Sobre Marcos Rezende

Largou o emprego aos 28 anos para se tornar empresário.

Hoje, aos 35 anos, está à frente de empresas como Insistimento, Ecoville Portas Especiais e Lampejos, pratica regularmente jiu-jitsu, é pai de dois filhos e padrasto de duas meninas e mentor de outros empreendedores no Campus Insistimento.

  • http://vivina.com.br Sidney Lima Filho

    Marcão, achei bacana o texto mas ficou uma pontinha de duvida, pois não enxerguei no texto o problema em si. Ficou claro para mim a raiz do problema, ficou claro o papel da servidão, ficou claro o porque servir, mas não ficou claro como "se descobre" servidor.

    As vezes me faço uma pergunta que é, porque ser lider? Eu sei que devo servir, sei que meus talentos existem para servir aos outros, mas servir é uma palavra tão abrangente que pode ser confundida com submissão.

    É possivel apenas servir sem liderar?

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    Sidney,

    líder é quem serve. Ele é quem lidera a sua própria vida, sabe a que sua vida serve e serve a ela sem expectativas e somente com o propósito de servir.

    Servir é submissão? Sim. É. Porém, não estou nem abaixo ou acima de você. Reconheço em você as fraquezas que eu também tenho e aquelas que já tive, da mesma forma, que percebo nas suas fortalezas aquelas que preciso conquistar ou que já conquistei.

    Eu te sirvo. Você me serve. Eu te lidero em determinado momento, mas você me lidera da mesma forma.

  • http://radiovendas.com Leandro Branquinho

    Acredito que tem um outro ponto…

    Servir é diferente subserviência.

    Quando um líder orienta seus liderados, se ele o faz com o uso de gentileza, ele está à serviço da equipe. Ou seja, servindo o todo.

    Quando o líder se torna capacho de seus líderados e a empresa possui um clima de permissividade, ele não está servindo, está sendo subserviente.

    Um grande abraço!

  • http://harlley.net Harlley Oliveira

    Ótimo texto. Uma dica: Coloca um botão para compartilhar os seus textos no Twitter.
    http://twitter.com/about/resources/tweetbutton

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    Harlley,

    seu desejo é uma ordem. Está lá. Na realidade já tinha que ter tido o Shareaholic lá embaixo, mas estava inativo por algum motivo que não sei, mas foi bom que coloquei esse novo botão bem bacana.

    Obrigado!

  • http://harlley.net Harlley Oliveira

    Bacana. Valeu!

  • Andreza

    Eu me sinto exatamente como voçê escreveu, parece que estou perdida dentro de mim.

    Não sei como colocar em pratica oque aconselhou, me ajude

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    Andreza,

    para colocar em prática o que disse é simples. Comece servindo as pessoas da sua casa, depois seus amigos e depois as outras pessoas dos seus círculos sociais. Sirva uma água, um café, ajude a terminar um trabalho sem exigir nada em troca, dê uma mão na reforma da casa de alguém etc. Fazendo disso um exercício diário, você em breve descobrirá onde melhor serve.

    Qualquer coisa, estamos por aqui para lhe apoiar.

  • Pingback: ()

  • Adriana G

    Marcos, você é como João e Maria, deixando as migalhas e pão pelo caminho… estou seguindo-as e sinto que estou quase lá! Depois de ler este artigo, vou dormir, mas antes pensar, em como sirvo aos outros, pois já o faço de várias maneiras, mas nunca parei para analisar que daí posso enfim, me descobrir, descobrir a que propósito servir nesta terra!

    Bom final de semana e que Deus continue concedendo-lhe a inspiração que o faz dizer tantas coisas importantes.

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    Obrigado Adriana e que Deus com você também esteja. Forte abraço.

  • sol oliveira

    Boa noite! realmente eu tenho 48 anos já fiz de tudo nesta vida e ainda me sinto perdida profissionalmente,só para terem uma idéia, ja fui proprietária de varios empreendimentos que faliram,trabalhei como empregada aqi e fora do brasil e não sei ainda qual é o meu talento como descobrir, tenho muita urgencia em saber qual é ele, pois por muitas vezes isso me deprime muito,. boa noite obrigada;.

  • Adriana G

    Oi Sol, às vezes me sinto deprimida também, por causa desta situação, mas o que continua me movendo para frente é a fé. Acretido que Deus não nos colocaria nestas situações se não houvesse um propósito. Estou testando todas as possibilidades que me restam profissionalmente, (e olha que eu me encaixo em muitas) e se e eu não conseguir me encaixar em algo definitivamente, é por que os propósitos de Deus são outros.

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    Adriana e Sol,

    essas experiências de crise servem tão somente para nos observarmos. Fechar os olhos para fora e abrir os olhos para dentro é a chave.

    Devemos ser como lavradores. Semear o melhor que pudermos a terra e o resto deixar com a natureza. Precisamos só encontrar que semente depositar.

  • Adriana F

    Marcos, adorei o texto e o site! Maravilhoso, já coloquei em meus favoritos e estou seguindo vcs no twitter.

    Essa coisa de fazermos o nosso trabalho pensando em prestar o melhor serviço à humanidade é uma grande verdade. Ando em busca do que fazer na vida, decidi que não quero mais continuar a carreira que exercia há 13 anos, disso eu tenho certeza, mas saber o que quero fazer ainda está difícil de perceber. Outro dia fui trabalhar temporariamente no restaurante de uma amiga como hostess (me despi de preconceitos pois sou formada e pós-graduada), somente com a intenção de me divertir, me movimentar e ver gente. Como não sei trabalhar sem me dedicar ao que faço, fiz mais do que uma hostess normalmente faz (limpar e arrumar mesas- p. ex.) e como uma boa anfitriã, a hostess tem que sorrir para as "visitas" da casa. Percebi em mim uma facilidade de lidar com as pessoas e de convencê-las a ficar na fila de espera pela minha simpatia. Ouvi e percebi isso de diversas formas. E encontrei um talento que não sabia que tinha: além da simpatia, percebi em mim uma forma de falar positiva, de persuadir o outro sem que ele perdesse o prazer por estar ali esperando. Mesmo os mais ranzinzas q reclamavam mais, se acalmavam diante da minha atenção dada a eles. E como queria que todos que aguardavam não esperassem por muito tempo, eu mesma me propus a limpar as mesas que iam sendo liberadas. No final de tudo tb fui elogiada pelos garçons e gerentes como a melhor hostess q eles já tiveram, dizendo q qdo pintar outro trabalho, se eu ainda estiver interessada, para que eu seja a primeira da fila. Agora lendo seu texto, entendi o que aconteceu. Pensando em servir o outro da melhor maneira, descobri grandes talentos ocultos! Muito grata!

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    Adriana,

    você fez o que eu fiz no passado. Me despi dos meus preconceitos e do meu ego e me coloquei a serviço. Agindo assim percebi o que deveria fazer pelo resto da vida. Agora, é mergulhar nessa pesquisa dentro de você e ir "testando" o mundo para servi-lo mais e mais.

    Ótima semana!

  • Antonia Cabral

    boa noite, Marcos

    Eu tenho 21 anos faço uma faculdade que ainda não é o que quero mais pra não ficar sem fazer nada estou nela com vontade de sair mais sem saber o que farei se sair enumeras duvidas são as minhas????estava aqui pensando na vida e como sempre sem respostas coloquei no site de pesquisa "Quando não sabe onde ir , o que faz?" es que vi o seu site começei a lêr achei muito boM esse pensamento de se descubrir profissionalmente servindo o proximo e começando por seus familiares né.

    Mais não sei, será que todas essas duvidas vão ser tiradas???

    será facil assim?…

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    Antonia,

    em nenhum momento em disse que seria fácil. O principal inimigo que enfrentarás são seus próprios preconceitos.

    Portanto, só a experiência de tentar fazer que lhe conduzirá ao saber fazer.

  • Jérôme

    Quando você está trabalhando, o passar das horas deve soar como música extraída de uma flauta… E o que é trabalhar com amor? É como tecer uma roupa com fios que vem do coração como se fosse o seu bem-amado a usá-la… – Kalil Gibran, O profeta

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      Jérôme Guinet » Excelente citação do Kalil Gibran!

  • ALEX

    Marcos, gostei demais do seu site, quero dizer, do seu modo como está servindo a várias pessoas, e uma delas sou eu. Estou vivendo o processo de quem já chegou aos "43", porém sem realização profissional e financeira. Hoje, preciso me recolocar no mercado de trabalho; mas me vejo de outra forma: estar realizado naquilo que estiver fazendo… o problema é que há prioridades financeiras que não nos esperam… lhe dar com isso tem sido minha dificuldade. Particularmente gosto muito de trabalhos onde faço algo pelas pessoas; gosto de ver as pessoas felizes com aquilo que fiz para elas. Se tiver uma dica, eu agradeço muito!

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    ALEX » A dica é não se ligar muito nas circunstâncias e se já chegou no fundo do poço é parar de cavar. Não tente o mesmo que antes. Faça algo de diferente e viva sem expectativas, pois amanhã nós já podemos estar mortos mesmo.

  • Mariana

    Oi Marcos,

    Gostei demais do texto colocando-o dentro do objetivo de "se encontrar". Algo como: o que vc tiver prazer em fazer servindo, e o fizer da melhor forma, será o seu talento e um foco para aperfeiçamento e investimento. Porém, minha dúvida é: qual é o limite para servir? Trabalho em uma empresa onde servir significa trabalhar até 24h todos os dias, se assim for necessário, causando um dia-a-dia completamente cansativo, estressante, mesmo quando vc realmente gosta do tipo de serviço que está prestando e identifica-se com ele a ponto de entender que este é o seu talento. O que você acha sobre "os limetes para servir"? Obrigada !

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      Mariana » Temos que encontrar um equilíbrio entre servir e ser escravo. Além disso, quando digo servir, quero dizer que primeiro devemos servir ao nosso talento. Vou publicar um artigo com este mesmo tema que sugeriu na próxima semana. Obrigado pela dica!

  • Lucas

    Marcos, no meu caso eu já percebi que sinto prazer em servir as pessoas, fazendo com que elas se sintam satisfeitas, ajudadas, etc. Eu sempre tive o ímpeto de ser prestativo, porém acho que falta objetividade para encontrar uma área onde realmente haja talento.

    Como eu poderia ser mais objetivo??

    Um abs, parabéns pelo seu trabalho aqui!

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    Lucas » Tente perceber em quê as pessoas mais te solicitam. Provavelmente aí está a sua atividade final.

  • Thais

    Gostei muito do texto! Bom, eu tenho 19 anos, faço faculdade de Direito. Mas eu não me sinto entusiasmada com as aulas acho o curso muito careta e não tem nada a ver comigo.Pois eu sou espontânea e gosto de liberdade. Me ajude!

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      Thais » Jah te dei uma ajuda escrevendo o post. Agora é contigo… :p O q te prende?

  • Lucas Barrios de Oli

    Olá Marcos,

    Acabo de conhecer o site através deste post e fiquei realmente surpreendido com o precioso conteúdo, experiência e talento o qual você passa para seus leitores. Gostei muito do site, irei acompanhar de perto e com certeza irei indicar.

    Parabéns pelo sua dedicação a esse trabalho, és realmente um ser humano que manifesta a forma mais bonita de humanidade, servir ao próximo, e isso infelizmente se encontra pouco nas pessoas!

    Um abraço!

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      Lucas Barrios de Oliveira » Obrigado! Estou fazendo só a minha pequena parte.

  • ALEX

    Marcos, talvez você não se lembre dos "conselhos" que me deu; foram todos de grande valia. Busquei aplicá-los em algumas situações. Hoje, graças a Deus, estou otimamente encontrado profissionalmente. Obrigado!

  • Muniky de Jesus

    Sabe quando em uma noite de desespero você chora e não sabe mais para onde ir, e a única arma é a oração, noite passada em oração pedi a Deus que me mostrasse um caminho, por que estou perdida em um circulo que me aponta varias estradas, mas não consigo escolher e muito menos compreender qual a certa. Hoje então pensei em pegar o carro e sai sem direção até eu consegui encontrar meu eu. Mas optei por ligar meu pc e digitar algumas palavras no google, foi quando me deparei com seu site e artigos, e em especial esse! Acredito ter encontrado a resposta que pedi a Deus ontem a noite.

    Agora eu posso olhar para apenas uma estrada e começar a caminhar. E estra estrada se chama servir ao próximo…

    Muito obrigado pelas belas palavras. Sabe? É verdade, não se pode mudar o mundo mais se pode usar seu talento para influenciar e fazer ele próprio quere mudar… Você tem este talento e sabe usar ele muito bem… É nesses sinais que acredito fielmente na existência de Deus.

  • Beto

    Conheci o site através do SEBRAE e estou pela primeira vez dividindo os mesmos problemas. A partir de hoje continuarei lendo e se puder, contribuir com o blog e a procura do meu encontro profissional.

    Estamos juntos.

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    Muniky de Jesus » De nada Muniki. Só estou servindo! Lembra do artigo?

  • Martins

    Olá Marcos, Parabéns pelo seu trabalho. Trabalho na propaganda médica e sempre tive ótimos resultados, mas tive uma grande frustração, o meu ex gestor, saiu da empresa e eu tambem ele foi para uma concorrente muito melhor e chamou um grande amigo meu para trabalhar com ele, essa pessoa sempre teve os piores resultados e eu os melhores, me senti traido, mesmo porque eu já arumei 4 empregos para esse amigo e ele de uma forma que não posso informar me prejudicou para conseguir esse emprego. Me sinto muito feliz em arrumar empregos para os outros, mas ninguem me ajuda… acho que estou frustrado com o mundo, gostária de fazer algo que me desse prazer. Sempre servi os outros e nunca foi servido. Gostária de saber como tornar isso uma profissão.

