Ideias não faltam, o que falta é planejamento

Dias atrás recebi um e-mail dizendo que ideias não faltavam. O que faltava era dinheiro, contatos, etc, etc. Não falta dinheiro e não faltam contatos. Falta planejamento. Há um tempo, quando disse que tudo era possível e de que não existia impossível, estava falando sério. Se ideias não faltam e se são elas o início de tudo o que se materializa no mundo, o que falta? Bem, como disse anteriormente, falta planejamento da execução. E é sobre isso que gostaria de falar hoje: como ser empreendedor e planejar suas ações.

SER EMPREENDEDOR É DIFERENTE DE SER EMPRESÁRIO
Empreendedor é um cara que tem muitas ideias. Ele é a fonte da prosperidade da sociedade. Uma fonte de inovação que não cessa de gerar novos negócios à frente do seu tempo. Ele enxerga as oportunidades em todos os lugares por onde passa e não pára de criar. Já empresário é um cara que administra o dia a dia da empresa. Ele é quem mantém um negócio funcionando e crescendo. Ele administra o fluxo de caixa e administra as relações interpessoais de toda a empresa. Ele cuida de tudo. Ele se mantém atento a frente do leme do negócio para fazer com que o seu sucesso atinja as expectativas do empreendedor.

UM EMPREENDEDOR PODE SER UM EMPRESÁRIO
Esse é o melhor dos profissionais de negócios, pois ao mesmo tempo em que cria, sabe executar. Quando um empreendedor se transforma em empresário, suas possibilidades duplicam em proporções incríveis. Imagine alguém que enxerga uma oportunidade no mercado, rapidamente identifica o que precisa ser feito e logo executa a operação. Depois que sua ideia está sendo executada, ele delega tarefas, deixa a coisa funcionando, administrando aqui e ali ao mesmo tempo em que parte para um novo negócio. Que senso de oportunidade e execução! Um dia, quero ser esse cara!

O PROBLEMA DE TER MUITAS IDEIAS
O problema de ter muitas ideias está no fato que se não executadas corretamente, passarão ao mundo uma ideia de irresponsabilidade. Você já deve ter conhecido empreendedores, que a cada mês criavam um novo negócio para si, sem terminar o último que havia começado. Pois é, este é o problema de ter muitas ideias. Quando vejo um empreendedor assim, sempre penso que ele deveria primeiro focar em algo que funcione para provar para si mesmo seu potencial. Mesmo que falhe, faça isso somente em uma coisa só e não em várias. Assim, em uma roda sucessiva de tentativas e erros, ele aprende um pouquinho de cada vez.

PLANEJAMENTO x ANSIEDADE
Os tempos atuais são de uma ansiedade enorme. Com as facilidades tecnológicas que temos na palma da mão, ansiamos por acertar o mais rápido possível, para descansarmos na mesma velocidade. Isto não acontece quando nos planejamos. Muitos jovens querem sair da faculdade e ficar ricos de uma hora para outra. Alguns mostraram que isto é possível, mas garanto que não foi de uma hora para outra. Criar uma empresa como Google ou Facebook, não foi algo que aconteceu do dia para noite. Foram necessários muitos dias e muitas noites indo na mesma direção, para esses empresários chegarem na posição em que estão. Como empreendedores, eles tinham a visão da oportunidade, e como empresário, a determinação e constância necessárias para atingir suas metas.

ESQUEÇA O DINHEIRO E TESTE, TESTE E TESTE
Faça um teste com a sua ideia. O que você pode fazer hoje, para concluir alguma tarefa que te leve de encontro à conclusão do seu projeto? E mais. Se hoje você diz que precisa de mil reais para colocar o pé na rua, o que você pode fazer com cem reais para me comprovar que se eu te der três mil, esse dinheiro se multiplicará em alguns meses? Teste a sua ideia, ao invés de ficar pensando nos problemas que você enxerga hoje que não lhe deixam executá-la. Tenho certeza que, um empreendedor mais experiente e sabido, consegue colocar a sua ideia na rua com muito menos.

UMA HISTÓRIA DE EMPREENDEDORISMO AMADOR
Houve uma história de um senhor que morava nas ruas, mas que sempre que precisava de dinheiro sabia o que fazer. Ele pedia esmola durante um dia ou dois e com o dinheiro que obtinha, ia até uma borracharia na cidade e comprava restos de câmara de pneu. Com esses restos de câmara, ele fazia estilingues com galhos que tirava das árvores das ruas e vendia-os nos sinais de trânsito. Dali ele tirava o seu sustento por mais alguns dias ou até meses.

Ele poderia ter parado na ideia e permanecer pedindo esmolas nas ruas por toda a sua vida, mas preferiu parar um pouco mais adiante. Preferiu continuar pedindo esmolas, multiplicando o dinheiro com a venda de estilingues e novamente voltar pras ruas. Você também pode parar na sua ideia e continuar esmolando atenção do mundo, ao invés de se planejar e pensar o que pode fazer com o pouco que tem. Você, só você, é quem decide quando parar para voltar a esmolar.


Conteúdo extra: baixe o livro Como Investir Começando do Zero e aprenda como funciona o mundo dos investimentos (recomendado para pais e filhos).