O incontrolável controle do incontrolável

Tempo de leitura: 1 minuto

Epiteto disse…

“Todas as coisas existentes se dividem da seguinte forma: as que estão sob o nosso poder e as que não estão.”

O caminho para a felicidade é não desejar controlar aquilo que não é do seu controle porque quando tentamos controlar aquilo que não controlamos nos frustramos quase sempre porque o resultado nunca é aquilo que estamos esperando.

Sob nosso controle estão o pensamento, o impulso, a vontade de adquirir e a vontade de evitar e, resumidamente, tudo que resulta das nossas ações.

As coisas que estão sob nosso poder são livres, enquanto as coisas que não estão são escravas.

A casa se deteriora, as pessoas morrem e as frutas apodrecem enquanto o conhecimento aumenta, a educação se expande e as ideias são infinitas.

Se você pensa que um jarro é bonito é porque você julga que ele assim o é, mas na realidade o objeto não passa de um jarro.

Quando ele quebra e se destrói no chão ele já não é mais bonito, mas você pode continuar julgando-o bonito sem que ele esteja ali.

Assim, você não se importará muito com os acontecimentos daquilo que era factível de ocorrer as coisas que estão fora do nosso controle.

Jarros se deterioram com o tempo, pessoas morrem e relações acabam.

O que você faz com esses acontecimentos, é o que te conduzirá a paz.

Deixe uma resposta