Tag: sucesso (Página 1 de 2)

Flavio Augusto da Silva e Kaká no Orlando City

O que Flávio Augusto da Silva pode *realmente* nos ensinar sobre abrir uma empresa de sucesso

Quando a gente fica sabendo de histórias de como começou a vida do empreendedor Flávio Augusto da Silva, fundador e atual dono da WiseUp e dono do time de futebol Orlando City nos Estados Unidos, ficamos entusiasmados e motivados a se arriscar da mesma forma.

Não que fosse intenção do Flávio incentivar quem o segue assumir grandes riscos, mas por conta da nossa má formação em empreendedorismo, entendemos que só é empreendedor quem tem capacidade para se arriscar (e muito).

E isso não está correto.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

8 atitudes inteligentes para lidar com o fracasso

Fracassar é um verbo comum na vida de qualquer ser humano e anda lado a lado com o sucesso na vida de um empreendedor que iniciou seu negócio do zero, pois desde o momento em que nascemos ou concebemos a ideia de um negócio, nos colocamos fora da nossa zona de conforto nos arriscamos a falhar. Apesar do fracasso fazer parte do processo natural da evolução, onde existe a necessidade de se colocar fora da zona de conforto para expandir os horizontes de sabedoria, existem pessoas que não lidam bem com o fracasso e que por consequência, sucumbem a procrastinação preferindo permanecer no mesmo lugar a se mover para frente na direção de coisas novas.

Além de treinar jiu-jitsu brasileiro, resolvi participar de uma competição deste esporte, saindo totalmente da minha zona de conforto para me expor a incerteza, as críticas e as falhas. Senti aquela ansiedade que antecede os momentos em que estamos entrando em uma situação totalmente diferente daquela que estamos acostumados e também aqueles sentimentos de derrota e culpa quando saí como perdedor da empreitada. Depois de 20 anos como empreendedor, agradeci a oportunidade de ter perdido algo que gostaria de ter ganho para poder compartilhar neste artigo com você, como lidei com o turbilhão de emoções e pensamentos para me recolocar de pé e disposto continuar competindo.

Abrace a oportunidade de poder aprender com os erros

Antes de fazer qualquer coisa nova, você precisa se certificar de que provavelmente irá cometer erros e que o quanto antes você os admitir e encarar o fato de que eles precisam ser consertados, melhor para o seu aprendizado. Se você pretende abrir um negócio próprio, encare o fato de que você constantemente terá de refiná-lo, aparando as arestas diariamente para encontrar o modelo de negócio mais inteligente. Ao criar uma empresa, mantenha um bloco de notas sempre à mão para anotar os “estresses” e problemas que o negócio está gerando para poder tomar atitudes para corrigi-los. Só esta ação já fará você perceber que existirão erros e que eles são comuns a qualquer novo empreendimento.

Certifique-se de fazer o seu melhor independente dos resultados

Definitivamente eu entrei para ganhar aquela luta. Eu queria ganhar, é verdade, mas entrei mesmo com o espírito de chegar lá, fazer uma boa apresentação e executar tudo o que eu tinha aprendido da melhor forma possível. Entrando com esse espírito aberto em um negócio, basta você não deixar a peteca cair e investir todos os seus esforços para dar o seu melhor que se surpreenderá com os resultados. Assim, mesmo que fracasse, você vai compreender que precisa melhorar em tal e tal coisa se quiser empreender novamente. Ao invés de derrotas, sua vida passará a ser totalmente preenchida por oportunidades de aprendizado e crescimento. Você não se sentirá mais um fracassado e passará a se ver como um estudante da vida, sentimento muito mais mágico e condizente com a verdadeira realidade humana.

Procure desculpas fortalecedoras

É engraçado que todo perdedor comece a pensar em desculpas logo assim que encara a derrota. Comigo não foi diferente. Logo que saí da luta comecei a tagarelar algumas desculpas sem muito sentido e que não estavam me fortalecendo. Percebendo isso, investi alguns minutos da minha noite na reflexão sobre o que tinha acontecido para me fortalecer com “desculpas” mais dignas que aquelas que havia tagarelado durante o dia. Me fortaleci dizendo para mim mesmo que tinha sido a primeira luta, que eu só tinha seis meses de prática e que meu oponente além de ter sido campeão naquela etapa do campeonato, havia também participado da etapa anterior onde também tinha sido campeão. Estas “desculpas” me fortaleceram e me colocaram de volta nos trilhos para encarar mais treinos e voltar a competir, algo que logo após a luta, eu estava cogitando não ser mais para mim.

