Sobre Marcos Rezende

Largou o emprego aos 28 anos para se tornar empresário.

Hoje, aos 35 anos, está à frente de empresas como Insistimento, Ecoville Portas Especiais e Lampejos, pratica regularmente jiu-jitsu, é pai de dois filhos e padrasto de duas meninas e mentor de outros empreendedores na Academia Insistimento.

  • Alex

    Olá, parabéns por compartilhar esta experiência. Não é nada fácil, sei bem disso… Abraço,

    • insistimento

      Obrigado Alex por apoiar!

  • Obs

    Acompanho esse site de empreendedorismo há alguns meses, e sempre pensei que esta era a sua empresa mais viável. Existe esse nicho no Brasil e vc, com os seus talentos, deve apostar nele. Tenho vontade de fazer o curso “monte uma empresa do zero”, quanto custa?

    • Obs

      Apenas uma observação: não sei a viabilidade financeira-logística disto, mas eu gostava quando o site tinha vários colunistas. Acredito também que os classificados poderiam voltar!

      • insistimento

        É difícil que outros colunistas escrevam com periodicidade, mas o site continua aberto a eles. Os classificados foram um modelo de negócio que não pegou e assim o Insistimento se torna mais um site voltado para educação. Sobre o curso, obtenha informações aqui negociodozero.com.br

  • Diego

    Bela Experiência Marcos, e muito boa a iniciativa de compartilhar isso , desta forma propagando o aprendizado.

    • insistimento

      Obrigado Diego pelo feedback e comentário.

  • Welinton N Rocha

    Aconteceu comigo.
    E para me distrair embarquei em um projeto que me dava dinheiro, tirava meu tempo, meus relacionamentos, trabalhei infeliz por mais de um ano. O dinheiro era bom, mas “consumia minha alma”…
    Até recuperar minha auto estima e recomeçar em um projeto que está me fazendo muito feliz. Não é fácil mas estamos no caminho certo. E o que salvou essa retomada foram os relacionamentos preservados com clientes, amigos e fornecedores.
    Obrigado Marcos por compartilhar sua experiencia e técnicas de INSISTIMENTO.

    • insistimento

      Obrigado também Wellinton por compartilhar a sua experiência.

      • Gustavo

        Mas e quando não fazemos ideia do que seria esse projeto que nos dá tesão? Aprendi aqui com o Marcos que é garantia de frustração futura começar um negócio pensando no rendimento. Mas como descobrir o que realmente me faz sentir na minha missão, quando não sei qual é ela?

        • insistimento

          Olá Gustavo. Basta observar os assuntos pelos quais não precisaria ser pago para trabalhar. Eu poderia falar sobre empreendedorismo e desenvolvimento pessoal por anos a fio sem receber nada em troca, mas criei um modelo de negócio que me permite viver desta paixão.

  • Roger

    Olá!
    Meu nome é Roger e trabalho junto de meu pai, irmão e irmã em uma empresa que esta com meu pai a quase 30 anos. Infelizmente hoje passamos pela pior crise de todos os tempos e não sabemos mais o que fazer para sair desta crise. Estamos com dificuldades em pagar nossos fornecedores e esta semana será a primeira vez destes quase 30 anos que não temos dinheiro em caixa para pagar o ale dos empregados.
    Estou ficando doente e ando muito amargurado em pensar que a qualquer momento poderemos fechar as portas.
    Diretamente hoje, nossa família depende dos rendimentos desta empresa, e pensar que se chegarmos a fechar, não sei de que rendimentos meu pai irá sobreviver.

    Carrego comigo um fardo que me consome por dentro. Não tenho ninguém para compartilhar o que sinto, porque na verdade não consigo conversar com as pessoas e expressar os meus sentimento.
    Estou sem saída, se souber de algo que possa me ajudar será de grande ajuda.
    Grato!

    • http://www.insistimento.com.br/ Marcos Rezende

      Roger, sem saber o ramo da empresa ou o que houve para vocês chegarem a esta situação, não tenho muito como lhe ajudar.

      Um amigo meu, do ramo da construção civil, ficou 20 dias com a empresa fechada e dezembro, o que fez acumular boletos para pagar sem que chegassem novas vendas.

      Em janeiro ele está passando por dificuldades, com o dinheiro muito curto, mas com a entrada do ano novo as vendas começaram a entrar e daqui a 10 dias tudo estará normalizado.

      A dica nesse caso, foi não se desesperar e investir em captar mais clientes para poder capitalizar a empresa.

      Se a sua empresa hoje só está pagando sem estar recebendo, tem um problema comercial grande que precisa ser resolvido com urgência.

      O ideal para uma empresa em crescimento, é ter o problema ao contrário do seu, muitas vendas e dificuldade na entrega que acaba se resolvendo com a contratação de mão de obra e investimentos na produção.

    • JULIETA

      ROGER PODEMOS AJUDAR ENTRE EM CONTATO JULIETA_73@HOTMAIL.COM