Como desempenhar melhor cada um dos seus papéis

Já parou para perceber que existe um conflito enorme entre aquilo que você é e aquilo que você representa? Em cada um dos papéis que você representa existe uma demanda. Como mãe ou pai, esposa ou marido, filha ou filho, você pratica diariamente um exercício de servir a cada um desses papéis com excelência, o que por vezes te frustra e gera conflitos de relacionamento que, quando se agravam, geram guerras e disputas de território como aquelas que vemos no Oriente Médio. Cada um dos conflitos que observamos hoje na sociedade, do menor ao maior grau, tem as suas origens na capacidade de cada ser humano interpretar cada um dos seus papéis com eficiência. Como então trazer a paz para cada uma das nossas relações e eliminar as guerras da nossa alma?

MAPA DOS PAPÉIS
Eu adoro mapas mentais e além de utilizá-los no meu trabalho, também gosto de fazer uso deles para gerenciar melhor a minha vida pessoal de modo a colocar-me no centro e identificar e aperfeiçoar cada um dos meus pontos de contato com o mundo externo. Desta forma, decidi construir um mapa mental (que pode ser feito em uma folha de caderno, sem a utilização de qualquer software) sobre as minhas relações, ou melhor, os papéis que interpreto em cada uma delas.

Coloquei então no centro do papel, o meu nome e fui puxando linhas adicionando cada um dos meus papéis, complementando com uma breve descrição dos mesmos. Além disso, depois de ter inserido cada um desses papéis em todo o mapa (pai, filho, marido, genro, empresário, escritor, etc.) adicionei cada uma das pessoas com as quais me relacionava em torno deste mapa e puxei, para cada uma, uma linha que ia de um papel determinado para essa pessoa. Por exemplo, adicionei o papel “filho” e depois o nome da minha mãe e liguei as duas caixas. Como minha mãe também lê o que escrevo, puxei uma linha também do papel “escritor” para o nome dela, visualizando assim duas conexões entre eu e minha mãe.

Após ter ligado você aos papéis e os papéis às pessoas, adicionando uma breve descrição para cada um desses papéis, agora é possível adicionar os pontos positivos e negativos de cada uma dessas relações (ou conexões), comparando isto a descrição de cada papel desempenhado. Você pode escrever, por exemplo, que como mãe ou pai, dá pouca atenção ao seu filho, mas que ao mesmo tempo adora brincar com ele. A questão é apontar quais os pontos positivos e negativos de cada uma das relações para eliminar os pontos negativos e ampliar os positivos na próxima fase deste mapa mental dos papéis que são as metas.

Tendo apontado todos os pontos positivos e negativos de cada relação, agora é hora de escrever as metas para melhorar o “saldo” de cada uma das relações. Isso lhe dará uma visão global do seu posicionamento no mundo e tornará a sua vida com a das outras pessoas melhor. Assim, adicione, para cada papel, as metas que pretende alcançar em cada um deles. Pode ser, por exemplo, diminuir o tempo gasto no computador assistindo a vídeos no YouTube para aumentar o tempo que passa estudando na sua relação com os professores da faculdade.

ASSUMINDO A RESPONSABILIDADE

Enquanto você procurar culpar os outros, os problemas continuarão aí ao seu redor. Somente quando assumir a responsabilidade pelo o que acontece à sua volta é que as coisas progredirão.

Cada um de nós só está aqui para melhorar a si mesmo servindo cada vez mais aos outros. Você pode dizer que não, que precisa ter coisas e pessoas para você e até mesmo lutar por isso, mas eu lhe digo que este comportamento é necessário para iniciar-se no caminho de perdas, desilusões e sofrimentos contínuos que o levarão a compreender que quanto mais passos você dá, mais próximo você estará de abandonar a si mesmo em prol do serviço à sociedade.

Criando um mapa mental das suas relações e dos seus papéis, possibilitará que você identifique onde precisa melhorar (a si mesmo) para servir melhor aos outros em cada uma dessas relações. Isto colocará a responsabilidade no seu colo e lhe fará se questionar sobre cada uma das suas atividades para que, de uma maneira geral, você se coloque a parte das situações para levar paz e tranquilidade aqueles que o cercam e, consequentemente ao restante do mundo.

Você não se sente transformado quando chega até um lugar e é recebido por pessoas sorridentes, risonhas e amáveis? Todos nós saímos desses lugares como que renovados e cheios de energia. Fatalmente, iremos contagiar a próxima pessoa que chegar até nós com esta energia e ela, por conseqüência, contagiará a próxima. Porém, o mais importante de praticar esse exercício de visualização de todos os seus papéis e se dedicar a desempenhar melhor cada um deles, está no fato de você assumir que tem responsabilidade total por tudo o que lhe acontece e que cada um desses papéis não é você, é somente um personagem interpretado pela sua personalidade para satisfazer melhor a necessidade dos outros e exercitar completamente a sua moral.

Uma pessoa que não assume bem cada um dos seus papéis é tachada de irresponsável e inconsequente. Ela provavelmente passa seus dias olhando para fora para descobrir quem poderá culpar hoje pelos males que tem “sofrido”. Essa pessoa também está evoluindo como nós e mais cedo ou mais tarde perceberá que ela é responsável pelas suas atitudes e que são essas atitudes que geram as suas relações conflitantes. Porém, enquanto esta pessoa não se coloca nessa posição humilde e responsável, ela gera tensões em cada uma das suas relações e provoca guerras motivadas pela impressão egóica de que ela é fruto dos males da sociedade e não a causadora.

Como nós já aprendemos que é preciso que nós sejamos a diferença que desejamos para o mundo e que o mundo continua girando mesmo sem a nossa presença, torna-se necessário, para melhorar a nossa qualidade de vida e principalmente daqueles que nos cercam, que nós sejamos os responsáveis pelas nossas relações e assumamos o compromisso de tornar o nosso “mundinho” (o pequeno “mundinho” de 50 pessoas que conhecemos) um lugar melhor para viver, sem conflitos e sem guerras. Portanto, tente criar o seu mapa mental de papéis e relações e perceba como melhorará a maneira como você se vê e encara o mundo.

Humildade e não-violência no coração de cada um de nós.


Conteúdo extra: baixe o livro Como Investir Começando do Zero e aprenda como você pode investir melhor o seu dinheiro sem ser um especialista.