Procurar as verdadeiras “desculpas” é uma das melhores reações de quem empreende porque você define quem são os “vilões” que você precisará combater para retomar o empreendimento ou criar um novo. Deixei recentemente uma das minhas empresas para abrir outras duas porque o mercado desta primeira havia mudado. Admiti este como sendo a principal razão para o meu fracasso e criei outras empresas em mercados vizinhos. Recoloque-se na experiência de empreender como um aprendiz e derrube o fracassado com desculpas fortalecedoras.

Escute somente aqueles que te colocam para cima

Quando começamos a nos mover em direção a algo novo, as pessoas que nos cercam normalmente querem nos puxar para trás e por isso, quando o fracasso acontece, são as primeiras a nos incentivar a não tentar de novo. Muitas e muitas vezes eu demorei a me reinventar porque dava ouvidos a familiares e amigos que tinham uma vida que eu não queria mais. Logo, quando você falhar, não dê ouvidos para as pessoas que convivem com você nas situações que você não quer fazer mais parte e procure ajuda moral e emocional das pessoas que estão onde você gostaria de estar. Conversar sobre luta com alguém que não pratica esportes é o mesmo que conversar sobre empreendimentos com alguém que foi empregado durante toda a vida. Simplesmente não existe troca na conversa, já que alguém terá que ceder para o outro o seu ponto de vista. Eu tenho uma pequena lista de pessoas que procuro quando passo por alguma dificuldade nos meus negócios e uma outra lista de pessoas que me ajudam quando passo por alguma dificuldade pessoal. Faça uma lista como essas para você também, com pessoas que admira e vivem situações que você gostaria de viver.

Procure uma forma de se divertir com o fracasso

Antes mesmo da luta começar eu já brincava com colegas, amigos e familiares que a prata estava garantida. Isto porque eu já sabia que faria somente uma luta na competição já na final, tendo em vista que só havia um só competidor além de mim na categoria que lutei. Falar isso era divertido e foi o primeiro ponto de apoio emocional logo após eu ter saído como perdedor. Brinquei com todo mundo dizendo: “É prata! É prata!” Essa reação foi o estopim para abrir um sorriso não só no meu rosto, mas também daqueles que talvez viessem me consolar. Receber o fracasso com alegria é fundamental, pois indica para a nossa mente que fracassar além de natural pode ser percebido como algo divertido. Eu já tive grandes decepções na vida de empreendedor e apesar de ficar triste, afirmava sempre para mim mesmo que tudo seria resolvido e que o importante era que eu estava vivendo a vida que eu escolhi e não a vida que os outros por ventura poderiam ter escolhido para eu viver. Abrir um sorriso e dizer para si mesmo “bola pra frente, vida que segue” é não perder tempo com tristeza e encarar o fato que o caminho é mais divertido que a chegada.

Analise o que você aprendeu

Perceba o que você aprendeu com a derrota, o que poderia ter feito de diferente e estabeleça estratégias para continuar seguindo em frente. No meu caso, revi a gravação da minha luta várias vezes e conversei com meu professor a respeito dela procurando entender o que poderia fazer de diferente. Também estabeleci um novo ritmo de treino para me preparar para as etapas do próximo ano e me coloquei à disposição para treinar com pessoas com mais experiência. Sempre que eu tenho problemas nas minhas empresas, faço uma análise profunda dos problemas e elimino definitivamente determinadas características do modelo de negócios que não funcionaram. Superar as dificuldades é obrigação do empresário e não se prostrar em frente a elas é ainda mais fundamental.