    Muito Obrigado

  • Paula

    Olá,

    em primeiro lugar quero agradecer por ter encontrado todos vcs. Em segundo lugar quero dividir o meu momento: tenho 24 anos, sou formada em Educação Física. Sempre amei praticar esportes, academia e pensei que isso fosse meu futuro…me formei e percebi que: odeio a ideia de ter que dar aula numa escola, que: participar de uma atividade na academia é mil vezes melhor do que ministrar, sem contar que dois anos depois que me formei encontrei uma lesão no menisco e outros problemas no joelho que me tiram de muitas atividades, ainda mais viver delas. Sinto que não é com isso que eu gosto de trabalhar… eu gosto de ajudar pessoas, conversar, gosto de mostrar para as pessoas que existem outros lados, que rir é melhor que chorar… pensei e gosto muito da ideia de fazer psicologia… mas tenho medo de me jogar e depois descobrir que não é isso, outra vez. Converso com pessoas que amam falar sobre o que fazem, tu vê a alegria nos olhos de quem conta o que fez no seu trabalho, a paixão por aquilo… eu não me vejo apaixonada por nada… agradeço pela oportunidade. Beijos para todos!

  • Ronin

    Viver é um aprendizado diário.As vezes estamos em cima da égua e vivemos procurando por ela.Eu acredito que não existe aprendizado maior do que aquele,que aprendemos com nós mesmos.Muitas vezes o importante não é o caminho,mas o caminhar.Não procure o caminho mais fácil.Seja duro(a),firme e acredite.Cuidado com seus pensamentos.Tudo começa por eles.Penso logo existo.Acredite.

  • Vinicius

    tenho 20 anos não sei o q fazer, não tenho vontade de fazer nada, so um completo inutil .. faço curso tecnico de segurança do trabalho, mais não acho q isso seja pra mim… ultimamente tenho ficado em mt em casa.. estou perdido :/

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      Vinicius » Calma. Fique calmo. Procure dentro de você o que faz de melhor ou se dê mais tempo. Essa fase é assim mesmo.

  • antonio

    o que diz no testo é exatamente oq preciso fazer e ser.me sinto muito só e sei que tem que partir de mim a mudança

  • http://www.futuroempresario.com.br/trabalhodeviagem.blogspot.com.br Antonio Santos

    Marcos, gostei muito do seu texto, sempre tive muita dificuldade em servir (orgullho puro) mas recentemente entendi que uma das melhores formas de se aprender sobre o seu cliente ou sobre uma empresa é trabalhando no chão de base dela, você começa a enxergar as coisas com uma visão 360º e isso te ajuda MUITO à se conhecer, excelente texto. Lembrando que é possivel servir de quelquer lugar que esteja, basta presta atenção às necessidades das pessoas em volta de vc, que com certeza irá descobri como ajuda-las e consequentemente o que vc faz de melhor para ajudar!! Comecei a acompanhar seu blog faz umas semanas e n consigo parar d encontrar textos legais. Parabens!!!

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      Antonio Santos » Obrigado!

  • David

    Um dos lemas do Exercito brasileiro é:Quem não vive para servir, não serve para viver.Não acredito que chegue a tanto,mas é uma grande verdade. Quando você está fazendo alguma coisa em prol de alguém,brota um sentimento de realização que não tem nada a ver com a satisfação material, é algo que acontece lá no íntimo da gente, acho que é por que nascemos realmente para isso. O que nos preenche e nos faz felizes essencialmente são esses atos de desprendimento onde esquecemos um pouco de nós, para ajudarmos aos outros, despertando assim uma vocação perdida que penso, é intrinseca do ser humano que nos nossos dias tem deixado de lado,para buscar apenas uma satisfação própria que nunca vai encontrar.Satisfação profissional não responde ou preenche a lacuna existencial?

  • Kimberly

    Oi Marcos, estava me sentindo muito perdida e resolvi jogar no Google "o que fazer da vida". Vim cair no seu blog e logo que vi as imagens religiosas e a palavra "servir" tratei de ir me retirando (sou ateia). Só que neste meio tempo deu pra ler o começo do seu texto e isso me fez voltar aqui.

    Muito boa abordagem, percebi por meio do seu texto que estava racionalizando demais as coisas em minha vida. Não me permitia sentir.

    Outra coisa que achei bastante importante foi a parte de não se preocupar tanto com sua posição. Acabei de largar uma faculdade de ciências sociais por ver que estava lá querendo me sentir significante para o mundo, e não por sinceramente gostar.

    Foi bom ler o que escrevestes, com certeza voltarei aqui com mais frequencia.

    Abraços.

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      Kimberly » Sou também é ateu e também religioso. :) Sempre cultivo o pensamento de que possa estar errado e isso me manda sempre para frente. Que bom que gostou do que escrevi e espero que volte mais vezes.

  • Gabriela

    Oi Marcos tdo bem! li seu texto e gostei muito. Tenho uma vida muito boa, sou casada meu marido faz de tudo p me ver feliz. Não estou trabalhando, nunca me achei profissionalmente, tenho 27 anos fiz faculdade de direito até o 7º periodo, por vontade de meu pai, mas nunca gostei. Sou uma pessoa boa e adoro servir ao próximo tdo que posso fazer p ajudar meus familiares, amigos e pessoas que passam no meu caminho eu faço. Mas vejo que hj em dia o que importa na pessoa é o que é ela faz da vida profissionalmente, o que ela é como pessoa ficou secudario. Nossa to muito angustiada com isso, vejo tdas minhas amigas crescendo profissionalmente e eu aqui parada no mesmo lugar. Tenho vergonha de conversar isso com as pessoas, mas sinto que me falta algo, as vezes prefiro deixar de sair para um jantar pq este assunto sempre vem a tona e me frusto por não ter o que contar..Tenho medo de ficar velha e ficar tarde demais. Pq sei que ta cada dia mais dificil se inserir ao mercado de trabalho.. O que faço me ajude por favor?

  • http://www.agramadavizinha.com Maira

    Olá Marcos!

    Adorei seu texto. Eu estou em busca de algumas respostas. Moro fora do país e tenho dois filhos pequenos, adoro escrever e faltou um ano pra me formar em jornalismo e tive que trancar a faculdade. Agora me vejo com 30 anos, com dois filhos e sem saber que rumo dar na vida. Estou buscando novas possibilidades e quero muito montar um negócio retornando ao Brasil, mas como boa geminiana que sou, o meu problema é que tenho um leque de idéias e nao sei a qual devo me apegar. Será que essa dúvida existe porque ainda nao encontrei de fato o que me motiva no campo profissiona? Me vejo aflita tendo que decidir um caminho do qual ainda tenho nenhuma certeza! :(

  • Dione

    Boa noite Marcos, acho que fiz o que muitas das pessoas anteriores fizeram..jogaram no google…"o que fazer quando não se sabe o que fazer", apareceu esta página como uma das opções. Resolvi escrever até para tentar entender o que está acontecendo comigo. Tenho 50 anos, arquiteta e urbanista, tenho pós graduação, latu e scritu senso, divorciada a 7, 3 filhos 22, 20 e 18 anos, e confesso, não sei o que fazer da minha vida. Estou totalmente perdida. A impressão que tenho e que minha vida passou e eu nem vi. Parece que escolhi sempre o caminho errado, tudo me parece agora como se a vida foi apenas passando e eu só observando sem saber exatamente por que. Sempre me empenhei em ser voluntária em várias atividades em funções que tinha a ver com minha profissição. Mas também aí não tive reconhecimento algum apesar de ter me empenhado bastante. Trabalho do bom sem nenhum interesse além de ajudar as pessoas, minha profissão e minha cidade. Hoje avaliando minha frustada vida comecei e ter pena de mim mesma, e isto é a pior coisa pra mim, não quero ter pena de mim, isto é um insulto a minha inteligência…fiquei um pouco mais conformada em ver que muitas pessoas também passam pelas mesmas crises. Me avaliei e comecei a perceber, que não tive sorte no amor, no trabalho ou na profissão que escolhi, acho que equivocadamente. Tabalhei em muitos lugares, fui proprietária também de negócios, nada durou muito tempo, qdo trabalhei como funcionária logo acontecia alguma coisa sem explicação e eu era dispensada. O que será que acontece comigo?

    Continuo voluntária como sempre fui, mas como se vive sem ter rendimento garantido? Este foi sempre meu maior conflito…fazer o que se quer e não ganhar nada ou odiar o que se faz e ganhar por isto.?? Como conciliar??

  • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

    Dione » Você é uma lutadora menina! Uma mulher que apesar dos problemas que teve na vida conseguiu concluir uma faculdade e criar três filhos. Apesar de estar separada do marido continua de pé, procurando na internet o que fazer da vida! Isso é formidável! Você é uma lutadora e uma mulher belíssima que só precisa enxergar em si mesma a beleza desse meio século vivido só a serviço dos outros! Agora é hora de você fazer o que mais gosta e de se libertar desse sentimento. S olhe como eu estou a olhando. Quando comecei a ler seu comentário, fiquei surpreso porque não concluí minha faculdade e minha empresa ainda não é do tamanho como gostaria, mas me sinto tão vitorioso pelas pequenas conquistas e por todos os dias poder abrir os olhos e ter mãos, braços e pernas para trabalhar pela minha felicidade. Você tem tudo! Você é livre! Você não tem mais filhos para criar e nem marido para cuidar! Você é como uma adolescente que não tem qualquer coisa amarrando a vida dela, só que com anos de experiência! Ou seja, você é muito melhor que uma adolescente! Melhor como companheira, como dona de negócio, como empregada, como qualquer coisa! Enxergue isso, larga a mão de ser boba e bola pra frente! Você está melhor do que era 35 anos atrás.

  • Mike Mattos

    Bom Dia Marcos,Realmente texto muito bom,que Deus te abençoe sempre,eu trabalho no setor de Faturamento de uma Empresa,porém tem coisas que me falam dentro da empresa que não entendo nada,sinto que não tenho muito o perfil,queria trabalhar com algo que me identificasse,porém não sei,estou perdido também como varios amigos citaram…

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      Mike Mattos » Nessas horas o melhor é parar e meditar para poder se avaliar.

  • edmar marques

    continuo achando da minha vida uma droga,tenho 28 e não sei nem de q quero trabalhar! tem hora q penso em dar um tiro na cabeça e resolver tudo mais rapido! é claro q ninguem tem nada a ver com a merda da minha vida,ou melhor,a merda q fiz nela!

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      edmar marques » Dar um tiro na cabeça não resolveria sua vida. Poderia resolver os problemas que as outras pessoas têm com você, mas não resolveria o seu problema. O melhor é assumir os erros do passado e olhar em frente. Todo mundo já fez besteiras. Eu já fiz as minhas, me arrependi e não voltei atrás porque não dá pra voltar. Apenas assumi o que tinha feito, compreendi que eu era uma pessoa menos consciente e responsável do que fiz agora e me perdoei. Siga em frente criando a sua nova vida.

  • Maria

    Engraçado…meu lema sempre foi esse: servir…faz todo sentido…realmente nos ajuda a encontrar nosso próprio caminho…Abraços.

  • Walter Bueno

    Boa tarde Marcos, é com muito prazer que lhe escrevo essas palavras, algumas pessoas nascem com um diferencial em suas vidas e você é uma dessas, não sei qual sua idade mas já tens uma capacidade admirável e uma alma muito boa e abençoada, Deus te conserve sempre assim.

    Foi de grande valia pra mim suas palavras, você me fez atentar para algo que temos intrinsecamente em nossos corações e que muitos de nós infelizmente nunca chegarão a entender; A grandeza espiritual que existe por de trás da Servidão é bem demonstrada no perfil do maior e melhor dos homens que já passaram aqui na Terra, Nosso Senhor Jesus Cristo.

    Agradeço profundamente à Deus por ter me orientado a clicar nesse site maravilhoso.

    Deus te abençoe irmão.

    att.:

    Walter Bueno

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      Walter Bueno » Obrigado pelo prestígio. Estou fazendo o que posso fazer com as ferramentas que tenho! Faça o mesmo e vamos em frente!

  • http://80944454 Kyc

    Oi mim sinto como vc seisaber que fazer minha vida q consenho vc mim dar.

  • elias

    marcos ..sou construtor civil me entrego total no que faco sempre consigo elogios em minha atividade deixo meus clientes contentes esatisfeitos com meu trabalho mais porem omais importante que um proficional procura e ser gratificado por tal mais isso nao acontece comigo estou sempre no vermelho sempre sufocado oque eu faco p/ me dar bem obrigado

    • http://about.me/insistimento Marcos Rezende

      elias » Se você é da construção e é bom, deveria primeiro elevar o valor dos seus serviços em 30% logo de cara e prospectar mais clientes de forma a ser visto no seu mercado como alguém que cobra mais caro, mas entrega. Profissionalizar-se com entrega de NF e confecção de contrato melhoraria ainda mais a sua imagem.

  • Guilherme

    Olá Marcos!

    Estou fazendo administração e na minha faculdade estou estudando sobre um conteúdo onde fala muito sobre este assunto. Quero lhe pergunta se o senhor já teve contato ou estudou sobre ontopsicologia? Obrigado!

    • http://www.insistidoranjo.com.br Marcos Rezende

      Guilherme » Nunca tive não :(

  • anderson

    oi marcos cara trabalho de pintura a 4 anos mas quero muda de profisão i nã sei o que fazer procuro um meio de tenta trabalha e estuda só que estou em duvida pois pintura e um trabalho um pouco puxado mas tem dias que fica muito pesado entendi que devemos servi ok eu faço issso mas tenho vontade de ter novas experiências proficionais tenho 20 anos e não faço muita ideia do que quero fazer ate o utimo dia de minha vida me ajuda obrigad,olha eu queria tenta para aria militar só que não esta me favorecendo muito pois precisa de curso superior tentei fazer incrição pro vestibular i passei porem ficaria uma carga de horario muito pesada por causa do meu serviço tentei me escrever de novo queria fazer rh vç acha que seria um tempo perdido por não ser algo muito aproveitado por mim…?

