Paz e filhos: mais um ano de serviço e realizações

Uau! Ufa! Na realidade não sabia muito bem como começar esse texto. Uau porque chego aos 32 anos de idade e olho para trás e vejo uma vida totalmente preenchida em todos os seus aspectos e isso me traz bastante alegria. Ufa porque também olho para trás e vejo trabalho atrás de trabalho, exercício atrás de exercício e isso me cansou bastante. Esse é um texto offtopic, fora do escopo dos artigos que publicamos aqui no site, mas minha intenção com ele é fazer um balanço das coisas que aprendi em três anos à frente deste projeto e 32 anos à frente da minha vida.

Nunca havia escrito um texto como esse para fazer um balanço público da minha vida, mas senti a necessidade de fazê-lo para compartilhar algumas pequenas lições a respeito da minha vida. Hoje, com 32 anos, casado pela quarta vez, pai de dois filhos, padrasto de duas filhas e tocando dois projetos totalmente diferentes (Insistimento e Noxion) sinto-me contente por estar cometendo menos erros que há alguns anos atrás. Apesar de ter decorado a frase “Andar na terra sem pisar o solo” do Fernando Pessoa, errei muito, machuquei muita gente e deixei minha marca na humanidade de uma forma não muito elegante. Agi, muitas das vezes como alguém que acabou de jantar e não lavou a própria louça.

TOLICE
Quando falo que aprendi algo nesses 32 anos de vida, não estou querendo dizer que todos os dias desses 32 anos eu aprendi alguma coisa. Na verdade, aprendi que na maioria das vezes é preciso errar bastante para descobrir que está sendo um tolo. Fui tolo diversas vezes. Fui tolo quando hesitei continuar como empreendedor aos 14 anos e optei por uma carreira tradicional. Fui um tolo quando acreditei que eu era alguém somente por ganhar um pouco mais de dinheiro que os meus amigos na época ganhavam. Fui um tolo quando lidei com cada relacionamento amoroso sem nenhuma responsabilidade pela outra pessoa. Enfim, fui um tolo quando fiz o melhor que faço da maneira errada: conquistando e liderando gente, mas abandonando-as quando elas já não era mais meu interesse.

OS OUTROS
Ser egoísta é uma marca da minha personalidade. Tenho que conviver com instintos egoístas a todo momento e me concentrar muito em pensamentos altruístas para destruir esses instintos e não causar danos a outras pessoas. Estou me equilibrando, mas estou longe de ser equilibrado. Conquistei mais pessoas e liderei mais gente. Hoje sou capaz de segurar com mais força a mão dessas pessoas do que a minha própria mão se estivesse na mesma posição que elas. Se há outra coisa que aprendi, é que os outros são mais importante que nós mesmos.

A MINHA PARTE
Sinto a cada dia que estou fazendo a minha parte nessa grande história que é a vida. A cada novo post, a cada nova mensagem no Twitter e a cada novo fã no Facebook, sinto que a mensagem de trabalhar e empreender com os seus talentos está sendo passada adiante. Fazer a sua parte é gratificante porque ao mesmo tempo que você sente que contribuiu com algo, você na realidade é o maior beneficiado por ter se exercitado a tal ponto de deixar o seu potencial se expandir totalmente para os outros sem exigir nada em troca. Consegui neste terceiro ano, deixar a imagem do Insistimento ser conduzida não somente por mim, mas por uma equipe e ainda consegui implementar na Noxion toda a filosofia que divulgamos por aqui. Fazer parte disso é muito empolgante. Trabalhar em dois projetos tão opostos é excitante, pois enquanto o Insistimento é quase que uma filantropia, a Noxion é capitalismo puro.

OPOSTOS
Aliás, de opostos vive a minha vida. Por muito tempo fiquei chateado por viver tantos confrontos praticamente ao mesmo tempo dentro da minha própria cabeça que esquecia o quão bela era a minha vida. Aprendi que não dá para tirar férias da vida e se a vida é assim, esse é o exercício que devemos praticar. Foi assim que comecei a largar mão do meu próprio eu e enxergar a abundância presente em todos os momentos. Não tenho todo o dinheiro do mundo no banco, mas tenho todo o potencial para fazer acontecer bem aqui, bem agora nas minhas mãos. O dinheiro nos limita, o potencial nos expande.