Mergulhe na crise investindo tempo nela

Muitas pessoas demoram a se recuperar de uma crise porque preferem se distrair que investir tempo mergulhando nela. Algumas pessoas apelam para programas em grupo fora de casa, outras ingerem álcool e outras drogas e ainda existem aquelas que preferem ficar no sofá vendo televisão. Não recomendo isso. Recomendo que você mergulhe na sua crise profundamente analisando cada um dos fatores que o levaram a viver essa situação ao invés de se distrair. Quanto mais tempo você investir na sua crise, melhor, porque quando essa sensação se esgotar você poderá caminhar livre para uma nova tentativa. Distrair-se provavelmente aumentará o tempo de duração da crise e apesar de parecer bom distrair-se um pouco após uma situação de estresse e falha, a longo prazo, esta atitude pode comprometer a sua vida. Mergulhar na crise é o ideal, pois em dois ou três dias a sensação de fracasso é substituída pela sensação de aprendizado em novos desafios e você pode seguir adiante.

Procure razões para tentar de novo

Me sinto extremamente feliz por poder escrever em artigos como esse as minhas sensações e as coisas que percebo a respeito da minha própria vida. É libertador para mim e funciona como uma terapia. Continuo insistindo, fazendo a minha parte como empreendedor e me envolvendo com situações como a que vivi na luta que participei porque desempenho papel de líder para outras pessoas no Insistimento e preciso demonstrar através de exemplos e da minha própria experiência que tudo é possível. Esse é o estopim da minha motivação. Me exponho tentando coisas que nunca tentei para chegar aqui e falar sobre o que aprendi. Essa atitude me ajuda e ajuda a outras pessoas. Genial! Seja pela sua família, por seus amigos ou por seus fãs, você precisa encontrar uma razão para tentar de novo, pois por mais que você falhe, você ainda será um exemplo para aqueles que te cercam. Muitas e muitas vezes eu persisti em um caminho porque haviam outras pessoas que dependiam dele e com o tempo, percebi que quanto maior for este círculo de “dependentes” melhor. Você vai perceber que sendo sua vida um exemplo para os outros, mais nobre você terá a obrigação de torná-la.

[divider height=”30″ line=”1″]

Neste projeto você aprende através de um livro online multimídia e interativo a criar empresa do zero com praticamente nenhum dinheiro ou tempo. Não é mágica, é metodologia. Algo que consigo fazer até hoje e que muitos têm a curiosidade de aprender. Afinal, como eu dou conta de duas empresas, outros negócios paralelos, quatro filhos, pratico esporte diariamente e ainda consigo dormir mais de oito horas por dia?

Qual foi a última vez que você fracassou? Como você lidou com isso? Quais foram as suas atitudes? Vamos utilizar o espaço de comentários abaixo para compartilhar nossas experiências como fiz aqui neste artigo. Para quem gostar e quiser ver a luta que tanto falei neste post, basta clicar neste link.

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Metas: tão perto, mas tão longe…

Não podia ir dormir sem escrever aquilo que fiquei pensando durante todo o final de semana e o dia de hoje quando trocando mensagens com alunos da Escola do Insistimento, fãs e assinantes da lista de e-mail do site. Me deparei com uma dura realidade que atinge a maior parte dos empreendedores que chegam até aqui. Todos possuem metas, na maioria audaciosas, mas poucos conseguem cumpri-las. Uns estão atados ao seu passado: dívidas financeiras adquiridas, compromissos emocionais assumidos e decisões mal tomadas. Outros estão atados ao seu futuro: medo de trocar de emprego, de começar algo novo mesmo com dinheiro guardado, etc. Ou seja, a desculpa para não conseguirem bater suas metas é a negligência com que levam suas vidas ignorando o fato da liberdade que podem ter se ficarem no presente.

TEM DÍVIDAS? OK. TEM MEDO? OK.

Não dê importância demais para algo que não tem a menor importância. É você que olha o seu passado e o engrandece ou olha para o seu futuro e o diminui. Ambos, passado e futuro não existem, por mais que no agora você lide com as consequências do que fez no seu passado ou com os receios sobre o que acontecerá com você no futuro. É você que se coloca nessa posição de vítima das circunstâncias. Pense mais nisso. Quando lembrar de coisas do passado e falar nomes horríveis para si mesmo enquanto se lembra das suas burradas, pare um pouco para olhar em volta de onde está e enxergar o que está acontecendo de verdade. Não existe ninguém te xingando e tampouco algo acontecendo de ruim que mereça o seu valor. Você pode seguir adiante sem pesar, pois agora, agorinha, está tudo bem de novo como sempre acontece. Quando imaginar coisas sobre o futuro, vendo você largando o emprego e se dando mal ou pegando um empréstimo no banco porque o seu negócio deu errado, pare um pouco também para olhar o que está acontecendo agora na sua realidade. Seja inteligente e pare de imaginar coisas que podem ou não acontecer. Tudo está OK.