    • http://www.insistidoranjo.com.br Marcos Rezende

      anderson » A saída amigo é se especializar em algo que já é do seu ramo para poder cobrar mais caro e ter uma carga horária menor. Só assim conseguirá cursar a faculdade e seguir com os seus planos. A tua área é bem procurada e entregando o serviço correto com maestria, evidentemente terá muito sucesso.

  • Beto de Freitas

    Sabe, eu sinto tudo isso que você disse no texto. Porém, a palavra "servir" me incomoda muito, pelo fato de me sentir meio "usado" (sem brincadeiras, ok). Eu sei que é uma verdade inescapável que o ser humano não é uma ilha e precisa dos outros pra sobreviver, por essa necessidade, preciso retribuir quem me ajuda a viver, e de forma recíproca fazendo algo por ele também. Mas o problema que vejo é que na vida os serviços possuem um valor estipulado e geralmente os mais pesados e chatos são que possuem menor valor. Com isso pergunto, e quando eu sinto que sirvo mais que o que recebo, isso não contribui para que com o passar do tempo eu me sinta mais desmotivado a não fazer tanto, pra me desgastar por uma causa que não retorna o que eu ofereço e acredito que deveria ser recompensado? Outro problema que eu tenho é foco, eu não consigo me especializar em uma coisa só, eu tenho o defeito de querer abraçar o mundo com os dois braços e tentar entender de tudo e geralmente eu só consigo chegar no meio do caminho em muitos assuntos, mas não consigo amar algum, pra fazer daquilo o meu ganha-pão e lazer ao mesmo tempo e me sentir feliz. Ficar escapando da questão é caro, desgastante, estressante, frustrante e muitas vezes dá vontade de pular de uma ponte qualquer. O que eu deveria fazer pra me conhecer melhor pra encontrar um propósito profissional pra minha vida? Um foco e um caminho a seguir? Há alguma coisa que dá pra fazer pra se descobrir de maneira menos dolorosa? Desculpe o longo texto e obrigado.

  • Tiago

    Obrigado, Marcos

    texto muito bom, abriu minha mente.

    • http://www.insistidoranjo.com.br Marcos Rezende

      Tiago » Obrigado pelo prestígio!

  • http://www.insistidoranjo.com.br Marcos Rezende

    Beto de Freitas » A essência da sua questão é: se você serve para ser valorizado está tomando a esquina contrária a da evolução. Servir é servir e não importa se te dão R$1 ou R$10 porque o fato de servir já lhe alimenta. Nós já começamos a vida nos desvalorizando e enxergando os outros seres como inimigos do nosso conforto quando é exatamente o contrário que acontece. Servir é uma arte. Medite mais no que me falou que provavelmente descobrirá não só como servir melhor e sempre como também ser mais valorizado pelo mercado.

  • geleia

    …rsrs,desculpem começar rindo…tenho 31 anos,tudo que li me deu um certo alivio,tenho amigos que falam com um triunfo nas palavras;que estão se matando na faculdade e que vão investir em tal area…eu não me sinto resolvido nessa questão,e isso me imcomoda,as vezes penso em estudar qualquer coisa só pra parecer importante,mas me sinto protelando e como quem não sabe se vale a pena seguir a onda…parece dificil conciliar o que me sinto bem fazendo com o que me traz estabilidade financeira.muito obrigado pelo espaço Marcos!

  • iracema

    Oi marcos,me explica uma coisa q me deixa muito chateada,tenho 59 anos viúva há 20 anos, criei 2 filhos, hoje casados e formados cumpri a minha missão,mas tenho um problema sério tenho uma irmã de 53 que teve uma paralisia infantil,mais é uma pessoa normal,mais nunca gostou de trabalhar, então fico muito constrangida com esse tipo de atitude,pois hoje em dia minha mãe morreu e o pai dela tbm eu e meu irmão damos uma ajuda para sobreviver isto é uma quantia de 600 reais q ela acha q é pouco,mais explico q ela deveria trabalhar mais ela não aceita, acha q é nossa obrigação ajuda-la, já comprei vários livros de auto ajuda para ela pago para ela ir ao psicologo e ela não aceita por favor me dê uma orientação como devo agir, pois sempre trabalhei tbm criei meus filhos desta forma,por favor me ajude….

    • http://insistimento.com.br Marcos Rezende

      iracema » Vou te dizer o que meu terapeuta sempre me diz: você deve fazer o melhor que você pode, mas nunca mais, nem menos. Refletir.

  • endy luz

    Nossa, que texto maravilhoso!!! Foi ao encontro das necessidades da minha alma e me deu muitas respostas. Agora vou colocar em prática, ou seja, vou observar com que e como sirvo melhor as pessoas .

    Amei conhecer seu site e vou visitar sempre!!!!!

    • http://insistimento.com.br Marcos Rezende

      endy luz » Obrigado pelo prestígio e volte sempre!

  • katia

    Muito obrigado,estava procurando ajuda para montar algo que pela minha idade.Me desse retorno rápido. minha vida mudou depois que encontrei esse blog.E tudo de bom!!!!!

    • http://insistimento.com.br Marcos Rezende

      katia » Obrigadíssimo!

  • elisabeth

    Olá Marcos resende, gostei muito sobre o que escreveu, estou me sentindo assim a muito tempo. Não sei o que fazer da vida, sou Professora tenhooutras profissões sou extrovertida alegre mais de bem com a vida menos de bem , mas falta algo não é acreditar em Deus. Me sinto sempre sozinha. Ao ler o texto me animei mais, obrigada e fica com Deus.

    • http://insistimento.com.br Marcos Rezende

      elisabeth » Seja bem-vinda!

  • elisabeth

    Marcos pode acertar o que estiver estranho rsrs

  • William

    Marcos, obrigado pelo serviço prestado… essas informações me foram úteis!

    Minha retribuição: "Somos o resultado das questões que escolhemos resolver".WTF

    Desde cedo aprendi que quem vive para servir, serve para viver. Tive e tenho bons exemplos ao redor. Ao longo da jornada eu me perdi várias vezes, mas em uma questão específica eu destinei muito tempo… recursos… energia… para resolve-la. Foi difícil entender a diferença em ser útil e ser usado. Questão resolvida! Iniciando a próxima série de questões.

    Amo Viver!

  • http://insistimento.com.br Marcos Rezende

    William » Ótima Contribuição camarada! Obrigado!

  • MIRO

    BOA TARDE MARCOS ,ESTAVA AQUI EM CASA ME TORTURANDO POR DENTRO QUANDO ACHEI SEU TEXTO CARA, ME AJUDOU MUITO, OBRIGADO.E A TODOS AQUELES COMO EU, QUE NÃO SABEM OQUE FAZER DA VIDA, PACIENCIA MEUS AMIGOS A VIDA É ASSIM MESMO BOLA PARA FRENTE

    • http://insistimento.com.br Marcos Rezende

      MIRO » De nada Miro! Obrigado você pelo prestígio!

  • João Torres

    Fantástico, acabei uma meditação recente, estava buscando dentro de mim uma vocação profissional, nunca me encontrei em nenhum lugar, pois sempre busquei as respostas fora de mim mesmo ou intelectualmente falando, servir as pessoas desenvolve naturalmente o talento de cada ser humano, não foi atoa que encontrei esse texto, muito bom querido, agradeço de coração, sucesso e felicidades para você e toda sua família, sou muito grato pelo texto, abraços!

    • insistimento

      Obrigado João pelo comentário. Sucesso pra ti também!

  • Kaio

    Cara, já to irritado e sem rumo na vida, dá pra por favor tirar essa barra chata que fica me perseguindo pra curtir ,compartilhar e sei lá mais o que ?

  • amanda

    Me sinto assim, mais ainda não consegui descobrir como sair desse mundo que eu mesmo criei. Será que alguém poderia me ajudar

  • Tila

    Infelizmente somos condicionados pelas nossas limitações, que acabam “promovendo” outras limitações…!

    fatores como estrutura familiar, recursos financeiros disponíveis, qualidade de ensino são determinantes para o leque de opções que temos. Pelo que entendi a ideia é tentar viver a rotina atual com disposição e boa vontade e a partir da observação diária perceber, inclusive discutindo com amigos que nos conheçam, nossas potencialidades e possíveis perspectivas?

    Para mim o momento é de fortalecer essa força de vontade e criar mesmo uma rotina de estudos e atividades já que tenho um TCC para escrever e disciplinas a cursar além de integrar um grupo de trabalho na universidade. Ou seja tenho um bom leque de atividades correlatas além da opotunidade de estudar. Mas sempre me remeto as experiências que poderia ter vivido com uma orientação diferente, com acesso a informações enfim, não adiante remoer né!

    Marcos aguardo anciosa uma consideração sua.

    atenciosamente,
    Eu.

    • insistimento

      Ou seja, você está dirigindo um carro na estrada, mas ao invés de olhar para frente, está olhando para o espelho retrovisor. Andando a 120km/h já sabe o que irá acontecer né?

  • RenataVida

    Não poderia ler esse texto em melhor momento! Obrigada!

  • Aline Demartino

    Um dos melhores textos que já li. Parabéns e muito obrigada você salvou meu dia. =)

    • insistimento

      Nossa! Obrigado! Estamos por aqui.

  • Eliza

    Oi, li seu texto e achei deveras interessante, nunca tinha refletido sobre essas questões através dessa perspectiva e, surpreendeu-me o raciocínio lógico de suas ponderações. Sempre fui uma pessoa crítica e racional demais e isso acabou criando uma imagem perante os outros sobre mim que, sinceramente, me causa desagrado. Quando reencontro pessoas de outras épocas percebo nelas uma espécie de espanto ao saberem que não estou chefiando alguma grande empresa ou que não estou ganhando rios de dinheiro em algum trabalho intelectual. A verdade é que não consigo terminar o que começo. Sinto-me atraída por inúmeros tipos de trabalho, porém não consigo me enquadrar em nenhum, como se eu mesma me sabotasse, acreditando que não serei apta para desenvolver bem uma função se não tiver um aprofundamento maior e nisso perco tempo não construindo nada. Servir para ter a satisfação de ser útil é uma forma sensata de dizer pra utilizarmos nossos talentos crescendo de maneira simples, porém não incompleta, mas para poder demonstrar aos poucos nossa competência e assim, satisfazer aquele nosso lado que busca um certo reconhecimento. Enfim, gostei de suas palavras. Um abraço, Eliza.

  • Del

    Ok, sirva. Mas no que? como vou saber para o que eu posso servir?

    • insistimento

      Da próxima vez que alguém te pedir algo, sirva a pessoa independente do que ela peça. Faça isso por uma semana ou duas e depois veja o que mais te solicitaram para procurar neste serviço o seu meio de vida :)

  • Carol

    Nossa me sinto exatamente assim, tenho 22 já me formei na faculdade, porém levei a faculdade meio na “coxas” só queria saber de balada e sair. Agora me encontra em uma situação lamentavel, o curso que escolhi não tem nada haver comigo e eu nem se quer sei o que tem haver comigo. Hoje já nao tenho mais vontade de sair, fico o tempo todo tentando na minha cabeça achar algum dom, qualquer coisa que eu saiba fazer, mais a realidade é que não sei fazer absolutamente nada!. Já pensei varias vezes em suicidio pois não vejo mais graça em nada, me sinto uma inutil, preciso me descobrir, achar um dom sei lá qualquer coisa que eu saiba fazer. Me ajude por favor
    ps: Marcos muito bom o seu blog, parabens continue ajudando o proximo que Deus vai lhe recompensará com certeza. Abraço

    • insistimento

      Carol, suicidar-se é desistir de ser quem você nasceu pra ser. É declarar-se derrotada. Eu acho que por ter chegado aqui e ter feito este comentário você não é nada disso. Não pense em você, pense nos outros, pense em mim que preciso de você no que você puder fazer de melhor.

      Na adolescência pensei bastante em me suicidar e hoje estou aqui servindo a você com um texto bobo e tranquilo. Ou seja, seria muita burrice ter acabado com a minha vida por puro egoísmo. As pessoas precisam de você. Junte-se a nós, você não está sozinha nessa.

  • Chris

    Me senti como se estivesse falando através desse texto é exatamente assim que me sinto, não consigo saber qual seria minha função e no momento não consigo enxergar no que sou boa,mal tenho saído de casa me sinto mal (incapaz) mas vou tentar.

    PS: maravilhoso seu texto me fez pensar de uma maneira diferente e ver que não fiz tudo que poderia fazer para me encontrar.

    • insistimento

      Obrigado Chris pelas palavras e prestígio. Continuemos insistindo nos nossos talentos. Vamos em frente.

  • Gandato

    Acho que entendi. Servir pelo prazer de servir. Servir até que encontre algo que você realmente exceda expectativas, e seja feliz com isso. Servir, e ser humilde. Servir com paixão, como propósito de vida.

    • insistimento

      Isso mesmo Gandato!

  • Will

    Marcos, obrigado pelas palavras. Vou iniciar isso e se der mesmo certo entro de alguma forma em contato para falar das realizações, num mundo onde servir também é ajudar posso crer que estarei aumentando ainda mais esse elo de boas atitudes.
    Obrigado.