PAZ
Cultivei amigos, ao invés de clientes. Parceiros, ao invés de fornecedores. Amigos ao invés de membros de equipe. Isto tudo, só nos últimos três anos. Até os 29 anos, era apenas mais um cara arrogantemente normal. Naquela época, não sabia o que era ter paz nas relações e tive que me esforçar nos últimos anos para recuperar a confiança de pessoas que ficaram perdidas no meu caminho. Entendi que a paz é o equilíbrio em cada relação. Paz. Só a Paz. Só esta palavra dita já traz Paz.

FILHOS
Antes de ter filhos ouvia outras pessoas dizerem que um filho dá movimento a vida. Pois é, dá mesmo. Tenho um filho no Rio de Janeiro, cidade onde nasci e fui criado, que visito todos os meses. Brincamos juntos, curtimos juntos um ao outro um pouco e volto para Curitiba. Aqui, tenho uma filha pequena, que vivo uma segunda paternidade, mais próxima, super próxima. Além disso, mais duas enteadas compõem o acampamento. Uma de 15 anos e outra de 12 anos que me permitem viver uma terceira paternidade. Com essas quatro pessoas aprendi que amar é mais dar que receber, é apaixonar-se por outra pessoa sem nunca querê-la para si, é doar-se por inteiro, até a sua própria vida, para que ela não sofra ou desapareça.

ALGUNS PONTOS
Tentei resumir brevemente alguns pontos dos meus 32 anos em forma de lista, o que resultou nos pequenos itens abaixo. Utilize-os como desejar:

  1. Nascemos na família que tínhamos que nascer. Reclamar disso é bobagem.
  2. Somos educados da maneira como tínhamos que ser. Questionar isso é ignorância.
  3. Nossos irmãos são nossos melhores amigos.
  4. Nossos irmãos nos dão a oportunidade de nos dedicarmos ainda pequenos a outra pessoa.
  5. Nossos irmãos são como um brinquedo grande.
  6. Machucar um irmão não é legal, mas faz parte.
  7. Ver um irmão machucado é sentir dó de ver seu melhor brinquedo quebrado.
  8. Aprender a dançar com um irmão é ter um parceiro de dança pra vida toda.
  9. Livrar seu irmão de apuros é normal. Ele ficará de devendo uma.
  10. Sempre que possível, ande de bicicleta.
  11. Sempre que possível, ande de bicicleta e desça uma ladeira.
  12. Sempre que possível, desça uma ladeira de skate.
  13. Ralar-se no asfalto não e depois tomar banho arde pra caramba.
  14. Apaixonar-se vale à pena, ainda mais quando a paixão é pela profissão.
  15. Apaixonar-se vale à pena, ainda mais quando a paixão é pela própria vida.
  16. Refletir é sempre uma melhor opção do que discutir.
  17. Numa discussão, seja sempre aquele que fica com a boca fechada.
  18. Boca fechada não entra mosca.
  19. Pai é o único amigo para quem você pode contar de tudo.
  20. Nossos filhos são como nossos mestres.
  21. Colecionar viagens é melhor que colecionar bens.
  22. O problema não são os outros, somos nós
  23. O que enxergamos não é a realidade, é a nossa interpretação da realidade.
  24. O problema não é a política, a religião ou a organização. O problema são as pessoas.
  25. Não tente agradar ninguém, nem a si mesmo.
  26. Sirva aos outros, para agradá-los ao máximo.
  27. Beba bastante água e faça jejum sempre que possível.
  28. Tomar leite enquanto se está gripado ou com dor de garganta só piora as coisas.
  29. Sempre que possível, tome um sorvete. Isso sempre melhora os ânimos.
  30. Não tente ganhar dinheiro. Ganhe dinheiro.
  31. Não faça nada pelo dinheiro. Faça pelo trabalho.
  32. Seja sincero, doa a quem doer.

Obrigado por você me dar a oportunidade de servi-lo com os meus talentos. Nos encontramos nos próximos 104 artigos desse próximo ano de insistimento.


Conteúdo extra: baixe o livro Como Investir Começando do Zero e aprenda como funciona o mundo dos investimentos (recomendado para pais e filhos).