Lembre-se que tudo sempre volta a ficar bem…

Não importa o que você fez ou o que você vai fazer. Tudo sempre fica bem de novo. Por mais que você tenha milhões de dívidas ou esteja rastejando no seu emprego, em algum momento do dia, tudo fica bem. Por mais que você esteja com problemas na empresa, daqueles bem sérios e não consiga enxergar o futuro do seu negócio, tudo fica bem. É o seu filho que ri para você ou o programa engraçado que toca na rádio. No final das contas, tudo acaba bem. E isto não quer dizer que sou otimista por pensar isso, esta é realmente a realidade. Não só tudo acaba bem como tudo sempre está bem e certo. Mesmo quando você bate de carro e parece que sua vida está desmoronando, tudo está bem. Infelizmente somos nós que damos importância demais a falsa estabilidade da nossa vida, esquecendo que ela é totalmente instável como o oceano que é belo mesmo nunca tendo as mesmas ondas do mesmo volume quebrando no mesmo lugar. Uma vez conseguida a estabilidade, é preciso se preparar para a próxima onda e é essa ondulação cotidiana que faz da nossa vida algo mágico, belo e profundo. Ponto.

Para alcançar suas metas, pense no agora.

O que você pode fazer agora para alcançar as suas metas? Faça as contas, é simples. Se você precisa ganhar R$ 1.000,00 no mês, basta conseguir cinco clientes que lhe paguem R$ 200,00 por algum serviço ou produto que você tenha. Se você precisa faturar R$ 20.000,00 no mês, basta conseguir 20 clientes que lhe paguem R$ 1.000,00 ou mesmo 200 clientes que lhe paguem R$ 100,00. Oferecendo um serviço para uma pessoa você consegue lhe cobrar R$ 200,00 facilmente e para alguns produtos é possível cobrar R$ 1.000,00 ou mesmo R$ 100,00. A matemática está aí para ser usada e ela é racional, não emocional. Ficar pensando no ontem ou imaginando o amanhã, só irão lhe fazer sentir medo e ansiedade, ao passo que pensar no agora o tornará alguém poderosamente forte, convicto e estável mesmo nas adversidades. Pense nisso, pense nisso.

Outro dia me perguntaram como pude alcançar bons resultados financeiros em tão pouco tempo e ser capaz de viver a minha vida independente das dos outros sustentando um monte de filhos e vivendo para cá e para lá atuando em diversos negócios. A minha resposta está nesse texto, mas principalmente no penúltimo parágrafo dele. Traga a matemática para a sua vida, pense em dinheiro, faça as suas contas e volte para o presente. Ignore completamente o seu passado e esforce-se a ignorar também aquilo que você imagina sobre o seu futuro. Só assim você conseguirá a tão sonhada liberdade para fazer o que quiser, na hora que quiser, independente do que os outros ou você mesmo pensam sobre o que está sendo feito. Manda bala e aproveita a vida. Você nasceu para experimentá-la.

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

3 decisões para pararmos de sentir pena de nós mesmos

Domingo assisti a palestra Why you will fail to have a great career (Por quê você irá falhar em conseguir uma grande carreira) que um amigo compartilhou no Facebook. Uma palestra que resume bem o sentimento de desculpa e pena que a maioria de nós, sobreviventes dessa sociedade, temos em favor de nós mesmos. Nunca estando no presente, criamos expectativas em relação ao futuro e sentimentos de culpa em relação ao passado, criando um ciclo interminável de pena das nossas vidas. Por quê isso acontece conosco? Como sair desta roda louca? É o que vamos falar a seguir a respeito de três decisões que você pode ter para parar de sentir pena de si próprio.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