  • RANGEL R

    Olá Marcos,
    Descobri este site ter digitado no google algo como “o que fazer da minha vida” o que me direcionou para este post. Gostei muito deste texto. Fiquei entusiasmado e motivado como hpa algum tempo não ficava. Me fez lembrar de um filme: “Poder além da vida”, que trata deste mesmo tema: “Servir pelo prazer de servir – sentido existencial”. É interessante como o tema da profissão está diretamente ligado ao sentida da vida, para um grande número de pessoas, senão todas. É só acompanhar os comentários aqui deixados, para verificar várias pessoas relatando o desejo de suicídio por não saberem o que fazer da vida. A profissão mexe diretamente com a auto-estima, com o prazer de viver, a motivação que nos leva a acordar tão cedo todos os dias…Te confesso que ultimamente tenho me sentido frustrado por esta razão. Há dez anos me dedico ao canto lírico. Já estudei até no exterior, já fiz alguns trabalhos interessantes, mas infelizmente ainda não fui capaz de fazer a carreira que há dez anos atrás eu projetei. O resultado disso é que me vejo obrigado a ter de dar aulas e fazer outras coisas que não gosto, pela necessidade financeira.E neste misto de frustração e orgulho, me pergunto se devo ou não mudar de profissão, se devo desistir. Ás vezes penso que há algo dentro de mim, como um vulcão adormecido, que quer entrar em ebulição, e me pergunto se é nesta profissão que poderei por em prática este desejo de realização. E esta filosofia oriental sobre a lei natural que nos rege, só me faz refletir mais ainda, se as minhas escolhas estão alinhadas com a minha essência. De todos os modos, a idéia do servir ao próximo se colocando na posição de ser útil de forma humilde, foi-me muito útil e sujestiva. Parabéns à você pela iniciativa deste site, mais especificamente deste post. Me perdoe pela delonga neste comentário.
    Abraços, e sucesso!

    • insistimento

      Obrigado Rangel. Pense sempre: se você morrer amanhã, você terá contribuído até aqui com a sua vida? Se negativa, vá viver a sua vida ao invés de tentar viver outra.

  • Teca

    me sinto uma pessoa derrotada, sem trabalho e sem dinheiro pra nada, dependendo sempre dos outros, aos 48 anos estou cursando o ensino médio e posso afirmar, nunca tive nenhuma oportunidade na vida, sempre fui uma pessoa de fazer amizades, mas ninguem q pudesse me oferecer algo, tipo , uma oportunidade de abrir um negocio ou ate mesmo me ofereçer um emprego, e sem estudo nunca consegui nada, acreditem! Coincidência ou não, hoje antes de ler este texto eu tinha tido a intuição de me doar mais, fazer algo para outras pessoas, ou seja, já que eu n posso fazer nada! Vou servir, é isso !!

    • insistimento

      Teca, assuma também a sua responsabilidade nisto. Garanto que muitas oportunidades passaram pela sua frente e só pelo fato de não terem um cartaz com luzes piscantes você não percebeu que elas eram uma oportunidade. Abra os olhos. Você é capaz.

  • Jose Caetano

    Hj fiz uma prova na faculdade extremamente dificil e apesar d ter estudado muito muito mesmo acho q fui bem mal rsrs…voltando pra casa o silencio profundo dentro d mim mesmo me fez pensar pq eh tao dificil pra mim, vejo alguns alunos q mal assistem aula e acabam passando sem esforço pq comigo eh tao dificil…td sempre eh tao dificil vim d familia muito pobre mas consegui estudar…fiz td q era d graça, varios cursos no SENAI cursos, na ETE (escola tecnica de SP) , sempre qndo era d graça claro pq mal tinha dinheiro pro onibus mas sinceramente nunca me distaquei em nada e sempre ralando muito hj com 35 anos me vejo preso nessa realidade, e por essa sensaçao de que a vida me empurra pra onde nao qero ir….sera q vale a pena tanto esforço? sera q tenho talento pra isso? sera q tenho algum talento?

    Sai do meu antigo emprego e to cursando engenharia (ja sou formado em tecnologia mecatronica).Sera q essa sensaçao um dia passa?

    • Marcos Rezende

      José, essa sensação passa sim no momento que você conceber que não foi a vida que te empurrou para onde você não queria, mas você que se posicionou desta forma na vida. O negócio agora é você assumir essa responsabilidade pela sua própria vida e tomar as decisões necessárias que te farão ter uma vida mais feliz daqui a um tempo mesmo que isso envolva reduzir seu passado a pó. Reflita sobre isso e continue nos acompanhando. Insista em você.

  • sombra

    Gente, é impressionante como muitas pessoas se sentem perdidas e insatisfeitas..Eu tenho 48, morei em Portugal 3 anos, estou ha 4 na Suiça e to cansada de ficar recomeçando…Sou formada em Letras no Brasil, aqui tive que começar n zero,aprender nova lingua, fazer um curso basico na area da saude, trabalho numa area que nao gosto, me sinto mais doente, mais triste e nao sei o que fazer para recomeçar..nao consigo definir o que posso fazer ainda nessa idade, apesar de saber que preciso mudar urgentemente a minha vida.. queria montar um negocio mas ai falta o dinheiro…muitas frustacoes e nenhuma decisao mais concreta..To bem perdida e triste em saber que uma pessoa cheia de energia como eu sempre fui esta completamente desmotivada… que fazer?

  • Kaliny

    Olá Marcos! Estava aqui procurando na internet alguma palavra de conforto, de motivação e acabei achando esse texto muito sábio, me edificou.
    Tenho 23 anos e como muitas pessoas tenho o sonho de ser uma grande profissional, trabalhar futuramente com algo que eu ame de verdade,que eu tenha o prazer.
    Estou muito confusa,já chorei várias vezes trancada no meu quanto,pois me sinto em um beco sem saída.Sou estudante de engenharia mas não estou satisfeita com meu curso,entrei em um curso que não é minha vocação mas está sendo difícil sair dele,pois existe aquela pressão tanto das pessoas(família) como a pressão que eu mesma coloco sobre mim.Já pensei em mudar para medicina,enfermagem,direito que são os únicos que me família ainda gosta e apoiaria.Mas tenho medo de me frustrar novamente.
    Nunca pensei que fosse tão difícil,eu realmente fico triste porque quando falo que vou fazer uma psicologia ou fisioterapia da vida que não ganha tanto assim como medicina, engenharia ou direito as pessoas me acham louca.
    Às vezes sinto falta de conversar com alguém que me compreenda!

    • insistimento

      Chegou ao lugar certo. Aqui somos todos insistidores! ;)

  • Erika

    Muito bacana o seu texto. Com frequência não sei que pergunta fazer prá vida, mas comumente, inquieta, me pergunto se tudo que tem que ser assim mesmo. E me desligo quando sirvo, quando estou trabalhando seja no que for. Suas palavras são um incentivo maior a não ficar angustiada, remoendo, pensando nas coisas. Realmente, servir acaba com o drama.

    • insistimento

      Obrigado Erika pelo comentário! Obrigado!

  • mcsilva

    Realmente me perguntei pq n li esse texto antes… e exatamente como me sinto sem rumo, numa busca incessante pela minha vocacao e lendo os comentarios me identifiquei mais ainda e digo que lagrimas escorreram por meus olhos….
    Fico numa busca incessante por algo que me realize e q possa me dar prazer profissional e questiono a Deus td dia a revelacao da minha vocacao…fiz faculdade de engenharia empurrando e n gostando mas fui ate o fim por n saber oq fazer…trabalho na area mas super sufocada e querendo pedir demissão tds os dias mas sou civarde pq penso q ficar atoa vai me angustiar mais ainda ja q nao sei p onde ir e oq fazer….me sinto olhando p varios caminhos mas nao conseguindo seguir em frente em nenhum deles
    Muito bom seu texto!!!!!!!!

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Enquanto Deus estiver fora de você nada será revelado. Pergunte ao Deus dentro de você o que você deve fazer para os outros e encontrará a sua vocação.

  • Luiz Eduardo

    Acho que me questiono sobre qual o meu propósito de vida e quais os meus talentos desde que eu entrei na faculdade de Engenharia Elétrica a nove anos. A aprovação na universidade surgiu como uma surpresa em minha vida. Apesar de no segundo grau eu ter estudado bastante, não tinha a menor noção de quem eu era, estudava muito, mas sem orientação para onde ir. Via meus colegas fazendo sua escolhas profissionais, achava um máximo quando algum colega dizia que estava se preparando para entrar no ITA. Achava aquilo um sonho, fantástico, mas nunca tinha a plena convicção das minhas escolhas a fim de empreender um esforço tão grande para passar em uma instituição como o ITA. Então, sem convicção de nada acabei me contentado em fazer o vestibular da universidade federal local.Passei! Foi aí que todo o problema começou. Eu passei a me questionar sobre minhas escolhas, meus talentos, ao mar de possibilidades que eu abri mão. Aí entrei em uma depressão, passei as férias antes de começar a faculdade toda de cama e quando começaram as aulas, continuei mal e trancando todas as disciplinas do curso, exceto as necessárias para manter o vinculo com a universidade, para poder ficar mais tempo em casa e não sofrer tanto. Fiz várias tentativas de retornar ao curso, mas sempre tinha uma recaída, achava que minha vida tinha acabado e iria atrasar minha vida sem chances de recuperação. Terminado o ano fiz outro vestibular, mas pra jornalismo, quase passei, mas também não tinha segurança nessa área. Então, mais uma vez tentei retorna a Eng. Eletrica, mas tive outra recaída, achava que não daria mais tempo de me formar cedo. Logo, a minha atitude final foi mudar de Engenharia como uma fuga da minha situação emocional. Passei no vestibular para Engª de Produção, e resolvi terminar o curso. Estou com 28 anos me formei a dois anos anos, mas me encontro desempregado e com os mesmos questionamentos. Tive algumas oportunidades de trabalhar, mas sempre tive uma insegurança que só recentemente estou conseguindo me livrar, já com a idade que tenho. Essa é um pouco de minha história.
    Parabéns pela texto, precisamos de mais debates assim na internet.
    Um abraço!

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Obrigado Luiz pelo comentário. Aproveite esta idade para transformar-se e encarar o desafio de ser aquilo que deseja ser. Está numa ótima idade para isso pois é mais ou menos nessa idade que todas as pessoas realmente começam suas vidas.

  • Mariana

    Procurei na internet livros que possam me ajudar a encontrar um rumo na vida e acabei encontrando seu texto. Ele realmente me tocou, chegando a me emocionar. Acredito que todos temos uma missão na vida, o problema é que eu não encontrei a minha e como pude ver isso é comum entre muitas pessoas, o que achei estranho foi que lendo os comentários percebi que as pessoas eram bem mais velhas que eu, que tenho 16 anos e já me sinto super preocupada com isso. O problema é que eu gosto de muitas coisas mas nenhuma delas se encaixam completamente em uma determinada profissão.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Tá aí Mariana, você precisar criar a sua profissão. Até 10 anos atrás não existia a profissão de blogueiro ou vlogueiro, mas elas foram criadas.

      Pegue aquilo que você tem dentro de você para servir e construa a sua profissão. Não tente entrar em uma caixinha.

      Parabéns por já estar preocupada cedo e vamos em frente.

  • Suzana

    Lendo esse texto me emocionei qdo li:”….. nossa família, nossos companheiros de trabalho, etc. Essas pessoas formam o pequeno círculo da nossa sociedade individual. É com elas que passamos a maior parte do tempo e é com elas que devemos aprender quais são os nossos talentos e competências. ” Me sinto tão fracassada e rejeitada na vida, sempre senti tanta solidão na minha vida, que hoje aos 50 anos, nem tenho mais vontade de viver. Desde que me conheço por gente – na verdade nem me sinto gente, como as outras pessoas – me sinto sozinha e nunca consegui aprender quais são meus talentos e competências. Minha família sempre foi bastante problemática, e convivi com uma mãe manipuladora, autoritária, insegura, ciumenta , que competia comigo a atenção do meu pai , o qual sempre preferiu deixar minha mãe controlar a situação para evitar brigas. No entanto não adiantou mto. Eles envelheceram juntos mas perderam o respeito um pelo outro e só se toleram mutuamente numa dependência emocional absurda.Sempre ouvi minha mãe dizer que eu não servia para nada, e nada do que eu fazia era bom o suficiente para ela.Nunca me elogiou ou demonstrou se importar com meus sentimentos, com minhas vontades, com minhas necessidades. Para ela criança não tem querer, vontades próprias, opinião, ñ podia se manifestar nunca, falar sem autorização. Fiquei adulta e fui trabalhar na profissão que ela juntamente com meu pai decidiram que eu deveria estudar. Me formei professora porque na ocasião era o único curso profissionalizante existente na minha cidade que eu poderia fazer sem que eu precisasse estudar à noite. Aos 18 estava formada e comecei a ganhar meu dinheirinho. No início ela queria ficar com todo meu salário, mas com o tempo consegui me impor e paasei a administrar minha vida financeira e meus gastos sem dar satisfação a ela. Nunca namorei , nunca tive filhos, sempre fui muito tímida e insegura. Apesar de ser bonita me achava feia. Autoestima zero. Não sei mais o que fazer da minha vida. Não consigo ter o amor das pessoas por mais que eu sirva. Aliás servil é o meu nome. Me sinto muito revoltada e so tenho vontade de me isolar. Não confio que alguém possa gostar de mim e de alguma forma acho que acabo sempre estragando os possíveis relacionamento que aparecem . Na verdade, os que aparecem são sempre com pessoas que não estão disponíveis e são também meio complicadas. Não tenho vida social, e me desespero sempre ao olhar para minha vida e não ver a luz no fundo do túnel. Quando li esse texto eu fiquei a imaginar: Por onde eu poderia começar, meu Deus ?

    • suzana

      ai desculpa ….. nada a ver com o objetivo do site, esse desabafo, né ?

      • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

        Suzana.

        Você convive com pessoas que também são complicadas porque espelha isso.

        Recomendo que você busque um apoio de um psicólogo, parapsicólogo ou terapeuta comportamental para lhe auxiliar nessa busca por você.

        Pelo seu texto, existe muita mágoa, rancor e culpa acumulada e carregando tudo isso na bagagem, fica complicado ganhar velocidade para seguir em frente.

        Não desista de você. Tudo é possível.

