Atire a primeira pedra aquele empreendedor que não achou a sua ideia maravilhosa desde a primeira vez que ela lhe subiu à cabeça. Atire a primeira pedra aquele que não fica pulando de ideia em ideia tentando encontrar o seu “galho”. Eu fui um cara assim durante muito tempo. Achava minhas ideias maravilhosas, tinha aquela ignição fundamental e me colocava a trabalhar e trabalhar sem pensar muito nas consequências nos meus empreendimentos. Não controlava minha “força empreendedora” e acidentalmente me estabacava no próximo poste como alguém que desce uma ladeira sobre uma bicicleta sem freio.

Se você usar toda a sua força, a luta acaba antes do tempo previsto

Comecei a treinar jiu-jitsu esta semana. Isto mesmo. Após anos tentando praticar esportes como escalada, tênis e corrida e me amansar através de meditação e ioga, decidi gastar um pouco da minha energia em um esporte muito parecido com o xadrez onde você entra com as mesmas peças que o oponente para o jogo e só vence se tiver mais cabeça que ele.

Hélio Gracie

Hélio Gracie

Na primeira aula técnica onde o professor faz uma base bem apoiada sobre você e tenta passar a guarda, fiquei fazendo uma força imensa para segurar o seu quimono evitando a todo custo qualquer movimento de sua parte. Além de não permitir que ele se movimentasse, eu também não fiz qualquer movimento e gastei toda minha força para segurá-lo ali na mesma posição. Por um minuto isso funcionou e até me pareceu estar valendo à pena, mas quando percebi uma chance de aplicar uma das técnicas que havia aprendido naquela aula e tentei segurar mais acima o seu quimono, minhas mãos não tinham força para fazer a pegada. Ali, ele parou a luta e me ensinou a primeira lição:

Se você gastar toda a sua força para impedir os meus movimentos, não vai ter força suficiente para fazer os seus.

A lição aprendida iniciou em mim uma série de lembranças do tempo onde eu fazia as coisas por imposição da força e do gás, gastando tudo o que podia no início da batalha sem reservar qualquer energia para o meio e final da luta. Lembrei de quando iniciava uma escalada com todo o pique e “morria” depois de um tempo. Lembrei também dos inúmeros negócios “excelentes” que tive que sem qualquer planejamento, afundaram em poucos meses. De fato, precisava estabilizar e controlar a minha força.

Estabilize e use a força a seu favor

Existe uma força intrínseca no nosso corpo e que pode funcionar a favor ou contra nós durante uma luta. No jiu-jitsu não há força, existe sim a “pegada” e técnicas para “tirar o equilíbrio” do oponente, mas não força. Ou melhor, a única força que se utiliza é aquela força mecânica utilizada para dar uma chave para imobilizar o oponente. Força bruta não existe.

Apesar dos poucos dias que tive contato com o esporte, encontrar a arte nele é tarefa para quem é equilibrado e utiliza a sua estabilidade e coordenação motora para desestabilizar o oponente. Uma simples puxada no ombro do oponente já desloca a sua postura e o coloca em uma posição desfavorável à sua. O me leva sempre a pensar no quanto somos frágeis.

Pense comigo. Essa coisa de estabilidade tem a ver com namoros, lutas, empreendimentos e praticamente tudo na nossa vida. Quando somos adolescentes temos aquelas paixões da adolescência onde deixamos os nossos hormônios dirigir as nossas vontades para ficar todos os dias (e se possível todos os momentos) com nossos amantes. Nesta época nós não queremos saber de mais nada a não ser viver aquela paixão com toda força até que… o fogo queima e a paixão acaba em algumas semanas e fica o marasmo. Mas aí não sossegamos, queremos mais prazer, mais paixões e seguimos em busca de um novo amor, mesmo que inconscientemente. Encontramos, nos apaixonamos novamente e seguimos assim até que após várias crises nos conscientizemos que é melhor “ir devagar”.

Você não precisa criar a sua empresa de hoje para amanhã. Você pode colocar a sua ideia em prática de hoje para amanhã, mas criar a sua empresa vai demorar. Vai demorar porque você precisa se estabilizar para ir pouco a pouco ganhando o seu mercado desestabilizando os seus adversários. Quanto mais estável você for nos seus amores, nos seus empreendimentos e nas suas lutas, mas o mundo à sua volta irá confiar em você e compreender que o seu ponto mais positivo não é ser forte, mas controlar sua própria força.

Grande não é quem bate, mas quem resiste e controla a sua força para se erguer a cada queda.

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

CONTEÚDO POR E-MAIL

Digite o seu e-mail abaixo e receba semalmente artigos, vídeos e dicas direto no seu e-mail