Sobre Marcos Rezende

Tempo de leitura: 7 minutos

Quando seus olhos não enxergam o caminho, siga as batidas do seu coração

Meu nome é Marcos Rezende e o meu propósito é motivar e apoiar pessoas a superar seus medos e suas crenças para se tornarem elas mesmas.

“Insistimento” quer dizer investir na insistência em fazer dar certo as coisas.

Em 2007 eu recebi a notícia que ia ser pai pela primeira vez e ao olhar a minha vida e o meu reflexo no espelho, percebi que ainda não havia me tornado um homem para servir de exemplo para alguém.

Já faziam 13 anos que minha carreira oscilava entre negócios e empregos e minha vida pessoal de um relacionamento amoroso para outro.

Sinceramente eu tinha uma certa vergonha sobre quem eu havia me transformado: um cara de 28 anos sem nenhuma estabilidade.

Não tinha carreira, um relacionamento amoroso sólido e minha consciência sobre o dinheiro e o valor que eu dava para o mundo era pobre.

Foi assim que envolvido por uma insatisfação enorme sobre quem eu era que eu tomei a decisão mais difícil, dura e mais certa que poderia ter tomado deixando uma namorada grávida no Rio de Janeiro enquanto aproveitava uma oportunidade profissional para me mudar para Curitiba e forjar o meu caráter sozinho.

Fiz novos amigos, novos colegas de trabalho e enfrentei todas as críticas possíveis dos que estavam à minha volta com a cabeça baixa, aceitando todos os meus deslizes enquanto crescia internamente decidido a fazer as coisas diferentes.

Para completar a mudança perdi meu pai para um câncer de próstata e passei a ser eu a referência de homem que eu queria para mim.

“A maneira mais segura de vivermos honradamente, consiste em sermos o que parecemos ser.” ~ Sócrates

Marcos M. S. Rezende com seus dois filhos em um dia de sol em Curitiba
Eu com meus dois filhos em um dia de sol em Curitiba

Eu não queria voltar atrás na decisão de ter saído da minha cidade e negado casar com um namorada por causa da gravidez porque eu queria que meu filho conhecesse um homem inteiro que prefere viver a vida que deseja ao invés de fazer aquilo que a sociedade espera que ele faça.

De fato, eu me sentia, em bom português, um verdadeiro moleque que havia sido irresponsável com a sua própria vida e com a vida das outras pessoas.

Eu não me considerava uma pessoa que pensa o que sente, fala o que pensa e faz o que fala.

Minha vida estava toda desequilibrada eu eu precisa consertar isso.

Marcos Rezende (2009-2016)

Em Curitiba, constituí nova família, tive uma filha e herdei duas enteadas que recebi de presente do universo para me tornar ainda mais responsável enquanto reconstruía minha carreira.

Fui ao Rio algumas vezes para enfrentar processos judiciais e ver meu filho de cabeça baixa, assumindo os meus erros, para pouco a pouco recuperar a confiança da minha ex-namorada e conviver honestamente com meu filho como homem.

Enquanto tudo isso acontecia na vida pessoal, na profissional eu fazia questão de viver daquilo que eu acreditava.

Continuava tocando este blog ao mesmo tempo que tocava uma empresa de criação de sites em WordPress com um sócio.

De 2009 a 2016 vivi muita coisa.

Na vida pessoal era pai de uma menina e padrasto de duas adolescentes enquanto exercitava minha disciplina, paciência e organização para fazer dinheiro e levar e buscar crianças na escola 🙂

Me orgulho de ter vivido esses sete anos trabalhando em casa junto com tanta gente e tantas coisas acontecendo porque aprendi a gerenciar meu tempo de uma maneira incrível.

O conhecimento acumulado nessa época me ajuda hoje a produzir cada vez mais em menos tempo.

Na vida profissional montei uma empresa que chegou a ter 8 colaboradores na área de criação de sites em WordPress, mas que acabou encerrando suas atividades em 2012 por conta de conflitos com sócios e colaboradores.

O conhecimento acumulado na gestão de empresas de serviços foi o que me ajudou a erguer a DoutorWP dos dias de hoje.

No final de 2012 saímos do sítio e voltamos a morar na cidade para ficar mais próximo da minha nova atividade profissional ajudando na gestão de uma empresa de fabricação de portas e janelas em Curitiba.

Foi nesse período em que eu tomei gosto pela fabricação de portas de madeira e saí dessa empresa para montar uma pequena fábrica de portas sanfonadas de madeira.

A ideia de negócio era boa, mas com a crise financeira e política de 2015 foi difícil manter o fluxo de caixa positivo, pois eu tinha que pagar fornecedores à vista enquanto recebia de clientes a prazo.

Isso acabou exigindo mais do meu tempo na empresa, eu fiquei mais estressado, em casa as coisas não iam bem porque eu não dava a atenção devida à família e no primeiro semestre de 2016 perdi a empresa e o casamento.

Eu senti as experiências de 2007 a 2016 como uma grande lavagem de sentimentos onde a vida me expôs a duras provas para me despir de quem eu queria ser para ser que eu sempre fui.

Não existe ruim, só bom

Em todos esses anos muita coisa boa aconteceu.

Aliás, eu poderia dizer que mais coisas boas aconteceram que coisas ruins!

Neste período eu comecei a praticar jiu-jitsu, estudei mais sobre filosofia, passei a ir na terapia e ajudei mais pessoas através dos meus textos, vídeos e também dos meus serviços de coaching, palestras e orientações de grupo.

Todos esses altos e baixos serviram para eu continuar persistindo no caminho de ser eu mesmo sem crenças ou medo e a me aprimorar como ferramenta para levar outras pessoas a questionar a vida que levam.

Hoje toco sozinho (e muito bem) a DoutorWP, o Insistimento e o portal Negócio do Zero e não preciso trabalhar 15 horas por dia para isso.

Estou cada vez mais próximo da vida que é para eu viver a cada passo que eu dou.

Isso é felicidade.

Do casamento que deixei pra trás, ficou a minha filha que divido a guarda com a mãe, fazendo e dando comida, dando banho, pondo pra dormir, levando na escola, tocando violão, brincando, vendo filme, etc.

Descobri nesse tempo trabalhando em casa enquanto vivia essas “crises” que o mais importante da vida são as relações, não o nosso trabalho ou a quantidade de dinheiro que fazemos.

Se eu pudesse me definir, me definiria como um completo artista, uma pessoa que não se adapta ao que o mundo considera como “correto” e busca a todo o momento criar a sua própria história.

Eu continuo atrás desses “porques” e motivando outras pessoas a também pensar sobre eles.

As crises sempre vão existir, seja na vida pessoal ou na profissional, mas o que você faz com as crises é o que te faz crescer.

“Tudo o que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite nele.” ~ Roberto Shinyashiki (Tweet Isso)

Eu tenho muito mais coisas para falar sobre a minha história e sobre a minha vida e se você gostou do que leu até aqui considere me acompanhar nas redes sociais (conteúdo quase que diário):

Cadastre também o seu e-mail na caixa cinza flutuante aqui no site para receber um e-mail meu toda semana com um monte de conteúdo bacana.

E caso queira saber como me contratar, clica aqui.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.