  • Daiane Barros

    Olá,

    Também estava direcionando as minhas dúvidas para “meu amigo Google” quando seu texto apareceu. No começo não entendi perfeitamente, mas depois as coisas começaram a fazer sentido.
    Tenho 29 anos e estou vivendo um momento decisivo na minha vida: mudança de carreira. Hoje estou tendo a oportunidade de trabalhar com algo que havia sido minha escolha, há cerca de 10 anos atrás, mas que, por vários motivos, acabou não se concretizando à época. Até gosto do que faço hoje (área administrativa/contábil/recursos humanos) mas não acho que faço qualquer diferença na vida de alguém, e isto me aborrece e me sinto aprisionada, como você diz no texto, acordando todas as manhãs me perguntando se a vida é só isso mesmo. Essa oportunidade é para dar aulas de inglês, uma mudança drástica. Mas é gostoso porque estou ensinando e aprendendo ao mesmo tempo. Todos dizem que levo muito jeito pra isto e acreditam mais em mim do que eu mesma, não me sinto “trabalhando” quando estou dando aulas, gosto do contato com os alunos e de sentir que estou ajudando, sendo útil para aquela pessoa. Pelo que entendi, a proposta do seu artigo funciona como um exercício de autoconhecimento (os mais difíceis que existem) e a partir das suas habilidades e talentos a sua profissão ou carreira pode surgir, acho que estou bem no meio deste processo, mas confesso que tem sido muuuiiitoooo angustiante viver estes momentos de dúvidas.
    Espero muito escolher bem, e agradeço pelo texto, que já me ajudou um pouco mais na decisão. Abs

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Daiane, como respondi acima para o Rodrigo, no serviço de mentoria online do campus, eu tenho como lhe dar essa orientação de perto http://campus.insistimento.com.br

  • Rodrigo

    Oi Marcos,
    cara, adorei o seu texto. Quero compartilhar o meu sofrimento tb e gostaria da opinião de vocês. Tenho 29 anos, moro em São Paulo e não sei o que faço da minha vida. Vou contar um pouco minha trajetória.
    Tive problemas familiares quando adolescente,briga entre pai e mãe e problemas financeiros. Sempre estudei em colégio particular,um dos melhores de SP e sempre tive baixa autoestima, Meu pai faleceu em 2003,assim que terminei o ensino médio. E dediquei 2 anos da minha vida num cursinho pré vestibular, não tinha experiência de trabalho e me vi na obrigação de escolher uma profissão. Como você disse “escolher intelectualmente minha paixão”. Escolhi várias, entre elas Computação, passei nela, entrei na usp de são carlos( escolhi fora de SP pq não suportava mais a cidade, principalmente o transporte publico). Outra vida, autoestima nas nuvens, cidade excelente para morar. Quando o curso começou pra valer os problemas vieram. Aulas chatas, professores que querem ferrar os alunos, principalmente matemática, não entendia nada do assunto e ainda tive problemas pra socializar. O primeiro ano praticamente foi jogado fora, levei pau em quase todas as matérias, no segundo ano consegui morar sozinho e estudar um pouco mais e depois de 7 anos terminei o curso. Terminei sem sentir paixão pelo que fazia. Fiz meu estágio com programação durante 6 meses e fui mandado embora, falaram que eu não tinha comprometimento. Também ficava entrando em sites de bolsa de valores e ficava investindo no horário de trabalho kkk. Sentia vontade de conversar com pessoas e queria muito viajar, se eu tenho uma paixão é essa, já fui pra argentina,nordeste,sul. Depois de meses desempregado fui trabalhar na área de vendas de um curso de inglês, gostava de visitar clientes, empresas, a filosofia da empresa de empreendedor, mas acabei descobrindo que vendas não é comigo, não tenho tanta habilidade com persuasão como pensava, acabei tendo um baixo desempenho e acabei sendo demitido. Atualmente estou desempregado, não sei se estudo pra algum concurso publico, se presto vestibular para alguma carreira como adm, medicina; ou se volto pra minha área fazendo algo que não envolva programação(algo dificil). Surgiu uma oportunidade de sociedade para a criação de um app, mas só seria remunerado se o app desse lucro e teria que voltar novamente a programar. Enfim, não quero escolher meu caminho intelectualmente. Penso algo sobre mim mas na prática reajo de outra maneira. Estou realmente perdido,não sei o que faço e o tempo está contra mim, isso me deixa deprimido cada vez mais

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Olá Rodrigo. Através do serviço de Mentoria Online do Campus Insistimento, damos orientação sobre isso. http://campus.insistimento.com.br

  • giba

    Caro Marcos
    Estava eu embusca de respostas sobre meu problema , quando me deparei com seu site!
    Confesso que só de ler seus artigos e ver os depoimentos diversos , me senti um pouco aliviado pois agora sei que não é só eu que venho sofrendo por indecisões na vida!
    Minha vida pode ser dividida em 2 partes! A 1 de alegria e sucesso e a 2 tristezas e decepções!
    Do primeiro ano de vida até os meus 16 anos , foi tudo maravilhoso….tudo dava certo , cheguei a ganhar um concurso de desenho desbancando mais de 200 estudantes no colégio , foi a 1 vitória que considerei “saborosa” na minha vida!
    Logo após essa fase , descobri que era filho adotivo e que era o caçula de 9 irmãos e que havia sido “dado” como uma mercadoria a uma familia cujo casal não poderia ter filhos!
    Entrei em depressão , fiquei tempos trancado no quarto , comecei a beber escondido no quarto e abandonei os estudos.
    Era só lamento , brigas e agressividades ! Eu estava virando “outra pessoa”, logo depois que “passou” está fase , voltei a estudar e terminei o ensino médio , assim estando apto a seguir com um curso superior…e aí que vem mais problemas!!! Mudei pra MG , e São Paulo capital , ingressei em 5 instiuições de ensino superior , cursava os cursos no máximo por 1 semestre e logo depois desistia! Os cursos foram …(Direito,Biomedicina,Educação Física, Publicidade,Letras e um curso de Espanhol do CCAA)! Isso mesmo! Para vc ver o “tamanho do fracasso”!Além do SENAI que tb tinha o mesmo problema de começar e largar o curso! Hoje tenho 33 anos , sem diploma universitário , depressivo , sem namorada com uma culpa enorme na alma pelos investimentos que foram feitos em mim durante todos esses anos sem retorno para meus pais!Sem emprego, sem experiência em nada já “velho” para o mercado de trabalho e para completar ….acabei virando um alcólatra!!Vivo com meus pais e meu pai não conversa mais comigo fazem 7 anos , minha mãe é a única pessoa da minha vida que me dá apoio…e que ainda não desistiu de mim!!Em 2004 sofri um acidente na serra de Passa Quatro/MG , caí 49 metros de ribanceirabebâdo , parando quase num leito de um rio, quebrei o maxilar e tive apenas escoriações!
    Fui pego na blitz do bafômetro e fui obrigado a ficar 1 dia preso numa cela pequena e imunda com bandidos da mais alta periculosidade além de ter sido espancado pelo policial que fez minha prisão! Olha…nem sei como estou de pé ainda…ou tb como não tirei minha própria vida! Penso que se soubesse qual seria carreira ideal pra mim…eu já estaria trabalhando na área , talvez casado e vivendo feliz na área certa pra mim!Convivo com um certo “abandono” de familiares e amigos e com o fardo de ter sido sempre “anulado” pelas pessoas de minha familia desde criança!
    Portanto…amigo, peço uma sincera opinião sobre mim! Oual sua opinião? Qual o procedimento que devo tomar para enfim …encontrar a felicidade profissional? Enorme abraço pra vc!! Obrigado.

    • Si

      Oi, giba. Primeiro, você ainda é jovem, ainda pode se reinventar. Acho que o fato de você reconhecer o alcoolismo já é um passo importante para superar o problema. Você disse que está morando com seus pais, acho que se você tentar servi-los nas pequenas coisas, no que você puder, seria uma boa maneira de recuperar o contato com seu pai e retribuir o apoio da sua mãe, e isso ainda pode te ajudar a encontrar seus pontos fortes. Mudar de postura pode te reaproximar dos amigos e da família. Você disse que já se destacou desenhando, quem sabe você não possa investir nisso? Tomara que a orientação do Marcos possa te ajudar. Boa sorte e sucesso na carreira que você escolher.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Giba, a primeira coisa que você deve fazer é começar a olhar mais para o para-brisa do carro que para o retrovisor.

      Perdoe e esqueça o seu passado e pare de ficar pensando no que podia ter ocorrido diferente.

      Pensando para frente, comece a pensar nos outros, no que pode servi-los, mesmo que não receba nada em troca.

      Das pessoas que comentaram aqui você foi a que chegou mais no fundo do poço, sendo até preso e nem por isso desistiu de viver. Ou seja, existe algo na vida que você gosta e por isso não resolveu abandoná-la como outras pessoas, bem mais fracas que você fizeram. O que é esse algo?

      Robin Williams http://pt.wikipedia.org/wiki/Robin_Williams
      Fausto Fanti http://pt.wikipedia.org/wiki/Fausto_Fanti#Elenco
      Chorão http://pt.wikipedia.org/wiki/Chor%C3%A3o_(cantor)

      Todos esses acima, são suicidas recentes que não aguentaram a pressão da vida.

      Somado a esses nomes temos:

      Albert Einstein
      Santos Dumont

      Ou seja pessoas que fizeram, fizeram, mas não aguentaram a pressão que você está aguentando.

      Fique firme, e encontre o “algo” que te faz resistir e continuar vivo.

  • Loren Evan

    Bom dia, Marcos! (Na verdade, no meu caso, ainda está de madrugada e não está nada boa).
    Primeiramente gostaria de lhe parabenizar pelo texto; é realmente muito bom! Meu desespero é imensurável e o vi como um primeiro passo para, talvez, sair dessa crise depressiva na qual me encontro, a qual já possui aproximadamente 1 mês. (Sofro de depressão e ansiedade há um tempo…)
    Tenho 23 anos (24 daqui a poucos dias), estou cursando a segunda graduação, mas sinto que ainda não me encontrei. Passei por alguns problemas graves – sendo mais específica, decepções de cunho religioso (Cristianismo) que afetaram seriamente todas as outras áreas de minha vida e de minha família – que trouxeram e ainda trazem consequência para meu presente. Fui diagnosticada com Depressão Grave e Transtorno da Ansiedade Geral, distúrbios alimentares (emagreci 23 kg em menos de um mês, depois engordei novamente, perdi e agora estou novamente acima do peso – TERRÍVEL!), possível transtorno bipolar, sem mencionar a vida amorosa que foi só decepção. Sofri dois assaltos com abordagens terríveis… Tive Pânico… Enfim, não quero me alongar, só queria saber que você pode me ajudar de alguma forma. Não estou trabalhando no momento pois a faculdade que estou cursando agora é integral. COmo estou de férias, estou isolada desde o começo das férias. Trancada no quarto há 1 mês. E antes das férias, já estava evitando atividades sociais, só ia pra faculdade e voltava pra casa porque era obrigação. Não sinto mais prazer pela vida e não faço mais a menor questão de existir. :(

  • Frederico Schneider

    Bom dia Marcos,

    Tenho 42 anos trabalho com informática mas realmente estou totalmente decepcionado com a área e não tenho mais saco de continuar nela.

    Sempre gostei de esportes por isso pensei em ed.física mas fui tolido pela família que me convenceu a apostar na profissão do futuro que era informática além do meu Pai trabalhar no Serpro.

    Então decidi fazer para entrar no Serpro e ser um funcionário público, porém quando atingi a maioridade não podia mais entrar no Serpro, só através de concurso o qual não passei.

    Acabei não me formando na universidade pelo desinteresse da área e ano passado fiz vestibular para ed.física e acabei passando mas tranquei devido à um problema de saúde.

    A grande questão é que eu não sei se devo fazer isso devido as contas que tenho como Pai de família e pelo que vejo na área de ed.física seria muito difícil alcançar essa renda.

    E então o que faço deixo me levar pela emoção, prazer ou optar pela razão e me conformar?

    Muito obrigado.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Frederico, o ideal é buscar sempre o equilíbrio e encontrar como satisfazer ambas as partes. Em breve publicarei mais artigos como esse por aqui e esse tipo de mentoria é o que damos através do Campus Insistimento se quiser fazer parte: http://campus.insistimento.com.br

  • JESSICA

    Boa tarde .

    Tenho 21 anos e ainda não tive meu primeiro emprego, estou muito indecisa em escolher qual faculdade fazer, ja pensei em fazer varias, e ainda não sei qual fazer parece que estou para no tempo = .

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Jessica, comece a trabalhar em qualquer coisa, mas não aceite um emprego se quiser empreender.

      • Rodrigo

        Marcos, primeiramente parabens pelo site, ja o acompanho a um bom tempo. Fiquei intrigado quando você disse a resposta acima ” …mas nao aceite um emprego se quiser empreender”..penso nisso todos os dias, o que quis dizer especificamente?
        O meu muito Obrigado!

  • Dani

    Boa tarde , amigos eu tb estou sem saber o que fazer da minha vida , tenho 46 anos, solteira , só com minha cachorrinha, sem profissão definada…..completamente estagnada , parada ……não sei o que fazer ( sempre penso em morrer , não vejo sentido nada na vida ) meus dias são vazios ……nada a fazer ….não sei o qu fazer , onde ir , estudar , com esa idade e sem um curriculo …..não consigo emprego nem de recepcionista …..familia e amigos tb não tem como me ajudar ….é como se a vida me dissesse se vira . Ja tentei ir duas vezes …..sempre penso nisso . Tenho depressão , remedios e terapias a mil anos não fazem efeito ….? O QUE FAZER ? servir aonde ? …..peço ajud

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Dani, sirva as pessoas que estão ao seu redor e descobrirá o seu serviço.

  • hel

    nunca me encontrei profissionalmente fiz faculdade de psicologia e fiz técnico em radiologia mas ambas áreas nunca me identifiquei e nunca consegui emprego em nenhuma das as áreas por causa do Qi hoje já estou com 38 anos estou pensando em fazer curso de banho e tosa de çães mas eu acho que estou muito velha para trabalhar com isso,escolhi está área porque gosto muito de cachorro

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      38 anos e se achando velha!? Que isso Hel! Eu tenho 35 e continuo com o mesmo pique ou até mais de quando era mais novo. Você está no primeiro terço da vida!

