.”

Espero que as três histórias de fracasso abaixo (extraídas do livro) de marcas atualmente bilionárias possam impactar positivamente o seu dia como fizeram com o meu.

Sam Walton, Walmart

Sam Walton assumiu uma loja de varejo da rede Bem Franklin, no Arkansas, em 1945.

Na época, Walton tinha 27 anos, uma esposa e uma criança para cuidar.

Suas experiências profissionais como adulto incluíam ter trabalhado no setor de vendas da gigante do varejo J.C.Penney e no departamento de comunicação da inteligência do exército americano durante a Segunda Guerra Mundial.

Ele colocou 5 mil dólares do próprio bolso e pegou emprestado 20 mil dólares do sogro para assumir aquela loja da Ben Franklin, onde cometeria muitos erros traumáticos.

O primeiro erro foi aceitar um contrato de aluguel com pagamento de 5% das vendas para o dono.

Isso pareceu razoável para Walton e ele assinou o contrato de arrendamento.

Mais tarde, descobriu que este foi o maior aluguel que alguém já tinha ouvido falar no negócio de vendas no varejo, pois ninguém na época pagava 5% das vendas.

A sua estratégia-chave era usar preços baixos como vantagem competitiva e este contrato complicava a sua missão.

Sam Walton levaria cinco anos para descobrir outro problema grave com o contrato de arrendamento.

Apesar da concorrência local, o empreendimento foi um grande sucesso e as vendas mais do que triplicariam em cinco anos.

Graças à gestão de Walton, o faturamento anual daquela loja saltou de 72 mil dólares para 250 mil dólares e o lucro anual atingiu o patamar de 35 mil dólares (o equivalente a mais de 400 mil dólares hoje).

Contudo, devido ao contrato draconiano de arrendamento, Walton foi forçado a repassar aproximadamente 12 mil dólares (equivalente a cerca de 130 mil dólares) ao proprietário do imóvel.

Após cinco anos, a loja Ben Franklin gerida por Walton em Arkansas se tornou a número 1 em toda a região de seis estados da qual fazia parte.

Porém, o sucesso atraiu a atenção do proprietário do imóvel, que se recusou a renovar o contrato de arrendamento.

Não importava quanto Walton oferecesse, o dono do imóvel não estava aberto a negociações.

Ele queria expulsar Walton e colocar o seu próprio filho para assumir aquela loja da rede Ben Franklin.

Após cinco anos de trabalho duro, Walton foi forçado a passar o ponto e começar tudo do zero em outro local.

E aprendeu sobre a importância de sempre colocar cláusulas de renovação nos seus contratos de arrendamento.

“Foi o ponto mais baixo da minha vida empresarial. Eu não podia acreditar no que estava acontecendo comigo. Realmente foi um pesadelo, mas eu nunca fui de me debruçar sobre o passado e eu não fiz isso naquela oportunidade… Eu não fico me lamentando sobre a decepção. O desafio em questão era simples o suficiente para entender: eu tinha que me levantar e ir em frente, fazer tudo de novo, só que ainda melhor desta vez.” ~ Sam Walton

disney

Walt Disney, Disneyland

O dia de lançamento do parque temático Disneyland foi um grande fiasco na biografia de Walt Disney.

O dia que era para ser um grande sucesso ficou conhecido como “Domingo Negro” entre os executivos das Disney.

Por causa de um problema com ingressos falsificados, mais que o dobro do número de convidados apareceu para participar do dia de abertura.

Para piorar a situação, cada bilhete do parque tinha um horário determinado de entrada e saída para evitar a superlotação.

Mas os convidados que entraram no início do dia não estavam saindo depois de algumas horas, como esperado.

Resultado: acabaram-se as bebidas e os alimentos nos restaurantes.

Em decorrência da greve dos bombeiros durante a construção da Disneyland, Walt Disney teve de escolher entre ter banheiros ou bebedouros funcionando no dia da inauguração.

Walt escolheu banheiros, mas a temperatura daquele dia chegou a mais de 38 graus deixando os visitantes acalorados e com sede.

O asfalto das ruas principais literalmente “prendia” o salto alto dos sapatos das mulheres já que ainda estava fumegante, por ter sido colocado na noite anterior.

Muitos brinquedos também quebraram no fatídico dia.

Apesar deste grande fracasso inicial, o parque acabou se tornando um dos pontos turísticos mais visitados do planeta tendo recebido, só no ano de 2013, mais de 17,5 milhões de visitantes.

