skip to Main Content
A Felicidade Do Foda-se

Hoje em dia temos a obrigação de ser feliz.

Ou pelo menos parecer feliz em nossas “timelines” do mundo real e virtual.

Uma felicidade cada vez mais individualizada medida pela:

  • quantidade de vezes que você faz sexo por semana;
  • quantidade de dinheiro que você faz;
  • quantidade de coisas que você tem;
  • quantidade de vezes que você viaja por ano; e
  • quantidade de gordura no seu corpo.

Uma felicidade orientada para o umbigo e promovida aos quatro cantos pelos livros de auto ajuda e pelos gurus espirituais da modernidade.

O mantra da vez é:

Busque a sua felicidade a qualquer custo que quando todos estiverem felizes individualmente, todo o mundo será feliz.

  • Se você tiver que trair sua esposa ou marido ou terminar um casamento de anos para transar mais vezes por semana, FAÇA.
  • Se você tiver que passar por cima das outras pessoas e até da lei para fazer mais dinheiro, FAÇA.
  • Se você tiver que se endividar para ser dono de mais coisas como um carro novo ou uma casa nova, FAÇA.
  • Se tiver que trabalhar de segunda a segunda deixando a sua família de lado para conquistar tudo isso e ainda viajar muitas vezes por ano, FAÇA.
  • E se você tiver que retirar um pedaço do seu corpo para emagrecer mais rápido, FAÇA.

O importante é você buscar a SUA felicidade e os outros que entendam porque VOCÊ MERECE SER FELIZ ACIMA DE TUDO.

O perdão virou o botão “reset” das cagadas que você fez para buscar a sua felicidade.

E se for preciso você magoar, corromper e destruir, FAÇA, peça perdão e deseje de todo o coração que todos compreendam e perdoem você.

Se você achou esse texto irônico, é porque é.

Pois não é possível que uma sociedade seja feliz enquanto estivermos olhando para o nosso umbigo, assim como já vimos que não é possível que a sociedade seja saudável e próspera quando cada um corre atrás do seu e não do conjunto.

É o conflito entre o “cada um por si e Deus por todos” e o “um por todos e todos por um”.

Se para você ser feliz você precisa causar a infelicidade dos outros, nós nunca seremos felizes em conjunto.

A felicidade plena só é alcançada quando atuamos com compaixão olhando para o outro e buscando entender o mundo a partir do outro para poder tomar a melhor decisão para nós e para ele.

Mas compaixão e felicidade é assunto para outro texto.

 

Marcos Rezende

Empreendedor, criador de sites em WordPress na DoutorWP, faixa roxa em jiu-jitsu brasileiro e vestibulando de filosofia da UFPR 2018 que em 2008 criou este site e a empresa Insistimento com a missão de vida motivar e apoiar pessoas a superar seus medos e suas crenças para se tornarem elas mesmas.

Deixe uma resposta

Back To Top
Close search
Buscar