  • hel

    hel nunca trabalhei porque não quis e sim porque não tinha experiência ou por causa do quem em dica o famoso QI

  • Vito Scaletta

    Hmm… eu estava pesquisando por outras coisas e me deparei com esse site, interessante… E só reforçou algumas ideias que eu estava tendo! Vou fazer 20 anos esse mês, trabalhei em duas empresas, na primeira empresa fui demitido após 1 ano e meio (era um estágio) na segunda, mal sai do treinamento e me demitiram em 1 mês, e o pior de tudo, eu era um funcionário muito exemplar, reservado, que chegava primeiro e acendia as luzes organizava as prateleiras, e nem assim fui reconhecido, e com essas 2 demissões fiquei quebrado… Não estou em depressão nem nada disso, apenas sem rumo, e sem motivação, e o pior, não consigo tomar iniciativa, preciso de um impulso! Sei que pode parecer bobeira mas me inspiro em algumas pessoas, e duas delas são YouTubers, isso mesmo… Dois caras que fazem eventos de doações e caridade, e isso me inspirou bastante, são pessoas que estão tentando mudar o mundo, e acho que isso é um dos motivos de estarmos vivos, ajudarmos uns aos outros, porque é a coisa certa? Sim, porque é a coisa certa, se todos pensassem assim teriamos um ciclo vicioso e todos ajudaria uns aos outros, você ajudaria alguém sem nada em troca, mas no dia seguinte receberia ajuda de uma pessoa diferente… Imagine um mundo assim? Bom, isso é uma das coisas que quero fazer, ajudar nesses eventos de caridade e etc, algo que vou fazer muito pro futuro… Voltando ao presente, estou com planos de fazer cursos ou ate uma FATEC pra não ficar parado, tenho todo o tempo pra estudar pra concursos mas não tenho forças pra ficar procurando o material estudar… Não suporto empregos que a carga horário seja o dia inteiro, meu ultimo emprego foi esse e quase não estava mais aguentando e ainda sim, dando o meu melhor, so que ai fui demitido, foi algo que aprendi, invejosos tem em todo lugar… Eu só preciso de um impulso! Mas nem eu sei se estou passando por um problema, ou se é alguma coisa da minha cabeça.

  • Lara

    Ola Marcos!
    Bom, eu tenho 23 anos trabalho atualmente em uma empresa de Despachos aduaneiro (sou recepcionista). Fiz 04 períodos de Enfermagem, mais tranquei! Estou tão desmotivada, sem vontade de estudar…. mais por outro lado vejo que o tempo esta passando e eu continuo na mesma!
    Não gosto mais nem de sair de casa… de me arrumar… não sei o que esta acontecendo comigo!

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Mude Lara. Mude. Você é muito nova para trocar a sua vida pelo pagamento de algumas contas no final do mês. Mude!

  • Lucas

    Olá Marcos,excelente texto.Gostaria de sua opinião.
    Tenho 20 anos,sou casado a 3 anos e tenho estabilidade em um emprego ”legal” a 4 anos.Estou naquela fase de escolher uma profissão e tal…todos que estão a minha volta querem que eu faça Direito(até eu queria) mas nem tanto.Bem,sinto que estou perdido em meio a sociedade,acabei me afastanto dos amigos,porque trabalho sozinho na empresa e sei lá….quando percebi estava isolado do mundo.Estou em dúvida se devo sair desta empresa e arriscar em outra profissão,mas temo por minha família…se der errado..já era..entende?…Mas também tenho confiança em mim no sentido de que sou simpático até demais e faço me expresso muito bem(falando).Em Resumo,meu trabalho me isola do mundo porém tenho estabilidade financeira la, tenho medo de sair e não conseguir atingir o mesmo nível.
    Por favor,me de uma opinião.
    Obrigado e parabéns pelo ”INSISTIMENTO”.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Lucas, você é muito novo ainda e minha sugestão é que utilize a sua jovialidade para fazer aquilo que você deseja e não aquilo que os outros desejam.

      Vá em frente no seu insistimento!

      • adilson

        marcos na boa eu sei que você é jovem e tal, mas nada substitui a parte financeira, ainda mais quando se é recém-casado, tenho 40 anos e 20 de casado, a algum tempo atras eu também tinha um emprego “legal’ que me permitia um monte de regalias, depois de 11 anos resolvi joga tudo pra cima, isto já faz 5 anos, o fato é que mesmo cursando administração o meu salario hoje é o meu vale do dia 20 na outra empresa, depois disto nunca mais consegui me reerguer, o conselho esta dado e de graça, pode ter certeza o risco de trocar um salario “legal” por algum projeto, ou sonho, ou algo que os outros dizem não vale o risco ainda mais quando vc tem família.
        boa sorte !!

  • Laura Weber

    Olá, bom texto..
    Tenho 20 anos, já tentei terminar meu curso duas vezes (Letras), e sempre me decepciono.
    A oito meses, mudei de cidade, comecei em um novo emprego.
    Me sinto inútil, acordo já pensando no final do dia, quando posso ficar sozinha, com um livro e um chá gelado, este é o momento mais legal do meu dia.
    Meu trabalho é cansativo e irritante, e como sou nova na cidade, ainda não tenho amigos.
    Me sinto extremamente limitada, e, tenho um sério problema em confiar nas pessoas.
    Não me sinto animada nem para sair da minha cama, muito menos me arrumar, ou falar com alguém.
    Me dizem que sou muito crítica comigo mesmo, mas não vejo como não ser.
    O que posso fazer, espero uma opinião.
    Brigada.

    • Luis

      Olha desculpas estar me entrometendo mais as duas precisam se animar,, vão em busca de seus sonhos para terem uma vida melhor dar um futuro melhor para seus filhos sua família não deixe a preguiça e o desânimo pegar vocês lembresse Deus não deu a vida atoa para vocês ele quer que vocês sejam campeãs e lembrem Nada como um dia após o outro dia,, sejam forte
      Recomendo Racionais MCs procurem entender o que eles dizem

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      O que você pode fazer Laura é parar de pensar em você e pensar nos outros, servindo-os como pode. Seus pais, seus vizinhos, etc. Não pense em ganhos financeiros agora. Ganhe só a oportunidade de gerar valor em algo para os outros e observe-se.

  • Maria Gabriela

    Bom dia! Tenho 20 anos, e não me sinto mais motivada para continuar na faculdade que faço, direito. Estou na 4ª fase, porém esse semestre está muito difícil. Minhas notas decaíram muito e não tenho mais ânimo ou motivo para estudar depois que recebi o resultado da bolsa de estudos que eu não ganhei. É difícil trabalhar durante o dia todo pra pagar a faculdade, não conseguir estudar direito por não ter tempo, e tirar somente notas baixas apesar de todo o esforço. Se trabalho apenas para pagar minha faculdade, e não consigo me dedicar 100% a nenhuma das duas coisas, como posso ter ânimo pra continuar? Estou pensando em trancar esse semestre pra ficar em casa esse finalzinho de ano. E voltar ano que vem, em outra universidade que me conceda mais benefícios e com a cabeça mais organizada. Tenho consciência de que vou voltar ano que vem, mas não consigo mais aguentar as pessoas falando pra mim que sou fraca, inútil e que esse meu pensamento é fútil. Por favor, preciso de um conselho.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Esqueça a opinião das outras pessoas, largue tudo e vá servir aos outros como disse no texto. Só a oportunidade de trabalhar já é a retribuição que você precisa.

  • Patrícia

    Boa noite, tentei cursar administração…não terminei, tranquei e voltei a cursar várias vezes….insisti, mas não dá, pois odeio cálculos, adorei as matérias teóricas, psicologia organizacional, TGA, RH, mas cálculos detesto, tranquei e não voltarei mais….cursei direito, 1 ano…detestei…trabalhei minha vida inteira como assistente administrativo, sempre arrumei emprego por conta do salário e dos benefícios, principalmente plano de saúde, pois tenho um filho, já está com treze anos, nestes vai e vem…cursei técnico em cabeleireiro, designer de sobrancelhas, maquiagem….gostei bastante, mas a rotina do salão me angustia, dias com serviço, hora sem….enfim, tudo incerto, arrumei um emprego como assistente de eventos, bem operacional, era meio chato, mas fazia o melhor, durou dez meses, a empresa está passando por dificuldades financeiras e me dispensou, pois as outras pessoas da equipe poderiam fazer meu trabalho……sou muito criativa, detalhista, gosto de trabalhos manuais, fiz buques de noiva de broches e pedrarias, ficaram lindos, mas, não consigo saber mais oque fazer, fiz página na internet para divulgar, deixei em salão de beleza onde tem o dia da noiva e até agora nada….estou pensando em montar um pequeno espaço como salão de beleza na casa de minha mãe, penso em começar fazendo designer e hena para sobrancelhas, cortes e escova, e se precisar tintura, mechas, somente com hora marcada, porém, minha mãe não acredita em mim, em meus sonhos….fala que começo as coisa e não termino, por causa das faculdades, e agora oque faço, estou com 41 anos, separada, moro com minha mãe, tenho um filho de treze anos e desempregada, sem saber oque fazer.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Patrícia, em que você pode servir verdadeiramente aos outros. É nisto que está a resposta para os seus problemas.

  • Emmannuel

    Me identifiquei demais com o texto. Fiz Computação numa faculdade federal, mas quando me deparei com os cálculos, me desestimulei completamente. Um dos grandes erros do ensino, na minha opinião, é rechear a mente dos alunos de assuntos que aparentemente não são tão ligados à área que ele está estudando. Quem aqui, na escola, via aplicações práticas (e interessantes) de química, física ou matemática além da arte da aritmética pela aritmética através de motivos explicados verbalmente ou por escrito? Esse tipo de política é de arrasar qualquer um ( a menos, é claro, que você naturalmente abrace o assunto). Somando essa política deficiente do ensino, aliado à não apresentação de algo palpável no curso, faz com que o aluno não saiba o que está por vir e se o que há vale a pena. Meus dias começaram a ficar cada vez mais difíceis de serem vividos na faculdade, chegando ao ponto de eu sair da classe no meio da aula por não ver mais sentido em ficar ali. As demais pessoas cursando o curso, sem comentários. Existiam grupinhos (patotas, se preferir) predefinidos: os que estudavam e gostavam (unicos que eu valorizava), os que so queriam beber e desculpe o palavreado, (f#der) e os que não sabiam bem se ainda deveriam ficar ali (eu incluso). Só sei que as minhas relaçoes sociais lá eram poucas, não havia muitas pessoas pra conversar nem mesmo assuntos referentes ao próprio curso. Algumas pessoas com as quais eu conversava num dia, no outro passavam por mim como quem passa por 1 transeunte qualquer na rua (nem Bom Dia respondiam).Não sei se isso é problema meu ou o que.
    Só sei que hoje tenho 23 anos, sou isolado e não conheço ninguem fora do circulo familiar, estou fora de instutuiçoes de ensino exceto cursos de inglês e espanhol. e sem perspectiva. Minha família me cobra e não me compreende, às vezes, dá até vontade de sair de casa e morar nas ruas (não farei isso), pelo menos ficaria longe de pessoas que não entendem que não, eu não sinto NENHUM orgulho em estar na situação em que estou. Devido a tais fatores acabei desenvolvendo ansiedade permanente leve que por vezes se intensifica. Já perdi a fé em encontrar algo a que eu me adeque, e ver que o tempo está passando e as pessoas que estudavam na mesma escola que eu estão conseguindo suas coisas e eu nada, não que eu ache que eles devessem estar na pior, só é frustrante demais pra mim.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Elimine as expectativas e eliminará boa parte dos seus problemas. Continue a nadar. Simples assim.

  • Gabriel Queiroz

    Marcos Boa noite, tenho 21 anos, me encontro no 4º semestre de Sistemas de Informaçao, entrei no curso por ter certa facilidade com tecnologia, porem ao entrar no curso percebi um mundo totalmente diferente. Me sinto como se tivesse em um lugar desconhecido, me sinto perdido e angustiado. Agora não sei o que fazer, se largo o curso, se continuo… Durante a semana a unica coisa q me traz prazer é o curso de Inglês… tenho medo pois o tempo esta o passando e ja queria possuir varias coisas e me encontro nesse conflito interno.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Largue o curso se não lhe dá prazer.

  • Gabriela

    Oi Marcos, eu tenho 26 anos, sou formada em biologia (fiz em uma faculdade particular que faliu), desde de quando formei em 2010, sonhava em fazer geologia pq gostei muito de estudar paleontologia que juntava Biologia e geologia, como não arrumava nenhum emprego na área vi isso como uma solução, porém geologia é um curso que só tem na Universidade pública e eu teria que passar no vestibular, não sou uma pessoa com problemas de aprendizagem mas eu sei que sou mais devagar e eu precisava d um cursinho p isso, eu n trabalhava e n tinha dinheiro para pagar, e meus pais n queriam m ajudar, aí fui procurar emprego,só achei emprego em 2012 e mesmo assim durou pouco tempo, porem paguei p cursinho, tentei o primeiro vestibular não passei, aí fiz d novo, como eu n estava confiante coloquei um curso com a nota mais baixa p entrar logo e trocar lá dentro, pq eu n teria mais grana p pagar cursinho, aí eu passei na segunda chamada, pensei que iria encontrar um estágio legal, que meus pais n iriam me encher tanto saco, mas foi ao contrário,além dos meus pais tenho uma “irmã” muito ignorante que faz o que quer e me bate s eu reclamo de alguma coisa, eu vivo com medo em casa, e apanhando, tenho que ficar calada com ela m chamando dos piores palavrões do mundo. Aì decidi sair da UnB, pq meu sonho de fazer geologia ficou menos do que a minha necessidade de sair dessa casa logo, e aqui em brasília é um inferno pq ou vc tem um subemprego p trabalhar q nem um burro de carga e receber pouco, ou concurso público, aí tô vendo se faço um cursinho para os bombeiros mas eu n sei s é isso que eu quero, só sei q eu preciso sair daqui e fica cada mais difícil pq além de depressão eu tenho transtornos alimentares, e isso vai tornando a vida mais complicada por mais que eu faça terapia é uma coisa que não sai de mim e eu acho que só vou ter paz quando sair daqui, mas eu n sei o que fazer sabe? tem hora que dá vontade de desistir de tudo, mas eu não quero viver assim p sempre.