“Todas as adversidades que eu tive na minha vida, todos os problemas e obstáculos, me fortaleceram. Talvez você não perceba enquanto esteja acontecendo, mas receber um chute nos dentes pode ser a melhor coisa do mundo para você.” ~ Walt Disney

gopro

Nick Woodman, GoPro

Durante a faculdade, Nick Woodman era um aluno com notas medianas e mais apaixonado pelo surf que pelos livros.

A primeira história de fracasso de Nick aconteceu quando ele fundou o EmpowerAll.com, um site de comércio eletrônico que vendia produtos eletrônicos muito baratos para jovens.

A empresa não foi lucrativa e rapidamente fechou as portas.

Depois disso ele persistentemente montou a FunBug, uma plataforma de marketing on-line que permitia aos usuários a chance de ganhar prêmios em dinheiro e participar em sorteios de brindes, enquanto brincavam de jogos on-line.

Para acelerar o segundo empreendimento, Nick conseguiu levantar 3,9 milhões de dólares em financiamento de diferentes investidores.

A empresa teve um começo empolgante e cresceu rapidamente, mas Nick teve que fechar as portas e admitir que havia fracassado mais uma vez, pois não conseguiu criar uma massa crítica de usuários eficientemente grande que iria lhe permitir lucrar.

“Ninguém gosta do fracasso, mas o pior foi que eu perdi o dinheiro dos meus investidores, pessoas que acreditavam naquele jovem rapaz apaixonado por aquela ideia… Eu comecei a me questionar: será que minhas ideias são realmente boas?” ~ Nick Woodman

Depois de falir a segunda empresa, Nick partiu em uma viagem de cinco meses surfando na Austrália e Indonésia com a namorada Jill, que se tornaria sua esposa.

Ao voltar para a Califórnia, o casal vivia em uma Kombi Volkswagen 1971 e sobreviviam vendendo muambas da Ásia, como cintos da Indonésia, para pagar as contas enquanto Nick trabalhava na sua ideia que o tornaria bilionário: um protótipo de uma câmera resistente que poderia ser usada por atletas.

Ele pegou empréstimos com familiares para começar o negócio e depois de dois anos trabalhando no projeto, vendeu suas primeiras 100 câmeras para um distribuidor japonês durante uma feira de esportes radicais em San Diego.

Naquele mesmo dia, sua Kombi foi roubada e nunca foi recuperada.

“Eu estava com tanto medo que a GoPro fosse como a FunBug que eu estava disposto a trabalhar muito. Isso é o que os meus primeiros altos e baixos fizeram por mim. Eu estava com tanto medo de falhar mais uma vez que eu estava totalmente comprometido com o sucesso.” ~ Nick Woodman.

Conclusão

Falhar não é o problema, o problema é não aprender com os erros tentando fazer funcionar a mesma coisa que já não funcionou antes.

Tire uma fotografia da sua vida agora.

Se ela estiver legal, tudo 100%, parabéns!

Mas se ela não estiver 100%, perceba quais os caminhos que te levaram a estar onde está.

Aprenda com esses caminhos e tente não percorrê-los novamente.

Eu já errei bastante, mas como disse Nick Woodman, eu estou totalmente comprometido com o sucesso que estou disposto a trabalhar muito por ele.

E você?

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

4 provas de que a escola está escravizando nossos filhos

[ttshare]”Dinheiro é mansão no bairro errado, que começa a desmoronar após dez anos. Poder é o velho edifício de pedra, que se mantém de pé por séculos.” ~ Frank Underwood[/ttshare]

Para tornar a construção de fábricas ao redor do mundo possível, dois problemas precisaram ser resolvidos:

  • a necessidade de trabalhadores para produzir; e
  • a necessidade de consumidores para suprir a super-produção.

A solução para resolver o problema da falta de trabalhadores foi a criação de escolas públicas e para resolver o problema da super-produção, fomentou-se o consumismo.

Nas escolas, aprendemos o mindset de fábrica: seja substituível, como uma peça de uma máquina e consuma tudo o que puder.

Nossas crianças aprender a correr atrás de dinheiro como todas as outras porque são treinadas a acreditar que é no acúmulo de dinheiro que reside a segurança e a felicidade.

Conseguiram traduzir poder como acúmulo de dinheiro.

Poder é a capacidade de dominar a si mesmo, suas fraquezas e suas fortalezas para construir uma vida de valor na direção das suas próprias intenções.

O que se faz na escola, é remover a capacidade dos nossos filhos de aprenderem mais sobre si mesmos para decorar as melhores respostas as mesmas perguntas, inibindo a construção de valor e incentivando a busca de valor em tudo o que está fora.

4 provas concretas de que a escola está escravizando nossos filhos

1. As escolas incentivam a competição

Nas escolas existem os “bons” alunos (os que se adaptam) e os “maus” alunos (os que não se adaptam).

