skip to Main Content

Uma das atitudes mais honrosas que admiro nas pessoas que compõem o cenário da minha vida é o respeito. Não sei até que ponto o respeito é algo valorizado atualmente em nosso mundo, já que percebo que muitos são aqueles que exigem respeito sem cultivar respeito algum por si próprio. Apontar o dedo e dizer que o defeito do mundo está lá fora, é ser desrespeitoso como co-criadores que somos deste mundo. Assim, respeito é muito mais do que ser educado ou polido, é estar alinhado.

Quanto mais eu fico calado e verificando que o problema de fora está dentro de mim, fico cada vez mais irritado com pequeníssimas coisas que acontecem dentro de mim. Digo dentro de mim, porque não tomo conhecimento de tudo o que acontece ao redor de mim, somente aquilo que interpreto e que tomo como verdade. Assim, calado, percebo que meu ego se coça quando mais uma vez convive com algo que o irrita. Não entendo da onde vem tanta raiva e amargura, mas aquilo continua a me remoer como para que me destruir.

Eu acho que esse sentimento é uma falta de respeito com quem eu sou e com quem as outras pessoas são. Não aceito um horário atrasado. Não aceito uma fala mal dita. Não quero ler um texto confuso. Porém, às vezes ainda chego atrasado, ainda não sei falar corretamente e ainda escrevo textos confusos. Logo, posso presumir que tudo que vejo fora está dentro de mim e, por isso, é percebido pelo divisor de águas entre o que está dentro de mim e o mundo: meu ego.

Quando sinto raiva do mundo, estou sentindo raiva de mim.

Esse trabalho interno de procurar em mim o que me faz perceber aquilo no mundo, fez com que essa raiva e esse desespero fosse se acalmando e por fim, fui me sentindo alinhado. Cada vez mais fui me aproximando do ideal: pensando o que sentia, falando o que pensava e fazendo o que falava.

É notável que assumimos compromissos auto-sabotadores quando não temos consciência (não estamos alinhados) daquilo que estamos prestes a realizar. Dizemos: “Amanhã vou na sua casa!” ou “Te entrego isso até terça-feira”. Não nos gerenciamos bem, nos desrespeitamos e acabamos por desrespeitar o mundo, julgando-o e mantendo-o afastado de nós.

Um bom líder é um um homem sábio que sabe se gerenciar. Que se respeita. Logo, quando forem contratar um novo funcionário para cargos de liderança pergunte quantas vezes por ano ele fica doente, quanto de atenção ele dá para a sua família, em que ele tem colaborado para o seu próprio crescimento pessoal e qual a sua avaliação do que evoluiu desde que nasceu. Avalie a resposta e verifique se está diante de uma mulher ou homem que se respeita e que se valoriza em primeiro lugar.

Se valorizando, com certeza valorizará aos outros. E por consequência, haverá respeito, o principal.

Este post foi um oferecimento de:
Como Investir do Zero, o novo eBook sobre investimentos do Guia Invest.

Marcos

Um escritor dentro do corpo de um programador, apaixonado pelas letras e praticante de jiu-jitsu.

Back To Top
Compartilhar5
Twittar
Pin
+1
Compartilhar
5 Compart.