    • Aninha

      Olá, desculpe pela minha intromissão, mas sei o que vc passa. Já vivi péssimos momentos assim tbm, entrtanto vale ressaltar que quanto mais vc der crédios a esses pensamentos e a essa pressão menos vc terá ideias. Não se deixe ser atingidas por outras pessoas, quem quer q seja, vc é uma pessoa especial e deve se sentir especial. A partir do momento que vc entender que as opiniões alheias não lhe trarão futuro, vai fluir de dentro de vc a oportunidade que vc tanto busca.
      Bjos linda, fique na paz de Deus!

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Gabriela:

      1. Aprenda a se cuidar. Vá até a polícia e denuncie os maus tratos da sua irmã.

      2. Saia de casa o quanto antes. Com uma mochila vá atrás de um emprego, alugue um quarto e reconstrua a sua vida.

      3. Não se distraia com amores, drogas, momentos tristes, momentos alegres, nada. Persista no seu caminho e construa-o com mais felicidade.

  • Mari

    Prezado Marcos,
    Tenho 27 anos e procurei sobre esse tema na internet e fui
    direcionada ao seu texto, que por sinal achei muito bom. Gostaria de entender
    como na prática funcionada o ato de servir, quando na realidade não possuo uma
    especialidade, mantenho minha rotina, trabalho, casa e vice-versa praticamente
    todos os dias.
    Fiz uma graduação na época apenas por fazer, pois não tinha
    condições financeiras de cursar o que desejava, e logo tive que trabalhar ao
    sair da escola.
    Não descobri até hoje qual meu propósito de vida, qual
    profissão eu deveria ter seguido, pois nunca faço nada de diferente que me desperte
    isso.
    Sinto-me desanimada e sem rumo, não
    busco, não procuro, não corro atrás de melhorias e de ideias. Pode parecer preguiça,
    mas na realidade não tenho disposição, muito menos ânimo.
    Muitas vezes quero apenas ficar quieta no meu canto, mas sei
    que ficando assim, jamais sairei do lugar.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Na próxima vez que alguém te pedir ajuda, não julgue, apenas ajude. Esta é a máxima do servir. Guarde isso e observe-se nos próximos dias.

  • Nay

    Olá, Marcos. Tenho 25 anos, sou aluna concludente de licenciatura em letras-português, achava que este curso tinha tudo a ver comigo, mas com o passar dos semestres comecei a ver que não era o que eu queria. Sou uma pessoa tímida, não gosto de falar em público, de ser o centro das atenções, sempre que tinha que apresentar seminários era uma coisa muito difícil para mim. Agora, na reta final da graduação estou nos estágios de regência, no primeiro dia sai chorando do colégio com a certeza que não é o que quero para minha vida. Estou muito triste, me sinto inútil, não me acho capaz, sempre me sinto inferior por não saber qual profissão seguir. o que devo fazer?

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Sirva Nay, só isso. Sirva, como diz o texto.

  • Thais

    Olá Marcos!
    Tenho 21 anos, sou casada e tenho uma filha de um ano e meio.Antes de tudo isso acontecer na minha vida, “casamento, ter filho, sair de casa” eu vivia num mundo de sonhos, de ideias, de desejos por viver, por seguir meus sonhos, fazer faculdade, morar sozinha, ser independe e muitos outros.Mas tudo aconteceu ao contrário do que eu imaginava pra mim, na verdade mesmo na época eu já vivia me perguntando oq escolher para cursar e mesmo assim não tinha certeza, e hoje em dia continuo com essa incerteza, mas de uma maneira muito pior. Não trabalho, não possua experiência nenhuma e dependo do meu “marido” pra tudo, coisa que independência pra mim era o meu objetivo. Cuido somente da casa e de minha filha, e além de tudo meu casamento já era, acabou o amor embas partes.Ou seja, me sinto uma inválida total…
    Vivo totalmente perdida, não consigo decidir oque cursar nunca, as pessoas ao meu redor não acompanham meu raciocínio, eles não entendem que se eu descobrisse oque cursar mudaria minha vida, acho mesmo que tudo tomaria outro rumo.Mas sinceramente não sei :( Se puder me ajudar eu seria grata a você eternamente.
    Me desculpe a incoerência de tudo que escrevi, espero que entenda.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Thais, primeiro se livre daquilo que está se fazendo mal e aí sim comece a pensar no que fazer à frente. Sucesso!

  • Ricardo Rissi

    Olá!! tenho 34 anos,tenho 2 filhos e uma esposa perfeita. Mas ainda não sei o q fazer da minha vida tenho feito de um tudo nessa vida, porém nunca encontrei algo que me fizesse sentir prazer. por onde passo deixo tudo e todos bem de vida e eu vou ficando na mesma. não tenho ambição nem ganancia apenas sigo um estilo de vida em que a sociedade criou, gostaria de ter planos e objetivos.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Se por onde você passa deixa tudo e todos bem de vida, porque não fazer disso uma profissão? O que de fato você faz para essas pessoas que as torna melhores do que eram antes? Se você consegue montar um portfólio com isso, já tem nas mãos algo valioso para vender para os outros.

  • Marcelo

    Tudo bem Marcos!! Meu nome e Marcelo tenho 28 anos casado sem filhos , então eu não sou muito bom na minha profissão (caldeireiro) já tentei me especializar mas não consigo progredir ,, e não sei o que fazer. Queria mudar de profissao mas não sei o q fazer , estou desanimado com a vida sem auto estima ,, no momento estou desempregado ai fico mais pra baixo ainda sem motivação pra nada ,, desculpas por esses problemas espero que possa me escrever algo que possa me ajudar ,, desde já agradeco pelo espaço , muito obrigado , abraço !!!!

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Marcelo, se estás desempregado, então tem a oportunidade que precisava para mudar de profissão. Busque alguma que se equipare com seus ganhos anteriores e que você tenha mais afinidade. Tente encontrar uma lista de profissões para que uma a uma você vá vendo aquela que à primeira vista lhe pareça a melhor opção para tentar.

  • Peter

    Olá Marcos tudo bem?!
    Tenho 18 anos acabei de termina o ensino médio, estou indeciso do que fazer na minha vida, não sei se eu devo trabalhar, servir o exército ou ingressar em uma faculdade, tenho muito medo de começar uma faculdade e não conseguir concluir, eu também não gosto de estuda e não sei que curso fazer, por isso estou pensando em entrar no exército, muito dizem que o exército é ruim. muito obg!

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Peter, as forças armadas são ótimas. Lá você vai “aprender a ser homem”, o que é mais importante. Aprenderá a respeitar ordens, trabalhar duro, acordar cedo, entre outras coisas. Quando sair do exército, se sair, você vê qual área pode atuar.

  • Gabriella Ferreira

    Marcos tenho 22 anos, começei a cursar Psicologia que é a minha verdadeira paixão fiz até o 3´’ periodo e infelismente tive que trancar por motivos financeiros, fiquei um ano esperando as coisas melhorarem pra poder voltar durante esse tempo procurei emprego mas como moro no interior não tive resposta, esse ano decidi que não quero ficar outro ano sem fazer nada, então, decidi estudar pra prestar concurso publico só que não é isso que eu verdadeiramente quero, sei que passo porque gosto bastande de estudar mas não pra PM como é o concurso que tem por aqi e existe outro problema, nesse concuso o participante se torna inapto por ter tatuagens e eu possuo duas pequenas. Existe pressão por todos os lados na minha familia, ninguém quer me ajudar financeiramente em psicologia porque não concordam, faculdade particular é muito disputada irei tentar esse ano mas é só no fim do ano e eu queria algo pra logo, algo produtivo que me mantivesse ativa entende? O que vc sugere? Obrigada pelo espaço, seu site é incrível.

    • http://www.insistimento.com.br Marcos Rezende

      Gabriella, como futura psicóloga, você pode imaginar que só você pode dizer o que é melhor para você, certo? Então, comece a tua busca, faça algo que te dê prazer e siga em frente.

  • Pingback: ()

  • http://www.printprint.com.br/scriba Tiago Nogueira

    Marcos, tenho 50 anos e estou desempregado ha 4, dependo financeiramente da minha mãe. Não consigo emprego por causa idade. Estou aprendendo a servir e sei os benefícios. Faço trabalho voluntário ha anos em hospitais. Não me sinto capaz para estudar para concurso e gostaria de empreender. É possível fazer isso sem muito dinheiro? Como resolver a equação?

    • http://www.insistimento.com.br/ Marcos Rezende

      Assumir a responsabilidade de vez sobre o seu destino, não se colocando mais como vítima das circunstância e transformando o serviço que entrega para as pessoas em receita. Perceba que tudo o que escreveu é a sua opinião sobre você mesmo e não a realidade. Mude a sua opinião e mude a sua realidade.

      • http://www.printprint.com.br/scriba Tiago Nogueira

        Obrigado. Realmente, meu texto, escrito sob abatimento, é apenas uma lamentação. A transformação é o mais importante.

  • Carla

    Olá,tenho 36 anos,casada,meu marido nunca deixou que eu trabalhasse fora de casa,ando desanimada demais,sem perspectiva de vida,não me sinto capaz de voltar estudar,amo crianças,as vezes faço trabalho voluntário nos orfanatos,será q com 36 anos,consigo um emprego legal?p cuidar de crianças,recreação,na minha época de adolescência não tinham esses trabalhos em buffets,hj vejo filhas de minhas amigas fazendo,gostaria de fazer tb,mas pela idade,encontro-me sem saber o que fazer,para ganhar ao menos um saálrio,sem depender de ninguém.
    Obrigada desde já!

    • http://www.insistimento.com.br/ Marcos Rezende

      Eu tenho 35 anos. Você tem 36. Qual a diferença? Um monte de empreendedores começaram a empreender a partir dos 40. Então, não deixe que ninguém (nem o seu marido) tome conta da sua vida e toca em frente porque você tem, pelo menos, mais uns 50 anos de vida aí.

  • Alice Barboza

    Olá, tenho 18 anos e não tenho ideia que faculdade escolher, talvez a minha vontade de querer sempre aprender assuntos novos e principalmente aprender a fazer coisas que serão benéficas para meu futuro possa me atrapalhar nessa decisão, também sou uma pessoa idealista! E tenho medo de errar na faculdade escolhida, fazer com que as decisões que eu tome agora possa atrapalhar minhas metas do futuro e que minha síndrome me impeça de realizar tudo isso que citei a cima. Você poderia me ajudar?!

    • http://www.insistimento.com.br/ Marcos Rezende

      Alice, se você tem metas, escolha uma faculdade que combine com elas.

  • Andre

    Marcos,eu tenho 32 anos e recentemente percebi que a vida (de verdade) tanto a minha quanto a de muitas pessoas que conheci e conheço começa mais ou menos entre os 26 e os 30 anos, eu posso dizer que tenho o dom de servir, de escutar, de sentir as pessoas, mas eu digo que eu não consigo encontrar o bendito sentido da vida, tenho problemas em casa como muitos mas isso não me impede de fazer absolutamente nada, mas eu não consigo descobrir o que fazer, estou empregado, mas fazendo a mesma coisa já a uns 10 anos, já subi de cargo, mudei de empresa mas sempre na mesma área, não ganho bem, mas também não ostento muito, tenho meu carro popular quitado, moro com a minha mae que também trabalha e estou construindo a minha casa no segundo andar da casa dela, até para não deixa-la sozinha, enfim, se eu pudesse sim, ter uma remuneração considerada alta a ponto de ajuda-la a distancia para mim seria ótimo mas no momento não vejo ou não tive nenhuma ideia, enfim, claro que não quero que descubra o sentido da vida…rs mas preciso de ideias, estou mudando hábitos, frequentando academia (coisa que nunca imaginei fazer), mas não por querer impressionar ninguém, estou me exercitando pq o sedentarismo era uma das minhas preocupações, não fiz faculdade pois não achei nada que realmente me motivasse, nem psicologia me motiva, enfim, preciso mudar, evoluir, a impressão que tenho é que parei no tempo, e pior, sei lá pra onde vou…

    • http://www.insistimento.com.br/ Marcos Rezende

      Andre, acho que continuar acompanhando o nosso site pode ser um diferencial para você ter essas ideias que busca. Com o tempo e a maturidade, elas acontecerão.

      • Andre

        Obrigado por responder. Eu entendi uma porção de coisas com sua resposta, vou continuar observando.

  • Gisele Silva

    Olá Marcos! Estava pesquisando na internet e encontrei seu texto. O meu problema é que eu estudei aquilo que queria, mas não consigo emprego na área. Eu sempre quis ser atriz: fiz teatro. Percebi que só com o teatro eu não seria uma boa profissional, então fiz faculdade de rádio e tv. Tive que trancar o curso de teatro por causa da grana, mas me formei na faculdade em Dezembro. Mas sequer para entrevistas de estágio eu era chamada, e eu não tenho habilidades que o mercado exige: sou tímida, não sei fazer networking, não sou criativa, não sou empreendedora. E na minha área só sei editar vídeos, mas nada. Nos meus dois últimos empregos eu era tão desvalorizada que pedi demissão mesmo precisando de dinheiro, pois eu não consigo fazer o que não gosto. O pior é que eu não consigo me imaginar em outra profissão, desde criança eu sempre quis trabalhar com cinema, tv, teatro… mas agora não sei o que faço.