As escolas tem esquecido de estimular a colaboração, evidenciando o potencial do trabalho de um grupo com diferentes qualidades e maturidade.

Assim, o bom aluno sai da escola satisfeito por estar seguindo o caminho “certo” mesmo sem certeza disto e o mau aluno sai da escola desmotivado a seguir o seu próprio caminho.

O vitorioso e o fracassado se enfrentam diversas vezes vida adiante jogando suas frustrações em cima do outro através de várias formas de ataque.

“Escolas são fábricas que produzem alunos em um sistema de comando e controle” ~ Seth Godin (Tweet Isso)

2. As escolas acabam com a criatividade

Tudo que tem para se saber está em uma apostila e se uma pergunta vem sobre um “conteúdo” que ainda não está sendo “trabalhado”, ela é repreendida ou simplesmente recebe como resposta “ano que vem estudaremos isso”.

Afinal de contas, saber os pormenores da crise de 1929 faz muito mais sentido para a vida de uma criança que aprender como lidar com relacionamentos ou postura ética e moral.

A inspiração das crianças é aniquilada em troca da manutenção de um currículo escolar focado em remover qualquer estímulo a criatividade.

“Há apenas um tipo de comunidade que pensa mais em dinheiro do que os ricos: os pobres.” ~ Oscar Wilde (Tweet Isso)

3. As escolas colocam as crianças sob pressão

O seu filho é diferente do meu, tenha certeza disso.

Por mais que eles tenham a mesma idade, morem no mesmo bairro e sejam criados praticamente dentro da mesma cultura, eles são diferentes.

Entretanto a escola ignora isto e os enclausura no mesmo espaço, aprendendo as mesmas coisas e tendo que cumprir uma tabela semelhante para receber uma nota que os distinguirá.

Ambos tem que fazer isto e aquilo mesmo sem inspiração, sendo obrigados a se encaixar em uma caixa que talvez não naquele momento, eles desejem se encaixar.

“O problema está no sistema que pune artistas e recompensa burocratas” ~ Seth Godin (Tweet Isso)

4. As escolas isolam as crianças da realidade

A escola por vezes ignora que “lá fora” as ideias não são todas iguais, as regras não se aplicam a todos da mesma forma e o conflito faz parte da nossa natureza.

Na escola deveríamos aprender a conflitar de forma pacífica, deveríamos aprender a lidar com ideias diferentes, deveríamos conversar sobre o que acontece “lá fora” e dentro de nós mesmos.

Política, dinheiro, empreendedorismo e investimentos são assuntos ignorados pela escola mesmo sendo eles os assuntos que mais influenciarão o futuro da criança.

“Se o jogo resumisse a estudar história, as pessoas mais ricas seriam os bibliotecários.” ~ Warren Buffett (Tweet Isso)

Um dos homens mais poderosos e também mais ricos do mundo, Warren Buffett, tem algumas lições que eu, após anos admirando-o sua postura, caráter e ética à frente de seus negócios, sigo e que procuro passar para meus filhos por acreditar serem estas verdadeiras lições não aprendidas na escola.

3 lições de Warren Buffett sobre a vida que você deveria ensinar ao seu filho

  1. Perca dinheiro, mas não perca um pingo da sua reputação.
  2. A melhor maneira de se proteger das crises é aprender a gerar valor para o mundo com o que se tem.
  3. Faça aquilo pelo qual é apaixonado, pois se fizer isso você encontrará poucos concorrentes andando tão rápido como você.

Conheço empresários que preferem ficar com dinheiro no bolso do que pagar aqueles que devem.

Eles não valorizam o seu nome e mesmo assim desejam ser valorizados.

Conheço também pessoas que estão preocupadas em ganhar dinheiro, não em fazer dinheiro. Existe uma diferença crucial entre esses dois termos.

Ganhar dinheiro está mais para extrair algo do mundo sem agregar nada, enquanto fazer dinheiro está em construir algo para agregar valor ao mundo.

Quando Warren Buffett afirma que para superar uma crise é preciso gerar valor para o mundo com o que se tem, significa que mesmo em tempos de crise extrema como em uma guerra, temos que pensar sempre em resolver o problema dos outros, gerando valor paras as outras pessoas.

Isto definitivamente não se ensina na escola.

Por fim, faça aquilo pelo qual é apaixonado, não porque dá dinheiro ou porque todas as pessoas estão fazendo.

Uma moda passageira como dos sites de compra coletiva ou das food trucks pode lhe dar dinheiro durante um tempo, mas dificilmente te levarão a construir um legado que dure séculos.

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Página 2 de 16

Desenvolvido em WordPress & Tema por DoutorWP