Como trabalhar no que ama e também ganhar dinheiro

Sempre quis ser escritor. Sempre. Aliás, sempre quis ser pago para estudar desde a infância. Me imaginava um cientista ou alguém cursando a vida acadêmica, mas tomei outros rumos que me distanciaram desse sonho. Fiz um curso técnico para sair do segundo grau já empregado e depois entrei para a área de informática porque dava dinheiro e assim sucessivamente, guiei as minhas decisões. Onde dava mais dinheiro, eu ia.

Acontece que viver em torno do dinheiro cansa porque não importa o quanto você coma ou o quanto você tenha, o dinheiro por si só não te alimenta. Principalmente se você tiver um sonho de trabalhar naquilo que ama (um escritor neste caso).

Todos os anos eu faço um movimento de abandonar aquilo que não me serve mais para abrir espaço a coisas novas. Faço doação de roupas, livros e outros objetos. Termino relacionamentos amorosos e profissionais buscando me livrar completamente de qualquer peso que me impeça de receber o novo.

Sou até meio neurótico com isso. Quando vejo que algo que passei o ano me dedicando a alguma tarefa que não está funcionando muito bem, faço questão de não deixar chegar o meu próximo aniversário sem me livrar daquele peso. Em algumas vezes que tomei essa atitude sem reflexão, inclusive, me renderam até processos. Mesmo assim, é um exercício que recomendo quando colocado em prática com mais maturidade e reflexão como faço hoje.

Por outro lado, quando observo que algo está dando certo, opto por fortalecê-lo. Seja algum objeto que comprei e funciona bem ou um relacionamento que flui com naturalidade.

Foi assim que nesse movimento de abandono e abertura para novas coisas me exercitei nos meus 20 anos de carreira para alcançar a tão sonhada meta de viver da escrita e ser pago para estudar. Abandonei várias profissões, relacionamentos e coisas para construir mais rápido a vida que eu desejava ter.

Com a popularidade do meu último artigo, ficou claro para mim que o meu ofício é realmente escrever e que a minha meta e viver como escritor e estudante está cada vez mais próxima de ser alcançada. Alegria!

Este artigo não é para falar de mim, mas compartilhar com você duas dicas fundamentais para quem não sabe o que fazer da vida ou que já sabe, mas que não faz ideia de como ganhar dinheiro com isso. Algo muito comum e que acaba nos impulsionando na direção de não fazer o que gostamos por acreditarmos que o que gostamos não dá dinheiro.

“Imagine uma nova história para sua vida e acredite nela.” ~ Paulo Coelho (Tweet Isso)

Defina o que você ama

Pela minha experiência orientando a carreira de outros empreendedores, a chave para o que você ama sempre está na sua infância, época na qual sua personalidade tinha menos “camadas”. É nesta época que você deve procurar o seu “ofício perdido”, pois é nela que você agia de forma mais natural.

Meus pais não precisaram me obrigar a estudar, a ler ou a construir um mini-laboratório de ciências na casa de um amigo. Eu me amarrava naquilo! Adorava frequentar bibliotecas (na época não existia internet) para descobrir como funcionava energia eólica, pois na adolescência eu e esse meu amigo cultivamos o sonho de desenvolver um carro movido a ar.

Foi na infância que você acordava todos os dias preparado para “mais um dia de aventuras” como costumamos falar aqui em casa. Você jogava bola, brincava de boneca e fazia carrinho com caixa de papelão da forma mais natural possível, sem preconceito algum. O amor pelo mundo, pelas coisas e pelas pessoas brotava de você como uma nova flor brota no jardim todos os dias. Na infância, você era um ser humano no seu estado mais natural.

Porém, na hora de definir aquilo que você ama, livre-se de qualquer rótulo, pois se eu focasse em ser cientista, talvez hoje fosse uma pessoa frustrada por não ter atingido essa meta e não alguém motivado a persistir na carreira (à minha maneira) de escrito. Concentre-se na tarefa e não no rótulo.

