skip to Main Content

À vésperas do ano novo, na última sexta do ano foi dia de retrospectiva na televisão.

Para cada notícia boa, vinte ou trinta notícias ruins.

Gente matando gente. Gente roubando gente. Gente sacaneando gente.

No telejornal do dia seguinte, uma repetição da última retrospectiva.

Para cada notícia boa do dia que passou, vinte ou trinta notícias ruins.

Percebo que a maioria das pessoas utilizam as comemorações do ano novo para reduzir as causas de todos os eventos do ano vindouro a uma simpatia, mandinga ou oração.

Comer sete uvas, saltar sete ondas, vestir branco, orar na igreja, entre outras atividades é o que ocupa a agenda da maioria das pessoas como se essas atividades tivessem uma influência poderosa no ano novo.

  • Como se o simples desejo de paz já fosse suficiente para promover a paz.
  • Como se o simples desejo por uma vida mais próspera já fosse suficiente para trazer mais oportunidades na carreira.
  • Como se o simples desejo por uma vida melhor já fosse suficiente para melhorar a nossa vida.

O que nós fazemos à meia-noite pouca ou nenhuma influência tem nos próximos 365 anos que estão por vir.

A menos, é claro, que à meia-noite você esteja debruçado sobre planilhas financeiras, livros ou uma agenda de planejamento do próximo ano, tenha certeza de que o que você faz ou como você se veste na festa do réveillon não influência tanto assim a sua vida no ano novo.

O que irá acontecer no próximo ano dependerá muito mais das nossas ações práticas do que no nosso simples desejo.

Você pode continuar indo à igreja, vestindo roupa branca, saltando sete ondas e comendo sete uvas se isso de alguma maneira motivá-lo a definir quais são as suas metas para o próximo ano e trabalhar para conquistá-las.

Mas acreditar que de alguma forma comer ou não lentilha vai influenciar na sua capacidade de trabalhar e ter prosperidade é tolice.

Que tal fazer o seguinte na noite de réveillon do ano novo?

Anotar em uma folha de papel tudo o que você superou no último ano mês a mês analisando onde você poderia ter agido de forma diferente e onde você realmente mandou bem.

Em outra folha de papel, anote os grandes objetivos de cada mês do ano novo para você ter uma ideia de onde você está indo e do que você pode fazer.

Faça isso e vá curtir a sua festa da maneira que você quiser.

Ao menos agora você tem um norte.

Citando o escritor Anderson França:

Não adianta o ano ser regido por Xangô se tu não mudar tuas atitude. Não tem Xangô, Jeová, Allah, Beyoncé, divindade nem signo que resolva a vida de quem não quer mudar o modo de pensar e agir na vida. Não tem Deus que assuma as tuas responsas.

Fé é pra dar força. Rumo é contigo.

Feliz Dois Mil e Assina Teus B.O.

Este post foi um oferecimento de:
Como Investir do Zero, o novo eBook sobre investimentos do Guia Invest.

Marcos Rezende

Um escritor vivendo dentro do corpo de um programador.

Back To Top
Compartilhar10
Twittar
Pin
+1
Compartilhar
10 Compart.