skip to Main Content

A cada vez que percebo que estou satisfeito em alguma atividade, me dou conta que esta atividade, de alguma forma, tem suas raízes na minha infância. Fui agraciado por viver dualidades em todos os setores da minha vida, me permitindo enxergar com mais facilidade essas questões por trás das atividades que exerço. Isto me facilitou compreender melhor o caminho que eu tinha que seguir em busca da minha própria felicidade e que hoje me permite compartilhar com outras pessoas as indicações que a própria vida nos dá acerca deste caminho. Voltando lá na nossa infância, descobrimos coisas incríveis que poderiam ser aplicadas na nossa vida diária, nos aproximando daquilo que nós, naturalmente somos: seres livres e felizes.

CAVALOS E AVIÕES
A primeira vez que vi um cavalo, devia ter uns 6 anos e estava andando nas ruas do bairro onde morava no Rio de Janeiro. Um cavalo vinha trotando pela rua sendo montado por um cavaleiro quando esbarrou em mim. Talvez o cavaleiro não tenha me visto ou eu tenha ficado tão atônito que tenha entrado no seu caminho. Não importa. A imagem que ficou para mim daquele momento, foi ver tamanha grandiosidade e beleza em um animal tão gentil e tão poderoso ao mesmo tempo. Nunca me esqueci desta cena e sempre que notava um cavalo na rua na infância, ficava apaixonado por toda a sua forma de andar, trotar e correr. Elegante e imponente.

Já a primeira vez que andei de avião, o fiz por um motivo super especial. Era a lua de mel do meu primeiro casamento e fui agraciado com uma viagem com tudo pago na empresa onde trabalhava. Assim, entrei em um avião pela primeira vez após uma festança que varou a madrugada no dia do meu casamento e, preocupado com as histórias que escutara sobre enjôos e solavancos, me preparei para a pior decolagem possível. Não foi o que aconteceu. Me apaixonei pela forma como o avião decolava. Ele começava a correr, correr e depois correr mais ainda, para enfim empinar seu bico e voar em um céu azul iluminado. A sensação e a visão daquele momento ficaram em mim, também até hoje, assim como o contato com o cavalo.

Hoje não só tenho um cavalo bem aqui no sítio onde moro e trabalho, como também estou aprendendo doma, e todos os meses, pelo menos, viajo de avião. Convivo com as minhas paixões diariamente e, mais importante ainda, aplico o que mais gosto delas no meu dia a dia à frente do meu negócio. Não foi por acidente ou sorte que cheguei a essa convivência com cavalos e aviões, mas por um certo querer infantil interno que sempre mantive aceso dentro de mim. Se fui feliz na infância, fazendo o que mais gostava e me divertindo, porque haveria de sofrer na fase adulta fazendo o que não gostava sem me divertir? Isso nunca fez sentido para mim, apesar de em alguns momentos da minha vida, ter acreditado que ser infeliz era o propósito de todo ser humano vivente deste planeta. Eu estava errado. Nosso propósito fim é sermos felizes e é para isso que vivemos todos os dias.

CAVALO está para lealdade, assim como AVIÃO está para organização
Ter a amizade de um cavalo é algo que não tem preço e também não tem como explicar. Quando um bicho grande desses te segue e te diz que prefere estar com você a estar em outro lugar, é algo inacreditável. Parece que existe um encantamento que depois de conseguido, não pode ser desfeito. A lealdade é tamanha e o compromisso pelo trabalho com seu dono é incrível. Não obstante, chegar até um aeroporto para tomar seu vôo é uma das coisas mais organizadas que podem existir. Existem vôos que saem às 13:58 ao invés de 14:00 sabe-se lá por qual motivo. Além disso, os funcionários do aeroporto, todos uniformizados, fazem cada qual o seu trabalho, executando-os da melhor maneira que podem para entregar o melhor serviço com início e fim determinados e cronometrados que puderem.

No meu dia-a-dia, à frente da Noxion, procuro incorporar todas essas coisas que gosto. Trabalho com pessoas extremamente leais e forneço lealdade aos meus clientes. Depois que assinamos contrato, mesmo que por um erro de estimativa minha empresa tome um certo prejuízo, meus clientes têm nela o compromisso da lealdade, onde custe o que custar eles serão servidos até o fim, tal qual um cavalo faz para o seu dono. Da mesma forma, aplico a organização dos aeroportos e até mesmo simuladores de projetos na empresa. Tudo para me aproximar das asas de uma aeronave e aplicar na minha pequenina nave toda o sincronismo existente nos aeroportos.

DESCUBRA SUAS PAIXÕES DA INFÂNCIA
Leve consigo um papel durante uma semana para ir anotando nele o que gostava de fazer na sua infância, não importa o que fosse. Coloque também seus momentos marcantes e tente encontrar neles algo que se reflita na sua vida atual. Você verá que a maior parte das atividades que desempenha hoje partiram da sua infância. Se estiver infeliz hoje com o que faz, é porque se desviou um pouco daquilo que te motivava quando pequeno. O trabalho de descobrir as suas paixões é um trabalho contínuo que requer muito do seu esforço para se tornar completo. No entanto vale lembrar que estamos vivos para aprender uns com os outros como viver. Assim, tome as rédeas da sua vida e a organize em volta do seu coração, pois é de lá que ela pulsa.

“As paixões são os ventos que enfunam as velas dos barcos, elas fazem-nos naufragar, por vezes, mas sem elas, eles não poderiam singrar.” – Voltaire

Marcos Rezende

Orientador de produção textual na Mentoria da Palavra, graduando em Filosofia na UFPR com concentração em Lógica e Filosofia da Linguagem, desenvolvedor de sites em WordPress na Agência G13 e faixa roxa de jiu-jitsu brasileiro pela equipe Atos Loyalty Curitiba.

Compartilhar1
Twittar
Pin
+1
Compartilhar
1 Compart.
Back To Top