É na infância que estão as dicas da nossa felicidade

A cada vez que percebo que estou satisfeito em alguma atividade, me dou conta que esta atividade, de alguma forma, tem suas raízes na minha infância. Fui agraciado por viver dualidades em todos os setores da minha vida, me permitindo enxergar com mais facilidade essas questões por trás das atividades que exerço. Isto me facilitou compreender melhor o caminho que eu tinha que seguir em busca da minha própria felicidade e que hoje me permite compartilhar com outras pessoas as indicações que a própria vida nos dá acerca deste caminho. Voltando lá na nossa infância, descobrimos coisas incríveis que poderiam ser aplicadas na nossa vida diária, nos aproximando daquilo que nós, naturalmente somos: seres livres e felizes.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Ser bom não conduz ninguém ao sucesso

Isso parece óbvio. De onde, então, surge o instinto geral de que a bondade, na vida, deve ser seguida de sucesso? Podemos combater um erro com êxito apenas quando compreendemos a verdade que está no cerne deste erro, dando-lhe vitalidade e levando-o à sua expansão e persistência. A verdade, nesse caso, é que, colocando-se de acordo com os seus talentos e as leis, o homem terá a felicidade como resultado dessa harmonia. O erro está em identificar o sucesso mundano com a felicidade, pondo de lado o elemento tempo.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Autonomia, domínio e propósito: componentes de sucesso para negócios no século 21

Assisti ontem a um vídeo do TED do autor de livros americano Dan Pink sobre motivação que é um resumo de tudo o que vemos acontecendo hoje em dia em um movimento óbvio de melhoria da qualidade de vida de todos os seres humanos em conjunto. Deixadas para trás as mazelas do século 20, com o nascimento da geração Y e de novas crianças co-criadoras de novas realidades mais justas, podemos antecipar, e concretizar com esta palestra, que o futuro será mais digno, justo e ecologicamente do que o passado que hoje nos castiga.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

O sucesso só virá quando você alinhar coração, mente, fala e atitude.

Quantas vezes nós já não dissemos coisas que não cumprimos? Quantas vezes outras pessoas falaram que iam fazer determinadas coisas para nós e não fizeram? Bem, acredito que um dos problemas da humanidade é não saber o que cada um deve fazer, mas posso acrescentar a esta visão o problema de que muitos ainda não fazem aquilo que falam, não falam aquilo que pensam e tampouco pensam aquilo que sentem. Ou seja, uma confusão interna em cada indivíduo de sentimentos, pensamentos e ações que provocam uma confusão externa já que ações “desalinhadas” provocam resultados “imperfeitos”.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Se você basear suas decisões no medo, seu futuro pode se tornar aterrorizante

Vamos tentar no artigo de hoje estabelecer alguma lógica entre as coisas que acontecem no futuro e as decisões tomadas no presente. Num primeiro olhar, compreendamos que o futuro é projetado sobre aquilo que fazemos hoje uma vez que o nosso passado comprova que só nos tornamos o que somos hoje porque lá atrás optamos por determinado caminho. Isto sendo verdade, podemos assumir que é possível prever o nosso futuro observando constantemente no presente as nossas emoções, pensamentos e ações a fim de checar a raiz que lhes dá origem.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Não tente ser melhor que os outros, seja melhor que você mesmo

A competição entre empresas, negócios, profissionais está cada vez mais em pauta. Além disso, entra em cena a competição entre as pessoas para serem melhores, estarem melhores posicionadas, ter melhores visões, opiniões, etc. Já briguei muito para ser melhor que os outros, tentando ganhar destaque baseando-me na concorrência. Um padrão de crescimento onde somos treinados a sermos melhor que os outros, tirar melhores notas, ganhar medalhinha por um feito anormal ou até mesmo receber uma bonificação quando atingimos maiores vendas. Isto não denota evolução de ninguém, pois estamos apegados a um padrão pior, sempre pior e que escolhemos.

Ler mais

Praticante de jiu jitsu, apaixonado por filosofia, escritor, coach, palestrante e um impulsionador de pessoas. Desde 2008 mantém este projeto no ar para ajudar pessoas a superar seus medos e suas crenças e se tornarem elas mesmas. Saiba mais sobre Marcos Rezende.

Página 1 de 2

Desenvolvido em WordPress & Tema por DoutorWP