  • Rodrigo

    Boa noite Marcos!
    Meu nome e Rodrigo e tenho 21 anos, ha alguns anos deixei meu sonho de ser musico para trás e fui em busca de um emprego.Preocupado com meu futuro e vida financeira tentei de varias maneiras me adaptar ao tarbalho…alguns meses depois me vi preso ali,ia ao trabalho como se fosse um escravo,desgostoso da vida do emprego quando meus amigos me chamaram para tocar na banda deles.Me empolguei e fui,tocamos varias vezes e buscamos um outro emprego para mim poder continuar a tocar com ele,pois esse emprego era a noite e de domingo a domingo.Enfim conseguimos um emprego num horario bom…tudo certo animado tocando nessa banda,quando o antigo grupo q tocava e q me formou como musico (curso tecnico de musica) me chamou para tocar com eles.Fui comecei a tocar nos casamentos, somos um grupo de orquestra de camara a musica e minha vida me faz muito bem e tenho o prazer imenso de ensinar as pessoas tbm.A banda me barrou n queria q tocasse nos casamentos q iria atrapalhar e tals…tomei uma decisao de sair e muito feliz por ter saido,pois qro me formar como musico e a banda estava me impedindo…o fato e q obtive uma nota ruim no enem e n passei na seletiva na federal da licenciatura em musica.Mas n estou triste com isso.
    So quero saber se a algo de errado comigo…pois pedi demissão do emprego pois tbm começou a me impedir de prosseguir como musico. Nao sou totalmente dependente do emprego mas estou com medo de ter feito a escolha errada. :/ quero ter o meu proprio negocio irei fazer um curso de luthieria num projeto,sera sem custo, so a passagem q irei pagar(fabricação de instrumentos musicais) gosto muito de estar “atras das cameras” no meiking of digamos assim….saber como funciona as coisas. Mas e isso tenho medo de nao dar certo, tenho 21 anos mas a vida passa muio depressa.
    vou ficar noivo daq um ano ou dois mais ou menos pois tbm tenho o sonho de ter uma familia.
    DEsde ja agradeço a atenção…obrigado.

  • OcamaruBRES

    Olá!
    Tenho 29 anos e sou formado em Design de Produto desde 2007.Nunca trabalhei nessa área e nem tenho experiência de trabalho(nunca tive uma).Moro com pais,apenas o pai trabalha e a minha mãe é aposentada.
    Eu,de uma certa forma,quero muito poder eu mesmo ter meu próprio dinheiro e não depender de familiar algum.
    Eu gosto deles,mas acho que eles já fizeram muito por mim(ainda fazem algumas coisas como por exemplo,minha mãe que faz comida e lava minha roupa e meu pai que sustenta com o trabalho dele).
    E eu não quero continuar dependendo deles,gostaria de eu mesmo ganhar o próprio dinheiro.
    Mas e aí que começa a dificuldade.Para começar,sou anti social,nunca tive amigos,o que tenho no facebook são contatos de gente que estudou comigo em escola e faculdade e cada um tomou seu rumo,e eu fiz uma escolha que até hoje questiono se me formar em design foi a escolha certa,mas na verdade,nunca tive um amigo ou amiga,próximo(a) de mim,nunca namorei e só me decepcionei com garotas,nunca tive coragem para dizer a nenhuma o que sinto por medo de ser rejeitado.
    Porque tudo o que sei fazer é desenhar,jogar jogos de video game,e crio jogos em um programa chamado RPG Maker e não sei se tem alguém pelo menos daqui de onde moro(Sou de Vitória,ES) e praticamente não há nada que me interesse para fazer a não ser ficar em casa na frente do meu notebook ou jogando videogame.
    Vi em seu texto sobre a lógica de servir a alguém,mas eu nunca gostei da ideia de servir a ninguém a não ser eu mesmo.Quero fazer tudo que eu puder para conseguir as coisas eu mesmo sem a ajuda de ninguém e esfregar na cara de todos que acham que alguém sozinho como eu não pode viver ou sobreviver ou ao menos atingir a felicidade.E o jogo que estou criando vai ser algo que quero provar para o mundo e para mim mesmo quem sou eu,e o que quero.
    O problema é que tudo que faço não rende dinheiro algum.Tenho canal no Youtube sobre jogos que jogo e crio e tudo que consegui até agora foi um único centavo.Publico ilustrações minhas feitas em um site chamado Deviantart quando posso,e ofereço um certo preço(tive que criar conta de banco para isso) e até agora,nenhum resultado.
    Tentei me inscrever em um site que disseram que aceitam tradutores,mas até agora nada(ninguém se interessou).
    Não sei o que faço para conseguir dinheiro,porque tudo que tentei não está funcionando.E quero eu mesmo conseguir esse dinheiro sem a ajuda ou auxílio de ninguém.Quero muito ter uma casa própria pequena com um só banheiro,um só quarto,uma só cozinha,sem nada de luxuoso,pois não sei se alguém teria interesse em conviver com um solitário feito eu.
    Não sei se você pode me ajudar e nem sei em quem devo confiar para me ajudar,se é que eu mereço ajuda,porque até agora na minha vida,sinto que não mereço nada,porque nunca consegui nada sem auxílio de pais.
    Não aguento mais isso,e cursos e coisas para estudar do tipo,eu gostaria de eu mesmo pagar,mas ninguém me paga pelas coisas que eu faço,e não quero jogar essa responsabilidade para os meus pais,porque eles já gastaram muita coisa por minha causa,

    • Andre

      Amigo, a primeira coisa que você deve esquecer é essa historia de provar as coisas para pessoas que nem parte da sua vida fazem, pois mesmo que prove irão achar qualquer outro motivo para diminuir o seu feito! A sua preocupação em orgulhar seus pais é pura e saudável então concentre-se nela, pois essas sim são pessoas que merecem a tua preocupação. Quanto adecepçao com amigos e garotas posso te dizer que qualquer cara de qualquer classe social estará sempre sujeito a passar, o segredo esta na espectativa que criamos, não deixe de acreditar nas pessoas mas trabalhe um pouco na sua forma de enxerga-las, as vezes somos traídos pelo nosso querer e vemos coisa onde não tem, assim como deixamos de ver algo bom por achar que não estava lá… Sobre a parte financeira, estou com problemas parecidos com os teus…nisso não posso te ajudar…rs desculpe a invasão aqui mas isso que te falei eu pratico e ajuda muito na minha vida e quis compartilhar com você. Boa sorte.

    • Alexandre Mondo

      Amigo, li o seu depoimento e resolvi comentar pq me identifiquei com várias coisas no seu relato. Tenho 35 anos e sou designer gráfico. Comecei nessa área meio que por acaso, minha mãe arranjou para mim um emprego no setor de layout em uma empresa de listas telefônicas quando eu tinha 18 anos e desde então sempre trabalhei com design. Durante muito tempo fiquei infeliz nesses trabalhos, eu queria mesmo é tocar (sou músico tb), mas não conseguia ganhar dinheiro com musica, minhas tentativas com bandas não deram certo, no final das contas, trabalhar com design gráfico sempre era um “lugar seguro” para voltar… mesmo não ganhando grandes coisas. Tb sempre fui muito anti-social, não saía, não fazia amizades e é nesse ponto que eu quero te dar uma dica. Essa postura de isolamento sempre atrapalhou tudo na minha vida, e só recentemente é que eu consegui perceber isso e comecei a fazer alguma coisa para mudar. Não importa o quão bom vc seja em alguma coisa, o quão genial vc seja, se vc não tiver habilidade social, se não souber construir e manter uma rede de relacionamentos, dificilmente terá sucesso em alguma coisa. Isso acontece pq na verdade ninguém faz nada sozinho, a gente sempre depende dos outros em algum nível. Já ouviu aquele ditado que diz: ” Sonho que se sonha só, é só um sonho, mas sonho que sonha junto, vira realidade.” – Esse é um daqueles ditados populares que é a pura verdade, tem muita sabedoria. O meu conselho para você é: Não se isole. Faça contatos, puxe conversa com as pessoas, seja simpático quando puder. Se vc gosta de desenho e games, descubra onde na sua cidade as pessoas que gostam das mesmas coisas costumam ir, e vá lá tb. Vai ter algum evento de animes ou games? Vá. E puxe assunto, converse com as pessoas. O contato pessoal é muito importante, apesar da internet e das redes trazerem mtas facilidades, elas ainda não substituem o contato pessoal. Tente conseguir algum trabalho onde vc use o seu talento com desenho, mesmo que não pague bem, mesmo que seja um trabalho abaixo do seu talento, será temporário. Faça isso para conhecer pessoas, ter contatos. Tente ser aquela pessoas q os outros indicarão para um trabalho quando aparecer uma oportunidade. Uma das piores coisas que eu fiz na minha vida foi me trancar num quarto, me isolar e sentir pena de mim mesmo. Eu sei que nessa situação a gente se sente paralisado, parece que as ideias até vem na cabeça, mas a ansiedade não deixa a gente agir. Mas não tem jeito, tem q criar coragem e meter a cara. Nas primeiras vezes é difícil, mas vc percebe que a cada vez q vc encara um desafio vai ficando mais fácil. Assim foi comigo. Espero que oque eu escrevi sobre a minha experiência possa te ajudar de alguma forma. Um abraço e boa sorte!

  • Laio

    Ola Marcos, tudo bem com você?
    Bom, comecei a procurar na internet sobre que rumo tomar na carreira. Pois, tenho 25 anos, e não estou satisfeito com o meu trabalho. Atualmente, tenho uma sensação de que devo procurar algo que me dê prazer, que eu me sinta realizado profissionalmente, só que não sei o que procurar, o que vai me dar prazer. Me formei Engenheiro Químico com 22 anos, recentemente me tornei Pós Graduado em Adm. de Empresas, falo inglês e tenho nível intermediário em Espanhol, nunca trabalhei em minha área de formação e hoje sou executivo de vendas em uma multinacional. Na minha carreira trabalhei em diversas áreas e executeis tarefas totalmente diferentes e sempre fui muito bem, tenho facilidade em executar qualquer trabalho, tanto que sempre coloquei na cabeça que o que importa é trabalhar, independente do que. Em toda minha historia acadêmica, sempre tive facilidade com as áreas de exatas, historia e ciências sociais. Português nunca foi o meu forte, muito menos falar em publico, porem com o tempo me tornei bom em redação e me comunico facilmente com qualquer publico. Porem, acredito, que com essa “facilidade” em diversas áreas, eu nunca encontrei o que realmente me da prazer, não sou nenhum prodígio, apenas tenho facilidade em exercer diferentes tarefas em um nível aceitável ou bom, porem nunca encontrei nada onde eu fosse muito bom ou excepcional, nunca encontrei nada que realmente me desse prazer, tanto que, ultimamente, tenho pensado muito mais no meu lado pessoal, do que no profissional, pois o profissional não tem me dado prazer. Tenho tentado “escapar” disso, e tenho procurado descobrir “o que” me faria sentir realizado.
    Ao ler o seu texto, muito bom por sinal, me surgiu a curiosidade quanto a entender melhor esse “servir”, e eu queria entender melhor como descobrir a minha “carreira” servindo. Você poderia me ajudar? Ou me indicar algo para ler? Me orientar quanto praticas que me ajudariam?
    Desculpe se eu pareci arrogante no texto, não foi minha intenção, tentei apenas transmitir na totalidade minha situação.
    Obrigado

  • raquel mourato

    Marcos boa tarde,

    Vou fazer um resumo da minha vida ,tenho 41 anos sou formada em Administração de Empresas,moro em Recife ,trabalhei 10 anos no Banco Unibanco e pedi pra sair em 2008 para abrir uma loja de roupas,não deu certo gastei todo meu dinheiro,depois abri uma fabrica de roupa passei um ano,fechei e por ultimo coloquei uma loja de conveniencia tambem fechei.Hoje estou desempregada,sem dinheiro,sem animo,sem coragem,achando que sou uma incapaz,depressiva,me achando um lixo.Estou cursando Direito,gostaria de uma orientação sua.grata

    Raquel

  • Grace Requião

    Olá Marcos! Gostaria de sua ajuda. Meu irmão tem 28 anos, só tem o segundo grau completo e trabalha como vendedor de uma loja de roupa social. O problema dele é que ele não consegue permanecer em empresa nenhuma, nunca tirou uma férias, sempre saiu antes de fechar pelo menos 1 ano de empresa, não gosta de estudar, de fazer algum curso técnico ou faculdade algo assim. E ele diz que gosta da área de vendas mais fica saturado porque tem que bater cota, “adular” clientes, se desmotiva rápido quando o gerente o chama atenção, apesar de que eu acho super normal o seu superior te alertar em algo,as vezes o comércio tem seus altos e baixos e isso acarreta no seu salário pois ele depende das vendas para tê-lo. Gostaria muito de ajudá-lo nesse quesito, pois temos que nos preocupar com o futuro.
    Como você pode ajudá-lo a ele descobrir o que realmente gosta de fazer e mudar esse quadro?
    Obrigada querido.

    • Gabriel

      Grace, acredito que o centro do problema seja justamente o estudo.. Já trabalhei em loja de auto peças e o que me desmotivava era não ter pra onde subir, entende? Geralmente, pessoas que trabalham na área de produção, vendas se frustram depois de algum tempo por não ter expectativa de crescimento, e isso tende a aumentar com outros fatores (se o clima da empresa é meio chato e não há reconhecimento, se a condição financeira é difícil, se há pessoas por perto que não te fazem bem). Sugiro observar no que ele realmente é bom e gosta de fazer desde criança, e procurar um curso que se encaixe no perfil e provoque o interesse dele sem forçá-lo a nada.. Talvez um teste vocacional bem aplicado possa ajudar. Mas lembre que tudo irá ter mais chance de sucesso se ele realmente mostrar força de vontade e dedicação. Desejo sucesso pra vocês!

      • Gabriel

        Ps.: Espero ter ajudado! Abraços.

      • Grace Requião

        Obrigada pela atenção.
        Um abraço pra você!!