Você já experimentou a angústia de não ter controle algum sobre o que acontece na sua vida?

A gente sai na rua e tanta coisa pode acontecer com a gente sem que escolhamos que dá uma certa angústia continuar vivendo.

Porque, no final das contas, queremos estar sempre no controle, seja das coisas ruins como das coisas boas da vida.

  • Acidentes de trânsito podem acontecer
  • Uma chuva repentina pode cair.
  • Como podemos nos apaixonar de repente.

O nosso problema com o controle é que queremos considerar a nossa vida como um produto acabado, um livro, uma caixa, algo pronto.

Quando na realidade a vida não é um produto acabado.

Recentemente um amigo meu retornou de uma viagem que fez de cinco semanas pela Transiberiana, indo da Rússia até China em um vagão de trem onde dividia espaço com outras três pessoas.

Ele comentou que foi bastante meditativo estar nesse trem onde pessoas embarcavam e desembarcavam durante todo o percurso sem que nenhum controle da parte dele fosse necessário.

Algumas pessoas que embarcavam no trem lhe eram bastante simpáticas, já com outras não era possível estabelecer qualquer contato, nem mesmo visual.

Essa história me fez refletir sobre um grande aspecto da vida.

Que a vida é como um trem que vai do nascimento até a morte passando por várias estações:

  • Algumas pessoas entram no trem para desembarcar logo na próxima parada.
  • Outras ficam lado a lado com a gente durante alguns milhares de quilômetros.
  • Algumas pessoas logo que embarcam já dão um sorriso e começam a iniciar uma conversa.
  • Outras já embarcam de cara fechada e não trocam uma palavra conosco.
  • Algumas pessoas desistem da sua própria viagem para fazer a viagem de volta com a gente.
  • Já outras fazem a gente desistir da nossa viagem para seguir a viagem delas.

Ou seja, não existe essa de produto acabado, de dar certo ou dar errado.

A vida é como uma viagem de trem.

Foi bom viajar quilômetros com aquela pessoa que se dispôs a isso, mesmo que depois de conhecer tantos lugares conosco ela tenha resolvido desembarcar na próxima estação.

Assim como também foi bom viajar durante alguns minutos com aquela outra pessoa que não puxou uma simples conversa conosco.

A vida é assim.

Com muita coisa fora do nosso controle, pessoas e situações embarcam e desembarcam do nosso trem.

E é o apego ao controle de querer que todo mundo fique pra sempre no nosso vagão que torna a nossa viagem mais triste.

Olhamos para a paisagem que já passou ao invés de olhar pra frente e pela vida que ainda está para chegar.

  • Que novos lugares eu irei conhecer?
  • Que novos companheiros irão me acompanhar?
  • Que novas conversas eu irei ter?
Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

CONTEÚDO POR E-MAIL

Digite o seu e-mail abaixo e receba semalmente artigos, vídeos e dicas direto no seu e-mail