Alguns poderão falar que adoravam jogar bola na rua e que queriam ser jogador de futebol quando na realidade, o que realmente gostavam, era de pertencer a um grupo ou de motivar os colegas. Hoje poderiam ser gerentes de projeto ou palestrantes motivacionais, entre outras profissões.

Não pense em como ganhar dinheiro com aquilo que você ama. Foque primeiro em conhecer aquilo que você ama.

“A única maneira de fazer um grande trabalho é amando o que faz.” ~ Steve Jobs (Tweet Isso)

Impacte a sociedade

Eu amo escrever, realmente amo, mas de nada adiantaria escrever se eu não consigo realizar o trabalho de escritor e viver desse ofício, uma vez que tenho contas para pagar e objetivos a conquistar. Como então trabalhar naquilo que eu amo e ainda ganhar dinheiro? A resposta está na minha dedicação ao objetivo de impactar a sociedade com o meu trabalho.

Todos os grandes nomes da humanidade, só chegaram até esse patamar de sucesso porque conseguiram atingir um grande número de pessoas com seus ofícios. Paulo Coelho não se contentou em escrever livros como hobbie, mantendo em segredo suas histórias dentro do seu quarto. Silvio Santos não se contentou em ser apenas um comunicador, agindo nos bastidores. E tampouco Ozires Silva se contentou em ser engenheiro aeronáutico de uma grande empresa de aviação.

Cada um deles descobriu aquilo que amava e que fazia de melhor para utilizar essa força e impactar a vida do maior número de pessoas possível. Ozires criou a Embraer, Silvio criou o SBT e Paulo se tornou o escritor brasileiro que mais vendeu livros em todo o mundo.

Quando você encontra aquilo que te apaixona, aquela atividade que te dá tesão, você precisa aumentar o número de horas dedicada aquela atividade diariamente sempre com o foco de impactar a vida do maior número de pessoas.

Quando comecei a escrever por aqui já sabia que o meu trabalho era escrever e que ele só seria bem sucedido quando eu realmente começasse a “alfinetar” os empreendedores e a sociedade com as coisas que eu penso. Isto geraria o impacto que me proporcionaria viver dessa função. Mesmo estando à frente de outros negócios que nada tinham a ver com o ofício de escritor, aumentei gradativamente a minha carga de trabalho por aqui para praticar todos os dias o exercício da escrita.

“Trabalhe duro e em silêncio. Deixe que seu sucesso faça o barulho.” ~ Dale Carnegie (Tweet Isso)

Você vai passar dias, meses e até anos trabalhando no ofício que ama, mas um dia o reconhecimento pelo seu trabalho chegará se você mantiver o foco constante em impactar seus clientes com o que você tem de melhor. Este é o ponto.

O dinheiro virá através de mais clientes, publicidade, venda de produtos ou serviços, etc. Ele virá porque você desenhou o seu modelo de negócios para atender as suas necessidades, as necessidades daquele sonho que você cultiva desde a infância.

Se você focar no dinheiro e não no ofício, você nunca conseguirá rentabilizar tão bem o seu negócio. É preciso fazer justamente o oposto para obter sucesso. Isto porque pensando somente no dinheiro, você acaba se ocupando demais com os seus problemas do que com os problemas das outras pessoas, clientes da sua empresa.

Para viver do seu ofício, você precisa pensar nos problemas dos outros para solucioná-los.

Esta foi uma pequena introdução sobre trabalhar fazendo o que ama, agora que fui inspirado pela repercussão do meu artigo anterior. Senti uma necessidade de compartilhar com você este caminho que percorri porque espero, de coração, que ele lhe sirva de amparo naquelas horas em que você cogita não haver mais solução para a sua vida.

Como alguém que teve pais técnicos e que teve toda a sua formação como técnico, foi difícil me imaginar trabalhando como artista, mas hoje, felizmente consigo enxergar o final dessa história mais feliz do que quando ela começou.

“Quer você acredite que consiga fazer uma coisa ou não, você está certo.” ~ Henry Ford (Tweet Isso)


Conteúdo extra: baixe o livro Como Investir Começando do Zero e inicie a sua jornada de forma inteligência rumo a independência financeira.